Procura-se casa para alugar na Ponta da Fruta


Por motivos de: TERÁ UMA LINHA CHAMADA 666 ligando o Terminal de Itaparica à Ponta da Fruta ❤

Só os iluminati satanistas curtem

Só os iluminati satanistas curtem

meia meia

Clique para ampliar

Essa notícia é extremamente irrelevante, mas vocês não sabem por quantos anos eu sonhei com essa linha do Transcol.

Eu tenho quase uma centena de piadas para se fazer com a relação entre satanás e transporte público, toda vez que eu for pra Ponta da Fruta agora terei praticamente metade de um post já pronto com piadas dessa categoria.

Sem contar o close maravilhoso que vai ser tirar uma foto com esse ônibus vindo na minha direção e a legenda “Partiu, Black House” :X hahahahah.

tumblr_mxvg0xhul51qasdemo4_250

Você já foi abusada no ônibus?


Quarta-feira estava indo pro grupo das beeshas, ou Gepss (Que se vocês quiserem ir, sintam-se convidadas a apareçam no IC-IV às 18h30, sala 21, toda quarta).

Sentei no 507 ao lado de um homem plus size, sim, porque eu gosto de fazer minha boa ação do dia e sei que quem é gordo se sente como aquele rockeiro no clipe Beautiful, da Christina Aguilera

rock rock

Aí tá, apareceu um homem mais velho e parou no banco a minha frente, em pé. Olhei normalmente pra frente, como todo mundo faz pra descansar os olhos enquanto lê, e observei que a neca da cacura tava armada.

link-irado-02e59d7636226fd5fcc8c708acd8552aO primeiro choque foi em saber que um homem daquela idade ainda tinha ereção, mas o mais impressionante foi que ele estava esfregando a mala pronta dele no ombro da racha que estava sentada na minha frente.

Por sorte, ela estava pra chegar no ponto dela e conseguiu fugir do martírio. Mas a viagem mais terrível da minha vida tinha acabado de começar.

O ônibus subiu a terceira ponte e o imundo se posicionou do meu lado do mesmo jeito que se posicionou ao lado da racha.

Começou a fingir usar o balanço do ônibus como motivo pra encostar aquela tripa murcha em mim. No começo eu achei MESMO que fosse só o balanço do ônibus, mas mesmo se eu me afastasse, colocando o ombro pra frente, ele ia com a pélvis até o meu ombro de qualquer jeito.

000003033

Até que ele começou a esfregar freneticamente e minha vontade era a de fazer que nem aquela mulher chinesa que matou o cara apertando os testículos dele. Eu deveria ter reclamado, mas fiquei tão apavorado que a minha única reação foi a de descer do ônibus e pegar o próximo.

Lógico que ao sair soltei um “velho tarado!” bem perto dele.

214_2729-dicesarQuando cheguei no Gepss, o Dé me disse que também já havia passado por aquilo (mas no caso dele o tarado era um boy magia), e que era mais comum do que eu imaginava.

Fiquei curioso em saber como é a reação de vocês diante dessas situações, porque eu já fiz um post sobre isso, mas não teria nem um terço da coragem que a bicha teve para gritar:

“Você vai parar de roçar esse piru nojento em mim ou não? Tá achando que minha bunda é lixa pra você esfregar até gastar, porra?!”

Vocês se afastam, fazem cara feia ou dão bafão e jogam a bolsa no chão? Conta pra mim!

00000111

#Rapidinhas: A solução de seus problemas


Tá preocupada com seu futuro porque não consegue arrumar namorado? Tá com medo de passar o resto da sua vida sozinha criando sete gatos? A Transcarioca tem a solução:

O grande problema é a galera que a gente vê no Transcol nos dias de hoje, né? Tanta gente bonita por dentro que o único que salva é o trocador.

Aliás, eu já falei aqui sobre o quanto eu estou amando essa nova frota de funcionários da Ceturb? Me apaixono a cada viagem, vai chegar um dia que eu vou entrar no Transcol solteira e sair grávida, com um anel de noivado.

