Nordeste é a região com maior número de assassinatos de homossexuais


De acordo com um relatório, divulgado ontem, pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), a cada um dia e meio um homossexual brasileiro é morto. Nos últimos cinco anos, houve aumento de 113% no número de assassinatos de homossexuais. Apenas nos três primeiros meses de 2011 foram 65 assassinatos, entre as vítimas, 54% são gays, 42%, travestis e 4%, lésbicas.

Segundo Luiz Mott, antropólogo responsável pelo levantamento, as estatísticas são inferiores à realidade. “Esses 260 assassinatos documentados são um número subnotificado, porque não há no Brasil estatísticas oficiais de crimes de ódio. O estudo também aponta que o Brasil lidera o ranking mundial de assassinatos de homossexuais. Nos Estados Unidos, foram registrados 14 homicídios de travestis em 2010, enquanto no Brasil, foram 110 assassinatos. Além disso, o risco de um homossexual ser morto violentamente no Brasil é 785% maior que nos Estados Unidos.

Entre os estados, a Bahia é pelo segundo ano consecutivo o estado com maior número de assassinatos de LGBT’s, são 29 homicídios, segundo o relatório anual. Com 43% dos casos, o Nordeste é a região que tem mais homicídios de homossexuais e travestis. Levando em conta o número da população, Alagoas é o estado com maior número de morte de homossexuais por habitantes. Considerando as capitais, Maceió é a que tem o maior número de gays assassinados – 9 homicídios; em Salvador foram 8, 7 no Rio de Janeiro e 3 mortes em São Paulo.

Segundo dados do GGB, 43% dos homicídios foram a tiros, 27% a facadas, 18% por espancamento e 17% por sufocamento ou enforcado. Nesta terça, o movimento de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) realiza dois atos públicos para protestar contra as declarações do deputador Jair Bolsonaro.

Clique aqui para ver os resultados completos do relatório.

Crimes por regiões
Nordeste – 43%
Sudeste – 9%
Sul – 10%
Centro-Oeste – 10%
Norte – 10%

Crimes por estados
Bahia – 29
Alagoas – 24
Rio de Janeiro – 23
São Paulo – 23

Luto!


É triste ter que vir aqui e escrever essa notícia, mas é fato. Hoje de manhã, recebi a notícia de que um amigo meu havia falecido e eu por estar sem internet, só fui saber hoje dos detalhes.

Não éramos muito próximos, mas éramos amigos. Um cara, primeiramente, tímido, mas que sabia curtir um rock ao extremo. Acima de tudo um cara bom!

No dia 30/07, o Gazeta online divulgou a seguinte notícia:

Bem, que aquela região de Jardim Camburi é um lugar de pegação, estamos cansados de saber, não é segredo para ninguém.  Se a mochila dele foi roubada, que provas este jornal tem de que ele era um garoto de programa? Vejam bem, não estou dizendo que ele não o seja, eu  não era tão íntima dele assim, para poder afirmar qualquer coisa. Mas sei que lá é perigoso, também sei que crimes acontecem (e muito) naquele lugar. Pra quê dar sorte para o azar, minha gente?

Pelo amor de Deus, estamos vivendo um tempo em que a violência esta banalizada, e nada mais nos choca. Mas, ainda assim, me sinto abalada quando tomo conhecimento da morte de alguém, mesmo que seja apenas um conhecido, principalmente desta minoria que representamos. Hoje cedo, meu amigo veio me visitar e comentou o caso.  Demorou muito tempo pra que a ficha caisse.  E ainda não Caiu!

Fica aqui meu pedido: cuidem-se! Relacionamentos acabam e começam e é impressionante como, com a nossa condição de  homossexuais, ganhamos, interamente grátis, o pacote de carência. Por incrível que pareça, não existe povo mais carente que nós. Ignoramos que temos, também, a capacidade de recomeçar do zero. Está carente, triste, desiludido (a)? Você com certeza não é o único, nem o primeiro, muito menos será o (a) último (a) . Mas, vida, temos apena uma, cuidem dela. Espero que esta triste notícia sirva de alerta para uma reflexão de nossos conceitos, e que esta morte não seja apenas mais uma entre as muitas que já conhecemos.

Agradecimentos; Leo López (ajuda no texto) e @cvettoraci (por ceder a internet, ai q tristeza ficar sem internet!)

A moral transviada do populismo cristão


Quem me conhece sabe que eu amo o filósofo alemão Nietzsche. Aproveitando essas poucas semanas de férias estou lendo uma edição de bolso do seu (recomendo!) ‘Além do bem e do mal‘. Estou falando isso não é pra dar close de intelectualidade não, mas sim para destacar um trecho do livro que coicidentemente casa direitinho com o assunto que eu pretendia falar. O trecho é o aforismo nº 219, do capítulo 7, “Nossas Virtudes”, eshpia:

Click para ver ampliado.

