BOMBA: Homofobia no Gallegão!


Bafo, bafo, bafo! Informação quentíssima de um leitor do blog.

Na última madrugada algumas pessoas estavam sentadas no Gallegão, em Coqueiral de Itaparica, por volta das 4 da manhã.

De repente, passou um carro lotado de pessoas que, enquanto gritavam ofensas de cunho homofóbico, jogaram vários ovos nas bee’s que estavam comendo na lanchonete.

740F3D7356FC40FAA0817B59574A7B76Lamentável! E é interessante que ao mesmo tempo que recebia a informação discutia com um comentador do blog NESTE post, no qual ele dizia que nós temos os mesmos direitos dos héteros.

E agora, senhor comentador Peterson, você acha mesmo que um grupo de jovens sairia das suas casas às 4 da manhã, com uma dúzia de ovos para jogar em pessoas desconhecidas, se aquela lanchonete não fosse famosa por ser frequentada somente por homossexuais?

Se sim, por que eles não jogaram em nenhuma das outras inúmeras barraquinhas de cachorro-quente que existem naquela rua?  Por que escolheram justo a frequentada pelos gays? Cadê a igualdade sobre a qual você tanto fala?

Crimes de ódio contra a sexualidade são esfregados na nossa cara todos os dias, só não vê quem se finge de cego.

Quando um lado da balança pende...

Quando um lado da balança pende…

A lei realmente é para todos, em teoria temos sim os mesmos direitos, mas de nada adianta termos os direitos no papel se eles nos são negados na prática, uma lei só passa a existir quando é respeitada pela sociedade como um todo.

Um gay ou um hétero que são agredidos são amparados igualmente pela lei, entretanto, o que justifica a falta de direitos não é a agressão, mas o que impulsiona essa agressão.

Enquanto esse hétero seria agredido por um motivo plausível, seja uma briga ou uma discussão, um gay é agredido simplesmente por ser o que é. Nesse caso, os meus direitos à liberdade de expressão e o de ir e vir me são negados, porque existem as leis, mas toda a sociedade as ignora e me agride.

Defend_equality_poster_cropped

Pra ontem!

É o mesmo que não ter direito nenhum. Daí a necessidade de uma lei voltada para a criminalização de crimes como esse, assim como foi feito com o racismo.

Essa lei não fez as pessoas deixarem de ser racistas, mas lembrou a elas que a expressão desse sentimento limita a liberdade de expressão do outro, e isso não deve ser tolerado numa sociedade igualitária.

A liberdade de expressão não deve resvalar nos direitos fundamentais do cidadão e na dignidade humana.

1312_1Se um grupo não é tratado pela sociedade do mesmo modo que ela trata a si mesma no geral, esse grupo precisa ser amparado de maneira diferenciada também pela justiça, nossas leis são o reflexo da população, não o contrário.

Apenas:

Laerte-e-o-Sofisma-300x167

 

Laerte-e-o-Sofisma-copy-300x152