Basfond no Transcol [3] – Edição do leitor


A edição desse Basfond do Transcol é de um leitor que contou sua história pras amigas no Facebook e me marcou na publicação. Vamos acompanhar?

Antes de tudo, uma pergunta pras bee’s que fazem Letras-Bajubês: O que é nanã?!

You wanna be on top?!

You wanna be on top?! (brbrbrzzzzz brbrzzzzz: barulho de choque)

Sobre o bafo, adorei a atitude da senhorinha, apesar de achar que esses pequenos momentos de sensualidade só tornam o Transcol um ambiente mais harmônio e interessante, não é meishmo?

Eu mesmo sempre sensualizo com as pessoas que passam do lado de fora, é tipo um hobby. Fico sentado na janela, com meus olhos negros e enigmáticos, até que um boy lá na rua acaba olhando. Aí eu faço aquele olhar de Tyra Banks, na abertura de American’s Next Top Model, e conto quantos segundos consigo fazer com que ele me acompanhe.

Tentem! É ótimo pra auto-estima quando eles torcem o pescoço que nem uma coruja.

Como pegar um Transcol


Uma de nossas leitoras assíduas, sempre muito antenada com possíveis posts sobre a noite de Vitorinha, estava na sua casa, foi até a janela fumar um cigarrinho e deu de cara com várias bee’s utilizando técnicas infalíveis para pegar o Transcol, naqueles horários mais difíceis:

Cachaça é foda, e o pior é que eu super me identifiquei, já fiz posições sexuais INÚMERAS vezes na Orla de Camburi depois de sair da Move… e vou te contar que JÁ consegui carona assim, tsá, bêu abôr!

Pra esses casos, a prefeitura deveria colocar uma placa na frente, escrito assim:

“SENAS” da noite capixaba #14


No Transcol. Dois jovens cafuçús héteros conversam sobre trabalho. Um deles lamenta a falta de emprego com o brother. Diálogo:

– Eu estou lá na Embratel. Lá é maneirinho, tem sempre vagas, o salário é razoável, você pode trabalhar a noite e tem vários benefícios.

– Eu não! Lá só tem emo, bicha e sapatão.

– Ai, nada a ver…

Minha reação:

“Não sei de nada…”

BAFÃO: Rebuceteio no Terminal de Vila Velha


Aconteceu no domingo:

Iza sensualizando na Pool Party

Segundo testemunhas oculares, várias sapas estavam curtindo a festa Black House, na Prainha, que diga-se de passagem, depois que saíram do Ibes e mudaram pra lá, tenho escutado ótimas críticas quanto ao local.

Acontece que uma das sapas desse grupo de anfíbias começou a dar em cima da namorada de um boy hétero que estava lá, o lugar ficou pequeno e uma briga coletiva se iniciou. Até porque, a gente sabe como é sapa quando briga, não querem nem saber quem tá errado, já chegam de voadora e garrafa quebrada na mão. A graça está em liberar a testosterona acumulada.

Fujam!

Enfim, provavelmente essa sapa foi expulsa do evento e, puta na paulista, saiu com todas as suas amigas em direção ao ponto de ônibus… Lembrando que esse grupo somava a quantia de 20 fanchas… PENSE no perigo!

No ônibus, todas as vinte pularam a roleta, e o motorista, indignado, se negou a seguir viagem.

Resultado: 20 sapas viradas no Saci pulando amarelinha, quebrando tudo dentro do Transcol!

Obviamente o motorista foi até o Terminal de Vila Velha e chamou a polícia. Aí o bicho pegou, com direito a agressão física, algumas prisões e muito pacote de Sal Globo para conter os ânimos.

