Babado, Confusão & Gritaria [Edição ComFusão]


Hello! Pra quem me viu jogada no chão no 106, aviso que estou viva, cheio de hematomas, mas ainda viva e com péssimas memórias do que fui capaz de fazer.

Primeiro vamos falar dos bafos que eu fiquei sabendo, mas não estava presente. Teve arrastão no Rock na Ufes, por volta de 5:30 da manhã. Já falei pra vocês, gatiras, com a greve dos servidores, está perigosíssimo ficar lá durante à noite, quem dirá dar pinta com seus cordões da Vivara.

Mas o mais engraçado mesmo foi o que aconteceu na Space Pub. Uma bee muito reeca, acompanhada de um casal hétero, pediu um balde de champagne, pegou o balde, bebeu, e na hora de devolver deu bafão porque o balde era de acrílico em vez de ser de metal. Segundo ela, estavam servindo champagne em balde de lavar roupa e ela não aceitaria aquilo… queria o dinheiro de volta (mesmo depois de ter aberto a garrafa), não conseguiu, e saiu putíssima soltando fogo pelas ventas amaldiçoando a boate. Sempre tem uma metida à vilã de novela pra maltratar quem trabalha na boate, néam?

Enfim, o que importa meishmo é que a ComFusão foi um sucesso, todas cortaram os pulsos no meu set, eu bebi como uma louca, dei pt, dormi no chão, acorday, fui andar na rua sozinho, voltay e ainda bebi mais. No outro dia, cada peça de roupa que eu tirava era um machucado que trazia uma lembrança (ou não) diferente.

E as senhoras? Foram pra onde?

ComFusão nesse sábado (13/08)


Bee’s, não me apedrejem, nós também nos assustamos com a notícia! Mas a pressão das pessoas sobre a gente, somada aos inúmeros problemas que surgiram com o agendamento das atrações que queríamos, fez com que fôssemos obrigadãns a fazer uma festa pra vocês.

Eu sei que várias de vocês queriam ter tempo pra montar aquele look fechatchyvo, ou juntar o aqué pra poder beber até dar o koo de cabeça pra baixo na pista. Mas não se sintam lesadas, a entrada será FREE pros 100 primeiros e nós (juntamente com os blogs:  Style-a-Holic e Oh My Rock) vamos sortear vários ingressos, tsá? Além disso, vai ter dose dupla de cerveja! Luxo, néam?

Então, cata o line up:

DJs
23h Rafa B. vs Dehcomenta
23h45 Max Vanilla
00h30 Bitchslap
01h @eusouryca
02h Click
03h Oh my rock
04h Rike Sick

Ingressos
100 primeiros FREE
R$10 até 00h
R$15 após 00h

Local:
Clube 106
Av. Francisco Generoso Fonseca, 707
Jardim da Penha, Vitória.

Horário: 23 horas

ENQUETE URGENTE!


Vamos evangelizar Luisa!

Braseel! Preciso da ajuda de vocês agorãm.

Vocês já estão sabendo que haverá o confronto da Cleycianne com a Katylene, certo?

Mas a Cleycianne entrou em contato comigo e disse que o sonho dela e de toda a congregação da igreja é o de transformar a travestchy LUISA MARILAC (sim, a dos bons drink) em um varão de deus.

Mas eu preciso saber se vocês, nossas leitoras lindas, acham que nós deveríamos permitir isso. Então, RESPONDAM:

Tchynna responde: A bee bebeu e o boy sumiu, e agora?


Olá Beeshosas,

Depois um looooooongo período de férias, a coluna “Tchynna Responde” volta com força total! O esquema continua o meeeesmo: quer me perguntar alguma coisa, desabafar ou fofocar? Manda um e-mail para tchynna@gmail.com ou uma DM no twitter @tchynna. A bee de hoje nos conta uma longa história que se resume em álcool, comfusão e um boy desaparecido. Leiam:

Oi Tchynna, queria aproveitar a sua volta para te mandar uma dúvida. Faz tempo que você não escreve nada na sua coluna e eu estou com uma mini crise existencial. Eu sei que você não é psicóloga, mas confio na sua vivência.  Senta que lá vem história:

