Uma ponte, uma muralha


Intransponível!

As bichas sempre foram muito reclaMONAS quando o tema era passar de Vitória para Vila Velha e vice-versa. Eu achava que era preguiça, mas… porra! Não é para menos! Passar de uma cidade para a outra a noite é uma tarefa que exige muita força de vontade, sorte e aqué.

Sempre achei exagero das gueis de Vitória essa vibe, mas isso porque eu era uma bicha novinha e guerreira, que quando saía a noite ficava até o dia amanhecer e o ônibus regular já estava circulando. Agora que sou uma senhora casada moradora da cidade de Vitória e que sinto vontade de voltar antes para casa, frequentar qualquer coisa em Vila Velha a noite se tornou uma missão impossível.

Nem com transporte alternativo dá!

Durante o tempo que morei em Vila Velha fiz muitos amigas lá – a maioria deles mora em Canela Verde City- e está ficando cada vez mais difícil vê-las, como se elas morassem em um estado longínquo. Nem eles conseguem vir para cá, nem eu posso ir para  lá, simplesmente porque não tem como, não há possibilidade transporte!

Ir de carro não dá, lei seca está aí, nervosa e funcionando, o que é corretíssimo, e as beeshas gostam de um otim, daí já viu. Voltar de táxi é proibitivo por conta do preço: qualquer corridinha pela ponte fica pelo menos 60 contos. Transporte coletivo pode passar ou não e você corre o sério risco de ficar horas esperando com o braço caindo de tanto levantar e mesmo quando um ônibus passar é capaz de ele não parar (em Vitória sabemos que isso é extremamente comum).

Única forma de conseguir ônibus na madrugada.

Bizarramente vale mais a pena você se hospedar do que conseguir se transportar de uma cidade a outra, que estranhamente estão na região metropolitana e não são distantes. Isso é um desafio para as casas noturnas. Esses problemas estruturais fodem com os entretenimentos noturnos, se a pessoa quiser sair tem que ficar com o que tem na sua região, não há integração entre os municípios em período noturno. DESANIMA!

Fico indignadãm!

Nossas cidades estão ficando cada vez mais chatas e velhas por conta de pequenas coisas como essas. É como se tudo fosse feito apenas para que pudéssemos trabalhar, diversão noturna não faz parte das políticas públicas (vide também o caso do ‘Celebration’).

Isso porque nem estou falando sobre a Serra e Cariacica, hein?