Depois falam que o mundo vai acabar esse ano e ninguém acredita nos sinais… quem nunca ouviu falar dessa passagem:

As rãs sugiram no Nilo e em outros volumes de água, vieram do lodo dos pântanos, local onde as águas brotavam. As pragas das rãs infestavam o Egito, adentrando nos cômodos, nas camas, fornos, tigelas, não só das habitações do povo Egípcio, mas também do Faraó e de seus oficiais.

Êxodo 8.1-15

Elas estão só começando…

Como saber se você está na seca


Quem nunca ficou muitos meses sem sexo e se pegou se esfregando no travesseiro enquanto dormia? Super normal, agora, quando essa seca passa a te acompanhar em todos os lugares… tá na hora de cogitar a possibilidade de comprar um vibrador:

Como disse um comentador: “E assim nasce um Transformer”. hahaha

O vídeo é de 2011 SIM, é old SIM, eu não conhecia MEISHMO, e eu vou postar nesse garáleo:

Dica do Felipe

Basfond no Transcol [2]


Cô licença, moça, posso me sentar ali... no teto?

Quanto amor é o Transcol, toda semana acontece alguma situação engraçada e desconcertante envolvendo as bee’s.

Dessa vez foi no 507 hoje de manhã. O 507, como vocês sabem, é um samba do crioulo doido pela manhã, é estudante da Ufes, pedreiro, recepcionista, mãe de família (COM a família inteira), velhinhos pegando 507 achando que vão parar no Hospital das Clínicas, e gente de todo o tipo.

Hoje eu, por incrível que pareça, consegui ir sentado. E ali fiquei, com meu oclão e o carão atento a tudo… entrou uma bee pocket-trava (daquelas super descoladas que usam cabelão loiro platinado e max bag “unissex”), parou no corredor, que já estava lotado, e ali ficou.

Ai mi sóuri, leidi

Pode ser muito complicado para uma bee ser encoxada no ônibus, o heterozinho pode não curtir o reflexo de rebolada que a gay tem quando sente a virilha do boy pela calça jeans, acabar em discussão, e todo mundo sabe que nós sempre somos os errados diante do argumento do “eu sou macho, porra, acha que eu vou ficar relando em bunda de viado?”

Por isso, para evitar, a gente costuma dar aquela viradinha de lado ou uma trancada no edi, pra que nada encoste em nada. A gay fez a mesma coisa, eu a vi tentando evitar o velho tarado que se aproximava, com mais dois amigos.

Só quando tô de bom humor

Ele parou atrás da bee, com a desculpa de que não tinha como andar (e realmente não tinha mesmo hahaha), virou pro lado dela, armou a peeca, e ali ficou roçando como quem não queria nada. Até então eu pensei que ele estava super desconfortável naquela posição, incomodado.

Mas nada disso, ele olhava pros amigos e ria, como se estivesse dizendo “Tô encoxando a bichinha, olha lá ela gostando”.

E a gay começou a ficar poota na paulista, e aposto que só ficou porque o cara era mais feio que bater em mãe. Se fosse bonitinho, certeza que carimbaria o telefone do celular dela na neca do boy.

Mas o tarado não parava de se esfregar, e a fúria de Marimar começou a se manifestar na pocket-trava… a gay perdeu a paciência, virou e falou pro ônibus inteiro ouvir:

“Você vai parar de roçar esse piru nojento em mim ou não? Tá achando que minha bunda é lixa pra você esfregar até gastar, porra?!”

Eu e todo o ônibus rimos em coro, e o tarado logo deu um jeito de saltar no próximo ponto, todo envergonhado.

Sai vazado, véi!

Basfond no Transcol


O sonho de consumo de qualquer bee mentalmente sã

Rá, gatas, peguei um Transcol hoje para ir à Ufes, néam? Normal, certeza que a maioria de vocês faz o mesmo diariamente pra pegar no batente.