Esse prelúdio nietzscheano é para discutir com vocês a respeito desta questão aqui: a ementa PL 7018/2010 que PROIBE a adoção de crianças e adolescentes por casais do mesmo sexo, criada por Zequinha Marinho do PSC do Pará. É isso mesmo que você leu, ele quer vedar que casais homossexuais tenham direito a adotar, na contra-mão de… de… DA RAZÃO! Vejam a que ponto está chegando a distorção moral do Estado brasileiro. Segundo li, o motivo – é, porque teria que ter um ótimo motivo pra se propor um absurdo desses – de tal ementa é evitar o CONSTRANGIMENTO das crianças e adolescentes adotados de ter pais LGBT’s. Como sempre digo, não podemos subestimar a estupidez das pessoas! Em vez de se combater as causas do dito constrangmento, que eu chamo de homofobia, um representante do poder público prefere que milhares de crianças e adolescentes cresçam abandonados, mofando em orfanatos e depois sejam abandonados a própria sorte na sociedade, sem recursos e educação, a que eles passem por “constrangimentos”.

Por favor, comentem a respeito, estou tão revoltado com essa realidade, movido por um espírito derrotista, cansado de dar um passo pra frente e dois pra trás, e prefiro não terminar o texto com uma mensagem pessimista. Prefiro terminar relembrando de Terence, o menino holandês que canta na TV o ORGULHO de ter pais gays e sua feliz vida familiar:

Brasil, ame-o ou deixe-o?!

Sugestão de pauta de Márcio via e-mail.

O que é um beijinho, gente?!


Recebi um e-mail bem legal do Rodriggo que vou compartilhar com vocês:

Na noite da próxima quarta (30), o programa “Qual é o seu Talento?”, do SBT, será polêmico. Tudo porque dois homens se apresentaram no palco da atração formando uma dupla de dança de tango. No entanto, o que pegou a todos de surpresa foi um beijo gay que deram ao final da performance, de língua.

Jurados e plateia ficaram em choque por alguns segundos, mas depois vibraram com a ousadia dos rapazes. A atração recebeu autorização do SBT e exibirá a cena na íntegra, a partir das 21h.

Cenas de beijo gay na TV sempre geram polêmicas. Na Globo, cogitou-se um beijo na novela “América”, em 2005, mas foi vetada. Já na minissérie “Boca do Lixo”, em 1990, os personagens de Alexandre Frota e Reginaldo Faria apareceram nus em uma cama, mas não trocaram carícias.

Na minissérie “Queridos Amigos”, Guilherme Weber e Pedro Novais ficaram juntos, porém foi no programa “Beija Sapo”, de Daniela Cicarelli na MTV, que aconteceu o primeiro beijo gay da televisão brasileira, em 2006. Posteriormente, a cena foi reprisada pelo “Programa do Jô”, na Globo, quando Cicarelli era a entrevistada. O “Big Brother Brasil 10″ também exibiu selinhos de Dicesar e Sérgio durante as festas que rolaram no confinamento.

Em outro canais, como RedeTV! e no próprio SBT, beijos gays foram exibidos nos programas de João Kleber e Ratinho.

Fonte.

Isso deixa você feliz? Pois a mim me deixa bem triste. Em pleno 2010, uma imagem banal de um beijo entre pessoas do mesmo sexo ainda é visto com tanto tabu neste país. Que tipo de moralidade vive a TV brasileira na qual uma mulhr ficar batendo com a  racha na cara de homens, imagem de pessoas mortas e todo tipo de violência e insinuação sexual desde que hétero são vistas com total naturalidade e um, repito, mero beijo gay ainda causa TANTO estardalhaço. Mor vergonha.

UPDATE – Eis o vídeo da apresentação (o beijo acontece em 2:45):

A grande vergonha chamada Vila Velha


Adoro Vila Velha e amo morar aqui. A vergonha a que me refiro no título é adquirida a partir da última gestão que transformou a cidade nisso aí que aos poucos a vemos se tornando. Logo que lancei o blog, ainda um tanto contido, já mencionava o grande erro que foi a eleição do atual prefeito Neucimar Fraga.  Hoje, infelizmente, vemos que minhas previsões mostraram-se corretas. Além de destruir e jogar no ostracismo o centro comercial da cidade, de acabar com a lei de incentivo a cultura e outras coisas que vemos todos os dias no jornal (hoje mesmo no ESTV, viram sobre o bairro Santa Paula?) . Vamo combiná o que ele fez de bom até agora? Nothing!

Enfim, isso tudo foi só uma introdução para dizer qual foi a última do nosso grande líder político (sim, aquele que enquanto deputado queria criar locais de cura para homossexuais). Longe dele proibir o carnaval na cidade, mas simplesmente não dará absolutamente estrutura alguma para isso, nem de segurança, nem de infraestrutura e os blocos que teimarem em sair, seus responsáveis também se comprometerão pelas pessoas que estiverem participando dele. Resultados: os maiores blocos de Vila Velha esse ano não saem colocando em cheque o já tão fraco turismo da cidade. Fiquei sabendo que vários turistas se hospedaram na Barra do Jucu e que mal sabem que esse ano o Bloco Surpresa não sai. Pergunta: ano que vem eles voltam? Recomendarão a cidade para seus amigos?

E numa aula de laicidade, Neucimar ampliou esse ano o evento cristão ‘Jesus Vida Verão’. E os evangélicos? Veem tudo isso e batem palmas. Nossa atual incapacidade de mobilização política dá nisso… O jeito? Ir para outros lugares, deixar nosso pink money neles. Alguém aí gritou Rio de Janeiro? Serra, Bahia, interior?!