Anitta: o futuro da música pop brasileira?


Orfãos de Kelly Key – a última grande diva pop que o Brasil teve – vocês ainda tem esperança e ela se chama Anitta. Corre nas redes esse bapho: ela seria a promessa do verão brasileiro de 2014 e que veio pra ficar e pra tombar até virar evangélica. Mas será que vinga? O que você, leitora entendedora, acha? Sabe como é, nós gays enguemos impérios da música pop como fazemos ruir em um estalar de dedos. Pessoalmente, eu achei delicinha, achei dançante, achei sexy, achei sucesso na BILLboard. Só botar aquele remix pesado e babadeiro e quebrar tudo na muatchy!

Cata o poder da racha:

Enfim, se vai bombar ou não eu não sei, mas na dúvida já vou aprendendo a coreô. Tchau!

Anitta, funk, pop, Brasil, babando, show das poderosas

Somos todos transexuais!


“Sou trans e você?”

Li que o superstar pornô gay François Sagat, no documentário sobre sua vida, abre seu coração e de certo modo desglamuraliza a idealização do universo das mega-indústrias de produção de materiais adultos. Entre várias coisas, ele diz, por exemplo, que é incapaz de amar. Mas o que me chamou a atenção foi isto aqui:

Ao mesmo tempo, ao descontruir o ator pornô como ícone do sexo, François também nos mostra como este ideal é construção. Ele era uma criança afeminada, sofria bullying na escola. Contra isto, ele construiu uma imagem supermasculinizada, horas de academia e a aplicação de testosterona. Ele diz algo intrigante ao assumir que se considera um transexual, pois procurou a imagem que o satisfazia e achava adequada para o seu corpo.

Gente, daí eu comecei a refletir e pensei como isso acontece com todos nós, especialmente com nós gays. Partindo da lógica de que transexuais são aquelas pessoas que acreditam que sua identidade sexual não é compatível com seu corpo biológico e que por isso na maioria das vezes fazem intervenções sobre ele para adequá-lo àquela condição, podemos dizer que todos nós temos um devir trans.

Dou-me como exemplo. De certo modo me enxerguei no que disse Sagat, dadas as devidas proporções. Eu gosto de estar barbudo e usar um estilo mais boyzinho certinho, digamos assim. Isso é totalmente compatível com o que busco no sexo e no parceiro, pois curto aquela pegada cheia de testosterona, pelos, pegada bruta vindas de ambos os lados.

Assim também é o Max, por exemplo, em que a natureza privilegiou com uma androgenia natural, mas que ele exagera com recursos artificiais (corte de cabelo, roupa, maquiagem). Ele poderia aplicar testosterona e virar menininho, poderia aplicar estrogênio e virar menininha, mas ele optou – aí sim é uma opção, diferente da sexualidade – por uma questão de identidade e de realização pessoal. Assim como ele, eu e você.

“A gente faz de um tudo”

Aquele rapaz da academia que malha como doido, aquele que nem liga e come pra ficar gordinho, aquele que faz o corte modernete, aquele que tatua um dragão nas costas, aquele que usa óculos de aro grosso, aquele que raspa o peito, aquela sapa que parece um sapo… Todos estão passando uma mensagem ao mundo e alguns signos tratam de questões ligadas a preferência sexual, basta lê-los. No fundo, tentamos parecer aquilo que queremos que as pessoas creiam que sejamos. Claro, que tudo ditado pelas relações que compartilhamos com nossos convivas e pela cultura de nossa época.

Aliás, o poder de artificialidade está bem representado no trabalho do fotógrafo francês Leland Bobbé intitulado “Metade-Drag”. Nele, drags foram fotografadas com apenas metade do rosto maquiado. Chupa (tape metade do rosto nas imagens e veja a diferença):

Veja mais fotos clicando aqui.

Rihanna, é você?!


Vazou uma nova versão para o clipe “Where have you been”, da Rihanna, com cortes do diretor… MENTIRA! É mais uma delícia daquelas paródias toscas vindas do outro lado do globo para nos assombrar. Então, gatchãn, se joga numa pilha de folhas secas, dá play e dança cagente. OOHOOL:

A dúvida que povoa nossas cabeças ao ver esta maravilha é uma só: afinal, a partir dos 0:13, é uma folha enrroscada no cabelo dela ou um brinco?