Estava eu dentro do 501, num sol do caralho, liiiiiind… é, estava eu no 501, num sol do caralho, e quando chegamos no Shopping Praia da Costa, entraram dois rapazes:

Um bombadinho, másculo, branco, olhos claros, cabelos pretos… mas viado. Porque a gente sabe, pode ter o corpo inteiro de homem, o jeito de homem, mas se bater o olho no olho, a gente sabe que é viado. Boi preto reconhece boi preto e o nosso gaydar é tão apurado que se o boy olhar demais ele vira pedra, igual na história da Medusa.

Tente não manjar

O outro, um loiraço de 1,90m, a cara do Sawyer do LOST, sem camisa, só de bermuda cargo, cabelos curtos, olhos azuis, sonho de consumo de qualquer bee. Certeza que se você visse o boy daria “oi” de costas pra ele.

Terceira ponte vai, terceira ponte vem… e o bombado começa a olhar pra neca do loiro. Olhou, desviou o olhar, e continuou olhando pra frente. Depois de novo, e mais uma vez.

O loiro, muito do desconfiado, olhou para a própria neca e depois para o bombadinho… pensei: “Ui, vai rolar uma pentada”. E o bombado também, tanto que começou a olhar freneticamente para a neca do loiro… porque será que esses encubados são sempre passivos? É desanimador.

O loiro deu sinal e chegou ao seu destino, mas na saída…

Esbarrou no bombado com força e gritou em alto e bom som:

Vai manjar a rola do capeta, viado!

BEESHAS! O transcol INTEIRO parou na cara do bombado, ele ficou rosa da cor do meu edi e saltou no próximo ponto, todo constrangido.

É por isso que eu digo, bee’s, pegação no Transcol é como ir a um baile funk, as chances de você foder são as mesmas de você SE foder.

NHAC!

Caraca, moninha, que isso?!


Olha, ou eu estou muito gostoso – e nem estou em minha melhor forma, ao contrário longe disso – ou essas bees estão MUITO saidinhas – o que eu acho BEM mais provavel. Até eu ando me chocando com os flertes agressivos que elas tem dado no meio da rua com o sol do meio dia rasgando o cérebro da gente e pra me chocar é difícil, hein.

Só essa semana foram três. Numa delas eu descia do Transhca inocentemente e quando passei por um cafoo dumda ele virou e deu aquela clássica chupada barulhenta nos lábios “shhhhhhhhhh” e me mandou um olhar de volúpia! O.O Só faltou cantar ♫ “delicious delicious this way you gonna kill me...”♪

Minha cara quando essas coisas acontecem...

Bizarramente neste mesmo dia um cara (passiva, certeza!) teve a audácia de me abordar na rua e falou na maior cara de pau “Desculpa chegar assim, mas eu queria te dizer uma coisa, posso?”, pensei “lá vem merda”, e ele “você é muito gostoso sabia, adorei este seu estilo rock’nroll (?)”. Quando falei que era comprometido ele deu um mini piti ainda, acreditam?

Eu pensei que já tinha ganhado minha semana, estava com a auto-estima lá nash picash, até que ontem estava no trashca (sempre), mas dessa vez com meu boyfriend. Porém o ônibus estava tão lotado que nos separamos ele ficou antes e eu depois da roleta.

"Me dá seu corpo nu!"

Lá tinha um boyzinho – esse, enfim, bonito – que eu olhei de boa pra ele e ele já veio com aquela cara maliciosa. Disfarcei. Desci do bus no terminal e quando desceu o boy veio convicto em minha direção com aquela cara de “eu quero seu corpo nu”. Apavorado disfarcei daquele jeito…

Gente, o que está acontecendo em Vitorinha?! Dormi um década e as coisas mudaram assim? Eu que fui sonso e nunca percebi? São os hormônios que colocam no frango? Hoje, no Globo Repórter… [que piada velha, comecei o ano com piada velha]

Me respondam: elas que estão safadjeenahs mesmo ou é meu corpo evidentemente sensual que provoca este tipo de volúpia irresistível nos boy de tanta sedução, de tanto sex appeal que tenho?

quédizê.

