I Kissed and… (continuação)


tô lokka!

tô lokka!

As beeshosas falam que estão passadas como a minha história, vocês não imaginam como eu ainda estou. E para piorar, o Michael Jackson resolve morrer. Beeshas, sempre fui fã dele e da sua gêmea siamesa Janet Jackson. Uma vez até fui numa festa com um enfeite de mamilo que nem o que ela usou. Abafa, abafa, abaaaaafa. Bem, eu sei que as senhoras estão louquíssimas para saber como terminou a história.  Serei breve!

No post anterior eu parei quando as duas me agarram a força e eu não resisti. Pois é, a ruiva parou de me beijar e me puxou para dentro de um reservado. A loura veio atrás meio que tirando satisfação e eu estava vendo a luz piscar, piscar, psicar. Só senti quando a loura deu um empurrão na porta e entrou dentro do reservado. Pronto, eu que nunca fui para dentro de reservado com bofe nenhum ok, nem eu caio nessa lorota estava com duas rachas. Bees, elas tinham várias bocas e línguas. Era uma coisa estranha, mas muito gostosa – não vou mentir né?

hummmmm

hummmmm

O babado foi ficando quente, mais tão quente que o meu otin foi passando. As duas não paravam e quase sairam no tapa para ser primeira a lamber o meu, digamos, clitóris.  Eu já tinha me entregado e resolver viajar nas monas. Minha sainha estava lá em cima e meu cabelo todo desgrenhado. Quando a fumaça começou a sair do reservado a tia bateu na porta e perguntou se tava tudo bem. Elas dizeram que eu estava passando mal – sempre jogam o podre para cima da trava. Daí a tia disse que ia chamar uma enfermeira, as monas ficaram loucas e dizeram que não precisavam que estavam saindo.  A ruiva se ajeitou e saiu na frente. A loura ainda abusou uns minutinhos e saiu em seguinda.

E vc, Tchynna? Eu fiquei lá, sentada no vaso sem entender nada. O que tinha acontecido era surreal demais para minha cabeça. Devo ter ficado horas cinco minutos lá, me sentindo a estátua de Rodin. Do nada ouvi a voz de uma amiga minha perguntando se a tia tinha visto alguém como minhas característica lá (gostosa, boazuda, turbinada e com um micro-saia). A tia disse que eu estava passando mal e a minha amiga veio ver. Abriu a porta e me ajudou a me recompor.

Tô onde hein?

Tô onde hein?

Lá fora, na pista, todo mundo queria saber o que tinha acontecido. Eu expliquei e falaram que eu estava de zoação. Eu disse que não, que jamais ia inventar uma coisa que pudesse afetar minha fama de pegadora de cafuçus e afins. Começaram a me chamar de dyke, que iam voltar para casa no meu caminhão e se eu tinha carpete na língua. Achei uó! mas, quando me perguntaram se eu tinha gostado, respondi: A-mey!

p.s.: não sou lésbica. tenho várias amigaaaas que são. vou aos sapagodes da vida. jogo sinuca. maaaaas, ainda sou uma travesti heterossexual. e não se fala mais nisso!

10 comentários sobre “I Kissed and… (continuação)

  1. gente essas coisas acontecem aconteceu, kkk
    olha adorei a parte que define bem sua orientação travesti heterosexual
    a-may bjosthcynnaadorovcfinaricaluxo

  2. Ai racha?
    nem por um cacete cravejado de brilhantes,mais se curtiu é o que importa gata!
    a gente tem que experimentar de tudo nessa vida (ou quase) pelo menos uma vez…

    bjomeligaadoreiadisposição

  3. To totalmente curiosaa pra saber quantos centimetros tem o “suposto” clitóris de Tchynna Penedo!
    Haha’

    “Morri” – (Frase de Michael Jackson)

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s