DENÚNCIA: Você está fazendo a chuca na posição errada!


Beeshas! Minha vida acabou de tomar outro rumo, depois que vi um site falando sobre a maneira que defecamos e, lógico, fazemos a chuca.

E como nós somos um grupo preocupadíssimo com a saúde e o bem estar do nosso edi, acho importante dividir com vocês essa epifania científica. Solta a vinheta!

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=uBHUISpZfPM]

*Imaginem a aguinha simbolizando a última água após uma longa chuca: límpida como os rios de Bonito – Rio Grande do Norte*

Agora assistam o vídeo abaixo:

Pras que não sabem inglês, eu explico.

Segundo importantérrimos estudos de cocologia, nosso corpo foi projetado para defecar de cócoras, a posição mais antiga já conhecida.

pub ret 33

Isso porque envolvendo o nosso canal retal (o tubo onde a neca se diverte) existe um músculo chamado Puborretal.

Esse músculo é o amigo da beesha que faz pegação em banheiro de shopping, pois ele tranca o começo do Reto e impede que os tic-tacs que a gente almoçou saiam enquanto estivermos em pé com as mãos na parede. Mesmo depois de bater um pratão de strogonoff no Spoletto (olha o merchan).

Assim:

pubret 1

E quando sentamos…

pubboret 3

Ele abre o caminho pra saída do babado todo, como a gente já está acostumada a fazer todo dia.

Entretanto, o site diz que esse caminho não é aberto o suficiente (não sei o seu, né?) e, portanto, essa posição não é saudável para o Reto, por motivos óbvios da figura, e pode causar constipação, colite, apendicite, câncer de cólon e o pesadelo de toda passiva:  AS TEMÍVEIS HEMORRÓIDAS!

AHHHHHHHHHHHHHHH:

01235

Por isso, a posição certa é essa, que deixa livre a passagem:

puboret 2

Com isso, resolveram criar uma invenção prática, patenteada, adaptável e baratíssima. Mas acima de tudo, INOVADORA:

cocoô

UM BANQUINHO! :O

Genial!

Genial!

Eu não posso afirmar nada sobre o assunto, pois me alimento de luz e não tenho o que defecar. Mas vocês podem fazer o teste e me contar: Ficar nas pontas dos pés ou usar um banquinho facilitam a saída do Produto Interno Bruto?

Se facilitam, agora eu consigo entender porque a posição de frango assado permite uma penetração muito mais profunda em relação às outras.

Não clique aqui

Saiba você também!


Semana passada, fui ao Centro de Testagem de Aconselhamento em DST/AIDS da Prefeitura de Vila Velha. Ele fica em um grande complexo da Secretaria Municipal de Saúde, no Centro da cidade. Vou narrar com muita sinceridade como foi isso.

Decidi fazer o teste de HIV, pois estou iniciando um novo relacionamento. Na verdade, nós dois fizemos – eu e meu boy – para que pudéssemos fazer algumas coisinhas sem camisinha, sacumé. Sem hipocrisia! Pior seria se fizéssemos tudo sem essa mínima responsabilidade. Em um relacionamento, de maneira geral, você acaba fazendo sem “encapar o bico do bule”, mais cedo ou mais tarde.

O setor de cuidado e testagem de HIV é no segundo andar do prédio. Uma sala pequena com umas cadeiras e uma TV. Cheguei lá e disse que queria fazer o teste. Pediram para que eu esperasse por um momento. Antes do teste você é conduzido a uma sala onde uma moça simpática pega seus dados e te dá uns conselhos. Ela me falou que o maior problema é que muitas pessoas não fazem o teste e estão por aí transmitindo – até porque se foi beijada é poque tem comportamento de risco, né? E há ainda pessoas que sabem, mas nãos e tratam e são consumidas pela doença. Falou da grande importância que é saber e mais importante se tratar, pois isso dá ao portador uma vida normal.