E a Miss ES Gay 2012 é…


…sim, é Sheyla Veríssimo!
O site Gazeta Online revelou o que aconteceu nesta noite de glamour e riqueza em Vila Velha, qüenda:

O Espírito Santo já tem sua candidata ao Miss Brasil Gay 2012. Segundo a organização, Sheyla Veríssimo, que é do Rio de Janeiro, representou o município de Domingos Martins e levou a melhor entre 10 candidatas que disputavam o título.

O concurso e coroação foram realizados no Cerimonial Platinum, em Vila Velha, na madrugada desta segunda-feira (30). Em agosto, a vencedora vai para Juiz de Fora, em Minas Gerais, tentar o título nacional.

Esta será a terceira vez de Sheyla no Miss Brasil Gay. A candidata já obtém os títulos de Miss São Paulo 2011 e Miss Piauí. Inclusive, o vestido de R$ 17 mil usado pela Miss ES Gay 2012 foi o mesmo que ela vestiu no Miss Brasil 2011, quando representava o Estado paulista e usava o nome de Sheyla Xiss.

E aí,  olhando as outras candidatas…

Clique pra ver ampliada.

…vocês aprovam a escolha da miss de 2012? Eu achei justo, mas tenho minhas dúvidas se ela leva o prêmio em Juiz de Fora. Mas vamos torcer, né?

Mais fotos do evento no site Happy Hour, do Folha Vitória.

P.S.: Mais alguém achou ela A CARA da Chica Chiclete novinha?

Neideing me


Gente, olha que legal! Esse rapaz hétero (hauhahauhauahuahuahuahuahuhaua) fez um daqueles vídeos em que a própria pessoa faz todos os trabalhos musicais, edita e junta tudo depois com os clássicos da Neide: “Crazy”, “Oops… I Dit it Again”, “Circus”, “Toxic”, “Womanizer”, “Piece of me” – minha preferida de longe – “Hold It Against Me”, vulgo “oh oh oh oh” e outrash… Qüenda:

Será que ainda dá tempo de eu aprender música ou já estou cacura demais? Quero fazer o mesmo – sou invejoso!

Aliás, vendo assim as músicas de BritBitch a gente até lembra porque ama essa racha louca, né?

Vi no PapelPop.

Olha lá, você e suas amigas…


…no Terminal esperando o Transhca pra se jogar na muatchy! O jeito, beu abôr, é inventar alguma coisa pro tempo passar:

HUAHUAHUAHUAHUHAUHAHUA! DIIIIVAS.

Por favor, alguém dê instrumentos de verdade pra elas. Bitches, elas têm que fazer uma bandinha! E posso falar? Melhor que estes shows bate-cabelo tudo igual de hoje em dia, hein? Já quero Leslly, Isabelle e Kyara (xará da minha cachorra)!!! ♥

Kelly Key, é você?


Lembra que falamos aqui sobre o lançamento do novo clipe da Kelly Key agora de olho no mercado internacional? Então, cata:

Posso falar? Quero te dar, quero te dar, dá dá dá dá dá dá dá dá dá E não é que ficou magia o clipe? Tá básico – muco platinado, pegação, um monte de gente fazendo coreô… -, mas ficou bem divertidinho.

Não sei se eu estou preparado pra viver em um mundo em que Kelly Key é diva pop in the world, mas já quero me jogar na boate ao som desta música. Já tá tocando, gente? Lógico quem não supera e nunca superará a clássica, néam?

E vocês, curtiram a nova fase de Kellinha?

Versão gay de “Last Friday Night”


Katy Perry sempre terá o mérito de, ao lado de Rebecca Black, ter dado um hino para nossas sextas-feiras… É claro que quando se tem diva pop + hit + fãs gays, o resultado só pode ser as versões viadas dos clipes no youtube que tanto amamos, néam?

O responsável por essa versão é Michael Chase. Ele tem 26 anos, é ator, cantor e intérprete da linguagem dos  sinais inglesa.

Vem ver, gente!

Já pode arrancar o aparelho e acordar no outro dia com um boy magia desconhecido pelado dormindo em sua cama? Não, essa não é sua vida, essa não é sua realidade. Fique feliz se conseguir um kati no Final Feliz, tsá? #gaydadepressão.