“Sou versátil, mas prefiro ser passivo” – Já pode dar na cara?!


Bate na cama e vira

Eu nem queria escrever sobre versatilidade no Babado Certo, sou ortodoxa e acho que vocês versáteis estragam tudo com essa mania de se adaptar. Mas por outro lado, eu acho ótimo que as passivas quebrem as louças e diminuam a competição pelos ativos.

Diz a Dé que só quem discute esse assunto é passiva, o resto tá cagando pra tudo isso… mas vocês já sabem que se eu colocar no Google “Max versátil“, vai aparecer “Você quis dizer: Paseeeeeva!“… então, estou liberadãm.

O que eu mais vejo entre os comentadores do BC é a premissa “eu sou versátil, mas prefiro ser passivo”. Uhum, é muita Cláudia pra pouca cadeira, a bee come, com muito custo, um koo por semestre e quer falar pra mim que gosta dos dois? Não aceito!

Sou versátil, uso cabelo de lado, com franja, e até rastafari, Max!

O verdadeiro versátil é aquele que “tanto faz” se terá de ser passiva ou ativa na hora do cruzo, ele sente prazer das duas formas e o que vier é lucro. Essa é a verdadeira versatilidade. Não essas versáteis-passivas que sofrem com a dinâmica do mercado atual, falta de ativo e excesso de passiva tentando passar a perna.

Ela pega a gay, come, mas não sai da cama enquanto não for recompensada pelo esforço. Nada mais justo, mas não vem pra cima de moi com essa história de versatilidade. Você é passiva sim, inclusive, passivo também consegue comer, se quiser, bebês, a gente só não curte, mas ninguém perdeu parte do Sistema Nervoso Autônomo! Dizer que é passiva não vai fazer seu pênis cair!

O versátil mesmo nem especifica o que gosta na cama, no máximo ele vai perguntar o que você gosta pra poder estar preparado (afinal, versátil também faz a chuca, néam?). Esse babado de “sou versátil, maaaas…” é coisa de passiva mafiosa, SEMPRE. Pro versátil não tem porém, faz os dois e acabou!

O grande problema está no peso da palavra “passivo” e a discussão que se inicia quando uma bee revela sê-lo, muita gente não entende que a gay só não gosta de comer, mas ela usa a neca pra todas as outras coisas! Aliás, eu ACHO que usam, né, reza a lenda que algumas passivas não permitem nem que o boy encoste no pinto delas, se inventar de chupar então, elas te denunciam pro Supremo Tribunal Federal!

Já disse no vídeo e repito, quando é assim é melhor cortar logo, por mais feminina e transex que a senhora seja, se é pra te comer e nem poder encostar no seu pênis, é melhor comer mulher, que tem DOIS buracos e ainda tem peitos! So much funnier!

Ninguém é mais versátil que eu!

Já o “versátil que prefere ser ativo”, RÁ! Isso é tão inexistente quanto os ativos de Vitorinha, afinal, já tem pouco ativo por aqui, quem dirá encontrar vários o suficiente exigindo ser ativo cá senhora ao ponto de você criar um padrão de gosto na cama.Você é ativo, só não desperdiça o superpoder da sua próstata, quando solicitado.

Nesse caso eu aconselho que digam que são ativos logo, sabem por quê?

Primeiro que se você prefere ser ativo, não vai correr o risco de ter que dar, raramente uma gay vai parar na cama de alguém que diz ser ativo e pedir pra comê-lo. Se acontecer, beleza, dá e pronto, depois come a gay e tá tudo resolvido.

E outra! Vai que você, por uma ironia do destino, encontra um outro ativo, você diz ser versátil, ele te come e você se apaixona? Imagine que inferno astral, você só curtiu dar pra ele, e vai ter que dar pra sempre, ou provocar uma briga toda vez que quiser comer! Já recebi alguns e-mails de umas bee’s que disseram passar por isso e queriam minha ajuda, humpf, tem como ajudar? Não tem, o erro foi cometido lá no início. Foi inventar moda pra dar uma de moderna, e olha no que deu.

Portanto, PAREM de inventar subdivisões que só servem pra complicar a vida sexual de vocês! Prefere ser passivo, diga que é passivo, se prefere ser ativo, diga que é ativo… se na hora der aquela vontade louca, muito louca, de dar/comer, solicite o orgão sexual da gay e pronto. Se a outra não quiser, paciência, você não vai entrar em depressão porque não fez algo que você diz “não fazer questão de fazer”.