Fiquei chocado ao descobrir que o resultado era sabido em 15 minutos! QUINZE MINUTOS!!! Perguntei pra moça se esse teste era 100% confiável. Ela me garantiu que sim, ainda que haja a chamada janela imunológica que nenhum teste consegue suprir. O que eles chamam de janela imunológica é o tempo de 60 dias após você fazer o sexozinho que te infectou com o vírus da Aids e a resposta que o corpo dá a fim de que se possa mensurar que você está infectado (sobre janela imunológica aqui). Fiquei tranquilo quanto a isso porque o único sexo sem proteção que fiz nos últimos 4 anos foi com meu antigo boy, ou seja, se eu estivesse beijado, o tempo da janela imunológica já estaria transcorrido.

Depois disso, fui encaminhado para a sala de coleta do sangue. Eu tenho pânico de tirar sangue. PÂNICO! Meu pavor é ver meu próprio sangue subindo por aqueles tubos. Mas enfim, fazer o que?! Fui lá, sentei na cadeirinha, elástico no braço, “veia ruim de achar”, “picadinha de formiguinha” #sóquenão… Eu:

Quando elas furam e puxam,  eu sempre desvio a cara e fico lendo as embalagens. A primeira furada não saiu sangue. Qüenda, Mariângela! Daí a racha foi, fez tudo de novo no outro braço e aí rolou. Dois lindos tubos de ensaio vermelhinhos!  Daí pediram pra eu esperar o resultado na salinha de espera. Estava passando “Chocolate com Pimenta” e eu fiquei assistindo e calculando o tempo.

Também comecei a observar as pessoas que circulavam por ali, já infectadas e iam fazer acompanhamento. Não haviam gays, aparentemente. Haviam senhoras de idade e casais héteros. Mas acho, sinceramente, que não é porque somos menos infectados, mas porque poucos de nós está fazendo o teste e se cuidando.

Foram 12 minutos de espera – nem 15 foram – a moça chamou meu nome…

Fomos a uma salinha. Ela olhava enigmática e eu tentava saber o resultado do teste olhando para a cara dela. Daí ela abriu o papel…

E leu o resultado que era este aqui:

“Amostra não reagente para HIV”

– Tô limpo, moça?

-Tá!

– Não tenho HIV, é isso?

– É!

Beesha, você não sabe o alívio que é receber essa notícia!!! Já falei com várias pessoas e todos, por mais prevenidos que sejam, tem medo dessa hora. Bate sempre uma neurose. Você lembra daquele cafuçú que você deixou colocar só a cabecinha, por amor, em 1996, daquela roçada mais profunda que você deu no edí amigo, daquela vez que o boy não te avisou e gozou na sua garganta, daquela gotinha de sêmen que talvez tenha voado no seu olho… Milhões de coisas absurdas surgem e esse alívio posterior te faz inclusive repensar nas merdas todas que vocês faz.

Esse relato enorme, que poucos lerão, é para mostrar que fazer os testes de DST não é nenhum bicho de sete cabeças e é coisa tranquila e super importante de fazer. Nosso estado é considerado em estágio de epidemia de HIV tendo em vista a relação com o pequeno número de pessoas que se testaram com a grande quantidade de infectados registrados.

Meu boy fez na rede particular e também está limpo. No particular, pode demorar até 3 dias – mas o tempo da janela imunológica é menor. De minha parte, mesmo se ele estivesse com a sopa de letrinhas no sangue eu não o deixaria, muito pelo contrário, daria apoio, apenas, a partir disso, tomaríamos as providências para nos preservar. Não há motivo de medo, alarde ou descriminação!!!

Além do mais, nos assustou – nós aqui do blog – quando falamos do caso de uma pessoa infectada que estava transando com várias pessoas sem proteção e já havia contaminado algumas e CENTENAS de vocês vieram nos perguntar quem era, pois haviam transado sem camisinha com algumas pessoas. OU SEJA: estão todos sob risco de transmissão. Gatas, por favor, protejam-se e façam o teste!

UPDATE: O Centro de Testagem e Aconselhamento em DST/AIDS de Vila Velha fica na rua Castelo Branco, 1803, Centro de Vila Velha. Os telefones de lá são: (27) 3139.9151 e 3139-9634. Veja o local aqui, no Google Maps.

