Feminina e saudável, beijos.


Boa notícia pra você, bee,  que é toda trabalhada na feminilidade. Gatãn, segundo estudo realizado no Reino Unido, pelos pesquisadores Kate Hunt, Heather Lewars, Carol Emslie e David Batty, a senhora e suas amigãns têm menos problemas de coração.

O estudo analisou o cruzamento de dados sobre a saúde cardíaca com níveis de masculinidade e feminilidade de 1.551 voluntários. Os índices foram previamente analisados em 1988, de acordo com o critério do que seria masculino e feminino. Masculinidade, por exemplo, significava agressividade, liderança e disposição em correr riscos. Já feminilidade, a delicadeza, sensibilidade às necessidades alheias e gostar de crianças.

Até 2005, 13% dos participantes homens tinha morrido em decorrência de problemas cardíacos – condição à qual aqueles com maior nível de “feminilidade” se mostraram menos vulneráveis. “Os resultados sugerem que as construções sociais de gênero têm influência sobre o risco de problemas de saúde. No caso, de coração.”

Pra senhora, que além de ser toda trabalhada na feminilidade, tem o dom das línguas (humm, adooooroo), leia o estudo em inglês AQUI

Max, pronto pra viver eternamente?