O drama do Final Feliz


the-drama-queen

Meninas! Recebi um e-mail entristecedor!

Nosso maior reduto de pegação na praia está tomado por assaltantes e HT’s. Leia o depoimento do leitor:

De vez em quando o tédio toma conta de mim e sinto uma necessidade de ter sexo rápido/sem compromisso / e com um nivel de discrição aceitável. Como moro em Jardim Camburi acabo indo ao Final da praia de Camburi (Final Feliz).

Espero que não se atente a este detalhe e faça qualquer julgamento quanto a isso, este não é o motivo pelo qual lhe escrevo! Este local acabou virando um point de pegação na cidade, muito frequentado não só por gays, mas casais héteros também. Este acabou sendo um local propício a pratica sexual.

O fato é que das últimas vezes que frequentei este local, presenciei assaltos ou no mínimo tentativas deles. O lugar (não sei se você conhece rs) é isolado e tem potencial para ser perigoso! Mas qualquer um que se proponha a frequentá-lo assume estes riscos (pelo menos eu os assumo).

O que acontece é que ANTIGAMENTE este local era mais “seguro”. O máximo que encontrávamos eram usuários de drogas que nunca incomodavam ninguém, por isso ele acabou virando o point que virou.

Nos últimos tempos existe um volume muito grande de assaltos neste local. Os assaltantes geralmente estão portando facas e simulam estar armados (só simulam mesmo). Nunca me assaltaram, e no dia em que tentaram eu o enfrentei e acabei o botando pra correr.

NÃO ME ORGULHO DISSO, depois fiquei cagando de medo do cara vir atrás de mim, pensando na merda que poderia ter dado caso ele estivesse armado ou tivesse coragem de me fazer algum mal (maior). O fato é que eles levam muita coisa de muitos caras que também frequentam este lugar. E não é só de gay não, gente que tá caminhando na área também, eu já presenciei isto ou já ouvi outras pessoas comentando.

Muito chato tudo isso, né? O grande problema é que não tem nem como pedir para aumentarem o policiamento, uma vez que as pessoas que fazem sexo em público lá também cometem o crime de atentado ao pudor. Acabariam todas no camburão.

Alguém mais continua frequentando o local e pode me informar se percebeu essa mudança? Eu mesmo nunca passei nem perto do Final Feliz, tenho medo de enfiarem alguma coisa na minha boca naquele escuro.

Me imagino chegando lá e acontecendo isso:

enfia

O fim de uma Era… [Comunicado]


Tá, o título tá exagerado, mas conseguir manter um projeto semanal de quinta-feira numa cidade como Vitorinha, que morre em qualquer outro dia que não seja fim-de-semana (sem feriado), é um marco na sociedade. Ainda mais com o triste fim das boates GLS inauguradas recentemente. “Fatalidades” sobre as quais más línguas dizem fazer bater muitos tambores pelos bairros mais misteriosos da Serra.

Mas misticismos à parte, a ideia já nasceu para ser temporária, deu bafão e ferveu um pouco mais às noites da capital. Qué dizê, conseguimos o que queríamos.

Agradeço os envolvidos no projeto, como a produtora Antimofo, o Dj André K-lçada, o Wanderley, os barmen, os seguranças, as tias da limpeza… porque, vou te contar, tem que ser paciente pra aguentar as gays mais nervosas, elas são abusadíssimas!

E, por fim, dou o mérito à produtora MassaCult pela ideia genial de uma noite LGBT na quinta-feira e de todo apoio dado a nós durante o andamento do projeto.

É isso (*lágrima nos olhos*)… Adorei conhecer todas as bills que bateram cartão – e as que só foram de vez em quando, mas que foram tão simpáticas quanto -, vocês vão ficar no kooração da Max pra sempre, tsá?

Ah! E pra vocês que estão se perguntando por que não houve festa de despedida…  Pensem… #apenas

Be right back

A Ink Lounge fechou


É oficial: desde ontem, a boate Ink Lounge, na Praia do Canto, deixou de existir. Ao que parece, o motivo do fechamento foi um problema burocrático em relação ao espaço da boate. Apesar da imobiliária responsável ter dado até o fim do mês para desocupação, o proprietário preferiu utilizar-se deste tempo para deslocar os materiais e equipamentos. Ou seja, a festa do fim de semana passado foi a despedida da Ink, quem foi, foi, quem não foi…

Uma pena, um lugar a menos de lazer para o público GLS de Vitorinha.