E.Chromi: Pintando um arco-íris de energia


É o E.Chromi, um shake de bactérias que pode ser usado para diagnosticar doenças no Sistema Digestório. Cata:

Como vocês puderam ver no vídeo, cada pigmento colorido possui uma cadeia de DNA que determina uma forma que se encaixa nas principais bactérias, vírus ou vermes que causam as doenças, e pela cor você poderá saber o que está acontecendo dentro do seu corpo. É bem parecido com o encaixe enzimático, só que artificial.

Lindo, né? Agora olha como ficará a nossa nena, se estivermos doentes:

Pense naquelas passivas que não fazem a chuca, ou fazem mal-feita? No final do cruzo o boy tira a neca e tem a impressão de que comeu o koo de um Ursinho Carinhoso. hahahaha

Se precisar é só chamar…

Dica da Dani

Aceite-se com Glândulas de Tyson!


tyson glandulas[imaginar, ao ler, aquela vozinha feminina nos alto falantes que ecoam nos corredores dos hospitais] Momento saúde com Babado Certo:

Existe uma parte característica nos pênis que se chama Glândulas de Tyson. Você já deve ter reparado – você, uma bee mais vivida – que alguns tem mais aparentes, outros não. Bem, vamos catar no google:

As Glândulas de Tyson estão presentes em todos os homens. Existem como uma fileira de glândulas, ao redor da cabeça do pênis, como que formando uma coroa. Em muitos homens elas não são facilmente visíveis, em outros podem estar mais evidentes, com o característico aspecto de bolinhas brancas ao redor da glande (cabeça do pênis). A ocorrência das glândulas em maior tamanho é completamente natural e não está associada a qualquer doença sexualmente transmissível. (Wikipédia)

Tais glândulas produzem aquela secreção branca chamada esmegma que aparece quando a higiene é precária. Ou seja, quando você não lava direito o seu pênis ou quando apresenta um excesso de pele (prepúcio), essa secreção acumula e forma o esmegma, que é muito prejudicial para a saúde do seu órgão genital. (Dr. Wagner, urologista)

Caso elas realmente te incomodem (e parece que é o caso) você pode optar por um micro procedimento cirúrgico que é basicamente a remoção dessas glândulas por meio de um bisturi elétrico. oi glandula de tysonQualquer urologista que possua experiência com cirurgia domina um procedimento desses. Talvez não seja fácil você convencer um urologista de plano de saúde, mas insista e explique que você não se sente nem um pouco a vontade para manter relações sexuais e que isso com certeza é um fator importantíssimo na vida de qualquer jovem. Geralmente costuma-se passar um gel analgésico em todo o pênis (imagino que sejam dolorosas como qualquer anestesia) e o procedimento de cauterização dura uns 5 minutos. Mais se não quiser tirar também é normal. Só ignorantes não sabem que isso faz parte da fisionomia do orgão masculino. No entanto esse procedimento tem lá seus efeitos colaterais, tal como perda de sensibilidade no local da cicatriz (pois as glândulas serão queimadas e um tecido cicatricial será formado na região), a cicatriz poderá ficar visível, e claro que como todo procedimento cirúrgico sempre há os riscos de se contrair uma infecção ou uma alergia aos medicamentos pós-cirurgia. (Eu tenho Glândulas de Tyson)

Então, fia, pode parar de pensar em suicidio. Se o que você tem bate com essas decrições, você não tem uma DST (se cuida, viado!) você tem as tais glândulas desenvolvidas. E outra repararam na última referencia? “Eu tenho Glândulas de Tyson” é tipo um blog de auto-ajuda para quem sofre com esse “mal” :(. Tem gente que tem nojinho e tem gente que gosta – é textura, é phyno. Sou das que ignoram e se jogam, claro, se tiver limpinho. Poderíamos criar a AGTA, Associação dos que tem Glândula de Tyson Anônimos. A reunião começaria: “Oi, sou Dé, tenho Glândulas de Tyson!”. E todos: “OOOOOOI, DÉ!”