Como tornar o transcol mais interessante


Calma, deixa eu afastar pra você passar

Calma, deixa eu afastar pra você passar

Tirando as ricas, 98% das leitoras aqui trabalham ou estudam longe de casa e precisam pegar o transhca pra chegar ao local.

O problema é que Vitorinha está crescendo, a Copa tá chegando, e a gente precisar encher o garáleo todo de obras pra receber os turistas, resultado: Trânsito infernal.

Então, o jeito é fazer alguma coisa para passar o tempo… algumas lêem um livro, outras estudam pra prova que vai ter daqui a uma hora, e as mais fervidas aproveitam pra catar um bofe proletariado no balanço do busão. Mas a unanimidade é o bom e velho MP3.

As gays colocam o set do DJ Paulo Pringles e vão de casa até o trabalho dublando as divas. Só que… por que não tornar isso MAIS interessante? Cata o vídeo:

Vou te contar que eu prefiro ouvir músicas mais calmas no caminho pra Ufes, tipo uma Corinne Bailey Rae ou Carla Bruni. Mas com esse vibrador, melbeim, eu toparia até ouvir Smells Like a Teen Spirit do Nirvana.

Inclusive, eu estou pensando aqui numa série de músicas que poderiam ser agradáveis com a vibração… imagine aquelas músicas do Olodum, repletas de batucadas, menina do céu, acho que peço arrego!

SENAS da noite capixaba #7


Contam que no meio desta semana estava uma bee – destas bem másculas de boca fechada que ninguém diz que é, sabe? – no ônibus municipal de Vila Velha, o Sanremo – o famoso “verdinho” -,  quando um trio de evangélicos começam a pregar. Adivinhem? Sim, começaram a meter o pau no “homossexualismo”. Vira e mexe voltavam ao assunto e a guei foi se irritando, foi se irritando… daí ela não agüentou mais!

Ela cresceu e foi pra cima deles. “Vocês evangélicos são todos alienandos“, falou gritando, “enquanto estão aqui andando de ônibus o pastor está de carro importado“. “É por isto que eu estou estudando pra ser pastor“, falou um dos homens evangélicos. “Capitalista, Jesus não pregava a humildade?!“. Os crentes com cara de “ih, deu merda“, tentavam acalmá-lo “calma, meu senhor”. E ela sem tombar pra eles “Não sei porque se preendem ao antigo testamento, já que Jesus no novo trás como base o amor e a tolerância. Se querem saber sobre a homossexualidade leiam artigos científicos sobre o tema e não criem preconceitos com base no que diz um homem ridículo e ignorante”. E a bee foi falando várias coisas e os crentes cada vez mais apavorados. Não esperavam a reação.  “Moço, vamos na nossa igreja pra conhecer nossa doutrina!“. A viada respondeu já dando sinal e descendo “Só se vocês forem na minha primeiro. Muah!

Não pude evitar!


Lembram que em 1845, nos primórdios do blog, dei dicas de como flertar no Transhca e garantir a sua bimbada do dia? E vocês sabem como é essa coisa de hábito, né? A gente se acostuma a flertá e depois fica fazendo por esporte. Ontem, estava eu no terminal e bem saquei um cafuçú alto, peludo e aparentemente maludo, e fui ficando nervosa. Comecei a jogar todo meu charme e o cara nada de corresponder. Enfim, fique sacando ele até meu ônibus chegar. Inexperadamente ele entrou no mesmo veículo que eu. Continuei sensualizando no busú, pois não estou morrrta. E o bophe lá, impassível. Seguiu a viagem de 30 minutos e eu lá tentando. Eu estava indo numa reunião a trabalho e já estava atrasado, diga-se de passagem. Quando desci, bee, a outra desceu também, daí catei que ela estava me seguindo fazendo a discreta. Ele mega recatadamente, olhou meio de longe todo querendo, mas eu sai correndo como louca pra onde seria a reunião. Fiquei péssimo – por dentro!

Gato, se você estiver lendo aqui, desculpa, tá?

Oops!… I did it again!