União civil entre casais do mesmo sexo: um sonho possível?


Lembram daquela matéria que postamos aqui sobre adoção de união civil entre casais homossexuais pela defensoria pública aqui do estado? Li em alguns sites e blogs LGBT do país a respeito de uma procuradora-geral da República – Deborah Duprat – que está propondo ao Supremo Tribunal Federal dedução de descumprimento de preceito fundamental, com pedido de liminar e de audiência pública, para reconhecimento da união entre pessoas do mesmo sexo. Ela afirma que quer que aos parceiros homossexuais sejam dados os mesmos direitos e deveres dos companheiros em uniões estáveis, já que, ao negar o reconhecimento deste tipo de união, o Estado alimenta e legitima uma cultura homofóbica. Arrasou! Saibam tudo sobre o assunto no blog Bota Dentro.

O babado tá ficando tão forte, que minhas esperanças estão começando a reacender e poder constituir família com nossos parceiros e parceiras (não esqueçamos de nossas amigas lésbicas, leitoras assíduas de nosso blog babadeiro) se torna cada dia uma sonho mais possível. O assunto já está repercutindo no estado, e o jornal A Gazeta de sábado passado (04/07) publicou uma matéria sobre o tema, leiam (cliquem para ver ampliado):

enviar-de-bc-agazeta-4.7.09Caetano Veloso em uma de suas músicas fala o seguinte: “surpreenderá a todos, não por ser exótico, mas pelo fato de poder ter sempre estado oculto quando terá sido o óbvio“. E não é exatamente o que está acontecendo agora?! A clareza e a sapiencia das palavras da procuradora-geral são sen-sa-ci-o-nais! De fato, o Estado não pode negar aos homossexuais um direito assistido aos héteros baseado no discurso religioso. O Estado não é laico? O Estado não é democrático? Há uma multiplicidade de sexualidades e religiões que não podem ser ignoradas e não cabe ao poder público (por ser público, oras!) subjulgar ainda mais as minorias, deveria fazer exatamente o oposto, gente! Pois o pensamento religioso é irredutível sobre essa questão, não adianta argumentar:

enviar-de-bc-agazeta-4.7.09-3(click pra ver ampliado)

Eu estou muito otimista com tudo isso, não nego, e já passo a fazer planos com meu companheiro, pois várias situações apontam que pouco-a-pouco estamos adquirindo nossos direitos na sociedade:

enviar-de-bc-agazeta-4.7.09-2Sonhemos, amigas, sonhemos. E lutemos!

Agradecimento pela dica e pelo material a Patrick Monteiro.