E nem me venham com essa conversa de “ah, mas quando estamos com quem amamos, vale tudo”. Meu koo, em 90% dos casos nós NÃO estamos com quem amamos, então o que vale meishmo é o nosso orgasmo.

Passiva com passiva dá risada… será?


Aproveitando que vocês receberam muito bem meu post sobre as passivas mafiosas, vamos continuar a falar sobre essa misteriosa relação entre as cascavéis (com acento mesmo porque eu adoro ditongo aberto).

Reza a lenda que amiga de passiva é sapa, sim, porque do jeito que as sexualidades estão volúveis atualmente, nem os boys das rachas héteros estão imunes à Gangue da Surra de Bunda.

Eu tenho apenas duas amigas passivas… tsá, tenho várias, e como a Dé está morta (vulgo, namorando), das que saem pra pegação comeego são só essas duas: Ariadna e Anwar.

Anwar é a passiva mais peculiar que eu já conheci, não dá pinta (NUNCA, e olha que é difícil eu dizer isso), fala grosso, anda, se veste e se comporta como um típico agá-tê. Mas é tão passiva, tão passiva, que se o boy pegar no pau dela periga dela arrancar um pedaço da mão do bofe com o dente.

Ariadna já é a famosa bee nervosa. Daquelas que roda o rock atrás de neca, visita banheirón, sensualiza com canudo de refrigerante e tem como hobby furar o olho das amigas. O fato de você pegar alguém, mesmo que ele seja a representação física do diabo, já é motivo pra ela catar também. Competitiva.

Entre mim e a Anwar nunca aconteceu de pegarmos os mesmos caras, afinal, nossos gostos são muito diferentes. E quando eu digo diferentes é MUITO diferente, os homens que ele pega eu tenho nojo, e vice-versa. Já a Ariadna tenho que ameaçar de morte pra ela não pegar.

Isso tudo me fez pensar numa lista de tipos de amizade (Best Friend, não foda-amigo, okay?), usando a preferência das gays na cama, afinal, todas as nossas relações sociais são baseadas na possibilidade ou não de se fazer sexo com o outro, néam?

Então vamosh lá:

Upa!

Passiva X Ativo: É a típica amizade de homem com mulher feia, só consegue ser amigo porque não pegaria nem amarrado. Pra todo mundo eles vão falar que é porque um não faz o tipo do outro, mas na verdade são despachos de macumba uma pra outra.

Ativo X Ativo: Total camaradagem, os dois têm o koo quadrado, cheio de espinhos e com o sistema de alarme da Área 51. Sem sexo, consequentemente, amizade 100% verdadeira.

Versátil X Ativo: Conseguem ser amigas de boa, mas certeza que se o versátil ainda não pegou, tá doido pra fazer isso só pra tentar converter o bofe pra versatilidatchy, afinal, versáteis só trabalham na base do troca-troca de favores.

Passiva X Passiva: Pff, a amizade reina, fazem tranças no cabelo uma da outra, falam mal de homem, se montam juntas e sentam na mesa do Cochicho da Penha pra gongar as pintosas. Quebram louça de vez em quando só porque são apaixonadas pela cultura matrimonial da Grécia. Mas fiquem ligadas! Se uma das passivas tem o jeito Ariadna de ser, é cilada, Bino!

Versátil X Versátil: Uma bagunça, são brothers ao mesmo tempo que são amigas de colégio que trocam figurinha da Hello Kitty. Já tentaram se pegar, mas não deu muito certo porque as duas ficaram horas no “zerinho ou um” pra ver quem seria ativa primeiro.

Todas as gays X Héteros: A amizade desenvolve, mas se o hétero for bonito a gay vai ficar mais esperta que um Lince da Montanha, só esperando qualquer mínima pinta que demonstre que o HT queira “experimentar pra saber como é”. Afinal, nós gays pegamos mulher direto e sabemos muito bem que experimentar não muda nossa sexualidade.

Passivas + Ativos + Versáteis X TRAVAS: Rainha, diva, poderosa… e nem ouse dizer o contrário!

Antes que me apedrejem dizendo: “Ai, Max, eu não sou assim”, eu digo que escrevi isso levando em consideração os estereótipos que vocês criaram nos comentários do blog. Então, se você é uma bee clubberübervintagepophipsterchicleteiradeportoseguro, desconsidere a comparação.