Que tal um teatrinho hoje?


Hoje tem uma excelente peça com temática gay DE GRAÇA. Vamos aproveitar, sabe como é Vitorinha, quando tem algo tem que aproveitar porque sabe se lá quando, e se, vai ter de novo…

A obra apresentada é Luis Antônio Gabriela.

Imagem

A história? É essa:

O diretor Nelson Baskerville coloca em cena sua própria história, no qual o irmão mais velho, homossexual, Luis Antonio, desafia as regras de uma família conservadora dos anos 1960 e parte para a Espanha sob o nome de Gabriela.
A história tem inicio em 1953, com o nascimento de Luis Antonio, filho mais velho de seis irmãos, que passou infância, adolescência e parte da juventude em Santos até ir embora para Espanha aos 30 anos. O espetáculo foi construído a partir de documentos e dos depoimentos do ator e diretor Nelson Baskerville, de sua irmã Maria Cristina, de Doracy, sua madrasta e de Serginho, e narra sua história até o ano de 2006, data de sua morte em Bilbao onde vivera até então como Gabriela.

Veja o teaser da peça:

Serviço:
Luis Antônio Gabriela
Onde? Teatro Carmélia
Quando? Hoje, 02/07, terça-feira.
Que horas? 20 horas.

Transfobia: Uma realidade mais que real


Karem ou Cacá, só não é mulher no papel.

Cacá só não é mulher no papel.

Karem ou Cacá, é moradora e paneleira num galpão em Goiabeiras, Vitória/ES. No final do ano passado, sua matrícula foi recusada para um curso do Programa Nacional Mulheres Mil, realizado no IFES, e voltado para paneleiras. Foi recusada pois, para os órgãos oficiais, Carlos Alberto da Vitória, nome masculino é o que consta nos documentos da transexual.

Maria José, educadora que coordena o curso no campus Vitória, tentou a inclusão de Cacá até na coordenação em Brasília, mas sem sucesso. A solução veio do IFES que, com recursos próprios, decidiu oferecer para Cacá não só o curso, mas a mesma bolsa que as demais alunas receberiam.

Entretando, Cacá declara: “Fiquei chateada. Nunca imaginei que seria recusada”, conta. As amigas não queriam que ela desistisse, optou por não fazer o curso. “Quando eles decidiram já estava muito em cima da hora. Não tinha nem como conseguir os documentos”, lembra.

E o que Tieta, no ápice de sua sabedoria em 1989, tem a nos dizer sobre isso??

Recusar-se a garantir que pessoas transexuais sejam tratadas da mesma forma que as outras pessoas é uma forma de discriminação indireta baseada em preconceito infundado. Todos somos iguais. Seja aos olhos de Deus e, principalmente, aos olhos da Lei. Parabéns, Cacá, por mostrar a cara!

Fonte: http://migre.me/e1QQz

Becoming Bernardo: Transex capixaba relata sua transição


Sempre achei lista de e-mails uó, mas depois que me juntei ao Fórum Estadual, Grupo Plural, entre outros, venho recebendo muita informação boa, acho importante a divulgação e participação nesss movimentos. O blog pertence a um transex capixaba que está em período de transição de garota para garoto

Bernardo Ribeiro, 20 anos, capixaba. (…)  Esse blog é um registro das mudanças físicas e psicológicas que acontecem comigo durante a hormonização. Comecei o tratamento hormonal no dia 11 de maio de 2012. Quem quiser saber mais, pode me perguntar qualquer coisa, ler essa entrevista que fala bastante sobre minha vida ou dar uma olhada nas perguntas frequentes.

Esse tipo de publicação não é comum e por este motivo torna-se tão importante para nós, este relato pode ser considerado serviço de utilidde pública. Quantos meninos e meninas, ao ler esse tipo de texto consegue enxergar que não é diferente, qu não está sozinho. Só digo uma coisa: ACESSEM, ACESSEM e ACESSEM!É só clicar AQUI.

Ui, estão com medinho?!


