Tem que ter, tem que ter disposição…


As-cariocas

Tenho vários amigos hétero que já me perguntaram como satisfazer uma mulher, achando que existe algum truque ou macete pra esse tipo de coisa. O necessário para satisfazer, não só uma mulher, mas qualquer pessoa, chama-se: disposição. E toda vez que eu venho ao Rio, o que não me falta é disposição! Muito calor, algumas trovoadas, tempo livre e lá vou eu em mais uma das minhas aventuras…

Marquei um encontro via Facebook, afinal, conhecer pessoas nunca é demais. Como eu digo, network. Estava esperando um bolo, mas só ganhei um chá de cadeira. Tomei uma latinha pra dar aquela coragem e eis que ela aparece, toda falante e bem articulada, de início me intimidou. E o que podia fazer?? Precisava de território conhecido e nada como um barzinho pra meu me sentir em casa.

Estávamos sentados no barzinho e o dono do bar não tirava os olhos de mim, depois de duas ou três cervejas, ele se aproxima da mesa e solta: “você não tem 18 anos”. Oi? Como assim? Perguntei se ele queria provas e larguei minha identidade na mesa. Ele pega o documento, sai do bar, atravessa a rua e caminha até chegar num posto policial localizado na esquina. Nem me liguei e continuei entretida na conversa, quando de repente um PM aparece do meu lado! E eu achando que já tinha acontecido de tudo comigo, cinco anos se passaram desde a maioridade e a história sempre se repete.

Depois dessa cena, da vergonha do dono do bar e de algumas gargalhadas, minha disposição gritou novamente: “Será que já te embebedei o suficiente pra você ficar comigo?? E a resposta veio como tapa: “nem precisava disso”. Nessa noite, fiz um tour noturno pelas ruas de um bairro que ainda agora não sei o nome, entretanto isso pouco importa. A chuva veio, o alcool desinibiu e mais uma vez as cariocas botaram banca! Como nos versos cantados pelo Kid Abelha ♪ na rua, na chuva, na fazenda, ou numa casinha de sapê ♪

P.S: Eu não acredito em ativa/passiva, acredito em diversão!

“SENAS” da noite capixaba #18


“Nem falo nada, tô com a boca ocupada”

Bocas malditas dão conta de que em um banheirão de um grande terminal rodoviário da Grande Vitória, na hora do rush, está simplesmente impossível utilizar-se dos banheiros para fazer suas necessidade fisiológicas cotidianas.

O fato é que as guei tomaram conta de tal forma do espaço que não há UM mictório nem UM reservado livres.

E quem reclama nem são os héteros não, mas as próprias beeshas. Segundo elas, o negócio está tão lotado que ninguém faz nada. Elas ficam lá tudo uma olhando pra cara da outra esperando alguém desaqüendar pra elas poderem curtir, se é que você me entende, E NADA! É o famoso “não trepa nem sai de cima”.

Isso até elas tomarem um baculejo, néam?

Para Mildo (não que ele faça banheirão, ele estava com saudades do “senas”).

Ah, o amor de banheirão!


Do jornal A Gazeta de ontem:

Um vigilante patrimonial do Terminal de Campo Grande, Cariacica, flagrou dois homens – de 20 e 33 anos – trocando carícias dentro do banheiro do terminal rodoviário. O ato foi descoberto, na manhã desta sxeta-feira (07), por volta das 8 horas. Os envolvidos foram parar na delegacia.

O vigilante contou, em depoimento para a polícia, que descobriu os dois por meio do sistema de videomonitoramento do terminal. Eles estavam dentro de um dos boxes privativos.

Policiais Militares foram chamados e encaminharam os envolvidos no crime para o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Cariacica, onde prestaram depoimento e foram liberados após assinarem um Termo Circunstanciado (TC).

Segundo a delegada Tânia Zanolli, plantonista no DPJ durante a sexta-feira, os suspeitos vão responder na Justiça pelo crime de prática de ato obsceno em local público. Ainda de acordo com a delegada, caso condenados, os dois – que não têm passagem pela polícia –  poderão pegar de três meses a um ano de tenção.

Carícias

Para a polícia, os envolvidos no fato garantiram que não chegaram a ter relações sexuais e ficaram, apenas, nas carícias. “Casos como esse não podem ser encarados como uma comédia. Isso é errado. As pessoas estão perdendo os limites”, ressaltou a delegada.

Longe de nós fazer comédia com isso, rs. Mas vamos combinar, gente! Eles estavam só nas “carícias”! Olha que coisa fofa, que coisa lúdica. O romance está no ar. Vou até botar uma musiquinha para dar um clima:

Não sei se tem advogados ou estudantes de direito nos lendo, mas sempre tive uma dúvida jooreedjeeca. Prática de ato obsceno em local público pode ser configurado mesmo se as bee estiverem escondidinhas lá dentro do reservado? Porque, né, lá não é bem público, é meio privada, ops, privado, né? Tem que ver isso aí, gente?! Pede pros alibãs soltarem as beesha, deixa elas serem felizes, poxa. Quem nunca teve um amor de banheirão, não é mesmo?

Sou mais a nossa Luiza!


Enquanto a Paraíba se gaba da sua Luzia que foi para o Canadá nos temos a nossa que é o assunto de hoje nas Redes Sociais. Não sabe do que eu estou falando, bebê? Então qüenda o link abaixo:

♥ “TENTOU ACENDER UMA NOTA DE 50 REAIS E LIGAR O CARRO COM UM CANUDINHO!!!” ♥

Hauhauhuahuahuahuahuahuhauhauhauhauhauhauhauhauha.

Sem mais.

O que amar mais? Ela acender um cigarrinho com uma oncinha? Ela fazer a linha Macgyver e tentar ligar o carro com um canudinho? Essa voz e cara de trava? Esses acessórios ryyyycos? Ela dando em cima dos alibã pra liberarem ela SEM carteira e bêbada? Gente, alguém conhece Luiza, eu preciso dar um abraço nela!

No mesmo dia teve um racha e uma briga e um monte de cafuçú foi parar na delegacia. Daí você pergunta: “Dé, mas o que teve em Vitorinha em plana quinta-feira, esses hétero tão tudo doido?”. Gatãm, a Royal Club voltou a funcionar, ou seja, aguarde muitos outras confusões.

Aliás, estavam falando mal de Luiza em um fórum, sabe o que a linda respondeu?!

rs

E no face, Luiza vai virando meme… Reflita:

Bons tweets, bons tweets…


Tem coisa no twitter que deveria estar em livros didáticos…, sei lá, na Bíblia, de tão geniais. Qüenda, Mariangela:

Alá, hétero no recalque!

Dá?

Por favor, me deixa longe da cela da galera do sertanejo universitário, pleaaaase!

Verdade universal.

Penso isso todo fim de mês…

Hipocrisia, a gente vê por aqui.

Quem nunca falou isso pra amiga quando ela chegou na muatchy com o “look verão”?!

Super saudável, néam?!

Vai comendo mesmo que daqui a pouco será a própria Adele.

 Sou eu.
De nada, não precisa agradecer.
Via Chora Timenlime.