Na Festa Comfusão, conheci um menino por acaso e ficamos. Foi muito bom, mas eu tinha bebido demais de não pude aproveitar muito. Nem sei se ele queria mais, já que eu não era o primeiro da noite, mas eu queria. Depois disso mantivemos apenas contato virtual e um dia bêbado (não sou alcoólatra, hahahha) mandei um depoimento para ele no Orkut dizendo que queria pegar ele e beijar a boca dele. Ele me respondeu e disse que a gente podia dar um jeito. Fiquei mega empolgado. Tchynna, não estou apaixonado por ele, mas achei o cara bem interessante. Inteligente, bonitinho, gostosinho e engraçado – é difícil achar isso hoje em dia na noite de Vitórinha. No fim de semana passado, nós meio que marcamos de nos encontrar. Mandei torpedo, liguei para ele e tal. Ele disse que ia me encontrar, mas sumiu. Eu bebi de novo (ok, tenho que maneirar no álcool) e mandei mais depoimentos para ele. Ele me respondeu e disse que mais tarde iria falar comigo. Me mandou beijos e nunca mais apareceu. Eu tentei ligar, mandei torpedo e puxei papo no Messenger. Sim, fui over, mas eu estava BÊBADO!

A minha dúvida é: devo ter entrar em contato com ele mais uma vez e explicar a situação? Eu queria desfazer um possível mal entendido. Vai que o cara me achou meio uma BADA (bicha que ama demais) e fugiu de mim… Eu só queria uns beijinhos, um sexo gostoso e talvez uma conchinha. Sabe, Tchynna, acho que não soube me expressar direito e isso me perturba mais que um possível fora. Não gosto de mal entendido ou coisas pela metade. Fiquei pensando que ele poderia não querer me atender por vários motivos e o único de fato que conclui foram os que eu narrei acima. E agora, Tchynna? Será que ainda tenho chances?

Beijos Henrique

Querido Henrique,

Estou em uma fase beeeem sentimental da minha vida e seu livro e-mail me comoveu. Fico feliz que tudo tenha começado na nossa festinha e é uma pena que não tenha aproveitado mais. Acho que você precisa parar de ficar mandando mensagem bêbado para os outros. Bee, se segura, poe uma senha difícil nas suas redes sociais e fale as coisas de cara limpa como fez agora (ou a senhora escreveu isso bêbada?). O carinha deveria ter sido mais tolerante aos seus rompantes, afinal, parece que ele também te queria mais. Será que ele não teve problemas no dia? Enfim, se eu fosse você começava mandando o link desse post para ele e depois ver a reação. E aí de você se não me contar o final desse bafo! E as beeshosas leitoras, o que acham???

O fim de uma Era… [Comunicado]


Tá, o título tá exagerado, mas conseguir manter um projeto semanal de quinta-feira numa cidade como Vitorinha, que morre em qualquer outro dia que não seja fim-de-semana (sem feriado), é um marco na sociedade. Ainda mais com o triste fim das boates GLS inauguradas recentemente. “Fatalidades” sobre as quais más línguas dizem fazer bater muitos tambores pelos bairros mais misteriosos da Serra.

Mas misticismos à parte, a ideia já nasceu para ser temporária, deu bafão e ferveu um pouco mais às noites da capital. Qué dizê, conseguimos o que queríamos.

Agradeço os envolvidos no projeto, como a produtora Antimofo, o Dj André K-lçada, o Wanderley, os barmen, os seguranças, as tias da limpeza… porque, vou te contar, tem que ser paciente pra aguentar as gays mais nervosas, elas são abusadíssimas!

E, por fim, dou o mérito à produtora MassaCult pela ideia genial de uma noite LGBT na quinta-feira e de todo apoio dado a nós durante o andamento do projeto.

É isso (*lágrima nos olhos*)… Adorei conhecer todas as bills que bateram cartão – e as que só foram de vez em quando, mas que foram tão simpáticas quanto -, vocês vão ficar no kooração da Max pra sempre, tsá?

Ah! E pra vocês que estão se perguntando por que não houve festa de despedida…  Pensem… #apenas

Be right back