Cata que notícia bizarra:

Tem causado polêmica na Bahia a presença de uma transexual entre as participantes do concurso Miss Bumbum 2012. As candidatas ao título Dani Katty, Mulher Perereca, Mulher Jambo e Mabelle realizaram na última quinta-feira, 23 de agosto, um protesto contra a participação da transexual Amanda Sampaio no concurso.

As quatro foram às ruas da capital baiana mostrando o principal quesito do concurso e carregando uma faixa com os dizeres: “Organizadores do Miss Bumbum: na Bahia tem mulher bonita, não precisa de transexual”. Mas os idealizadores do concurso já defenderam a presença da transexual na disputa dizendo que não há nada de errado na participação dela.

Hauhauhauhauhauhauhua! Estão trancando o edí – sem trocadilho – porque não cumprem o requisito! Afinal, se estão protestando é porque a água está batendo na bunda – ops. Todo mundo sabe que as nádegas masculinas são muito mais bonitas que as de mulher, não têm estria, não têm celulite. E por mais que Amandjeenha Transh hoje seja mulher, a genética ajuda, né, bebês?!

Go, Amanda! Tomba as racha tudo!

“chora no edí, beu abôr!”

Fonte: Mix Brasil.

“Deshculpa, mas eu sou b-u-c-e-t-a: BUNITA!”


Após passar em uma banca e ver que já está publicada a edição especial da Playboy com a trans mais popular da atualidade no país, a Ariadna da última edição do BBB, fui obrigado a baixar para ver o resultado.

"Sexy!"

Que?! Não sei vocês, mas não tive sensibilidade estética pra entender a foto acima.

Olha, de maneira geral, achei que eles não mostraram muito o que o país todo queria mesmo ver que é a racha da ex- sister (só tem duas fotos e de um ângulo bem ruim). Além disso, achei as fotos mal tratadas e o ensaio pouco conceitual. Como diria minha amiga @bicha_rica, achei pobreza. O que está acontecendo com o Playboy, Brasil? A internet tá falindo vocês, seuslindos?

Baixem aí, vejam o resultado e dêem a opinião.

Dica do dia: Ariadna’s Coiffeur


O Jornal paulista Meia-hora continua fazendo meu final de noite feliz, a piada já é conhecida, mas o que vale é a intenção:

O jornal ainda brinca e justifica a dica para a trans, com o seguinte argumento: “Mas, se houver uma reviravolta, nós damos a dica para transexual ganhar dindim. Um bom negócio é abrir o salão de beleza ‘Ariadna´s Coiffeur’. Assim, a cabeleireira chega bem perto do sonho que realizaria caso ganhasse a bolada do reality: ser dona de uma clínica de estética.”

UPDATE: Depois que o site Mix Brasil, publicou uma crítica a matéria do “jornal” sensacionalista, o site do Meia Hora retirou a imagem, porém o texto continua, com algumas alterações, oferecendo inclusive alianças pro futuro casamento da ex-bbb…

Trans vão poder usar nome social


Decisão é comemorada por frentes LGBT

 

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado aprovou, quarta-feira passada, o projeto de lei PLC 72/07, permitindo que transexuais alterem o registro de nascimento para incluir seu nome social na certidão.  A nova hipótese trazida por este projeto, apresentado em 2007 pelo então deputado Luciano Zica, tem como objetivo adequar o registro contido na certidão de nascimento à realidade do transexual.

Estados como Rio de Janeiro e São Paulo já possuem leis locais que permitem, transexuais e travestis, tirarem documentos com o nome social. Em São Paulo, “trans” podem, utilizar o nome social na matrícula escolar e na chamada em sala de aula. Agora o projeto vai para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. A votação foi comemorada por representantes de entidades de defesa dos direitos dos homossexuais. O senador Cristóvam Buarque (PDT-DF) se dirigiu aos manifestantes e pediu “desculpas pela demora na aprovação do projeto”. Atualmente, a lei de registros só permite a mudança do primeiro nome – determinada por decisão da Justiça. Segundo argumentou o autor da lei, garantir aos transexuais a possibilidade de mudar seu prenome por um nome social na certidão de nascimento deverá livrá-las de situações constrangedoras e equívocos legais.