Protesto contra homofobia para centro de Salvador


Enquanto em terras capixabas continuamos debatendo e articulando, a comunidade gay baiana fechou as ruas de Salvador em protesto contra a homofobia. O Grupo Gay da Bahia parou o centro da cidade na tarde de quarta-feira (22/03), em um ato contra o aumento de crimes contra homossexuais na Bahia. Com cruzes, faixas e cartazes nas mãos, a militância promoveu uma beijaço e protestou pedindo justiça, o que acabou chamando a atenção da população que aplaudiu a atitude.

Segundo informações do Grupo Gay da Bahia (GGB), onze homossexais foram mortos no estado nos dois primeiros meses do ano. Em todo país, foram registrados 81 homicídios no mesmo período. O ato simbólico, que fez parte das atividades do Dia Internacional para Eliminação da Discriminação Racial e serviu de protesto devido às mortes de gays, lésbicas, e travestis, iniciou-se na Praça da Piedade e seguiu até a Prefeitura Municipal de Salvador.

 No ano passado, foram 272 assassinatos de LGBTs no Brasil. Destes, 29 aconteceram na Bahia, que lidera pelo sexto ano consecutivo o ranking de estados mais homofóbicos, com o índice de 10,66% do total de casos no país.

A coordenadora LGBT da Secretaria de Justiça da Bahia, Paulete Furacão e o presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), Luiz Mott, participaram da caminhada. A manifestação foi encerrada com uma grande roda como protesto contra a homofobia ao som do hino do senhor do Bonfim.

Fonte

Charge gigante propõe tiro ao alvo no deputado Jair Bolsonaro


O projeto é uma intervenção urbana, que traz uma charge em tamanho grande, com 1,80 metros de altura, do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). A ideia é que as pessoas atirem dardos de plástico no desenho.

“Como numa marcação simbólica de repúdio, as pessoas terão a possibilidade de expor sua rejeição e extravasá-las neste personagem muito criticado por suas posições racistas, homofóbicas e sexistas”, explica Alexandra Martins, idealizadora do projeto.

A charge é de autoria do cartunista e ativista Carlos Latuff. No desenho, Bolsonaro aparece com uma camiseta com o símbolo do nazismo e um porrete na mão. “Incluir uma imagem de Bolsonaro na rua, num grande centro, é revelar de que maneira o grande público lida com esse personagem”, completa Alexandra.

A intervenção, batizada de “Acerte o Bolsonaro”, foi apresentada durante o 9º Encontro Nacional Universitário da Diversidade Sexual (ENUDS), em Salvador. A obra deve voltar para Salvador em março, aonde será exposta no Beco dos Artistas. Ela ainda deve ser apresentada em Goiânia no mês de abril, no Rio de Janeiro e na Parada Gay de Brasília. Interessados em ter a intervenção na sua cidade devem enviar email para issonaoeumcachimbo@gmail.com.

Fonte: http://migre.me/7UHzd

9º ENUDS acontece em fevereiro de 2012 em Salvador


Fevereiro, verããão, carnaval, soool… E rola também o 9º Encontro Nacional Universitário sobre Diversidade Sexual. Com o tema: Raça e Religiosidade: abrangendo as fronteiras da diversidade sexual. O evento acontecerá na primeira semana de Fevereiro em Salvador. Sim, SALVADOR!

O Encontro Nacional Universitário sobre Diversidade Sexual – Enuds – é fruto da militância de estudantes dentro do movimento estudantil com a intenção de discutir a luta contra a violência homofóbica dentro das universidades brasileiras. O Encontro surgiu a partir da mobilização de estudantes para o “Ato CONUNE”, realizado em junho de 2003, durante o 49º Congresso da UNE, em Goiânia, com o objetivo de denunciar a homofobia existente dentro do movimento estudantil.

As inscrições de participação vão até o dia do evento, com os valores de 40 e 50 reais e podem ser feitas clicando AQUI.

Mais informações no blog: http://nonoenuds.blogspot.com/

Trívia: Carnaval de Salvador terá seu “primeiro” Bloco Gay


Saiu na Lifestyle

Vem comeego, vem sem medo

Tsá, quem já foi ao Carnaval de Salvador, mais especificamente no bloco da Margareth Menezes, sabe que o Carnaval lá já é gay desde a década de 90. Na verdade mesmo, o Carnaval por si só já é a drag queen do calendário.

Entretanto, o “primeiro bloco gay” não vai ser gay porque terá uma política friendly, mas sim porque vai trazer ninguém menos que OFFER NISSIM, o verdadeiro Miojo. Vão ter outras atrações também, mas foda-se, nenhum mais famoso do que esse fenômeno que abalou as pistas de dança por 3 anos.

Pra quem não se lembra, cata uma das músicas mais famosas:

Arrasou, néam? Mas melkoo, o abadá vai custar 300 conto e com esse dinheiro eu faço uma festa aqui em casa, bebo e dou o meu edi quinhentas vezes mais.

p.s.: O babado vai terminar numa pool-party. Rá, as gay vão se matar pelos gringos, já vejo as capas dos jornais: “Travesti traída afoga amiga em Salvador”.