#Rapidinhas: Menor abusado


Calma, ninguém molestou um vulnerável. Porém uma vulnerável muito da nervosa estava no face toda serelepe, em comunidade gay de pegação, postando foto “sensual” dos pelinhos nascentes. Tive que fazer o tchytchyuó e dar uma lição nele:

menos abusado

Era só o que me faltava!!! Esses pirralhos em vez de estar brincando de boneca, como qualquer adolescente comum, fica procurando homi em internet. Cadê a mãe?

Sou da seguinte pedagogia:

UPDATE: Os donos da comunidade botaram o fedelho para fora. Mas gente, não é proibido menor de idade no face, não? Como elas estão prafrentex! #aquelas

Ménage?! Não aceito!


Mauro e Renato são um feliz casal homoafetivo. Um deles é bissexual e o outro é blogayro, opa, quer dizer, gay passivo. Daí começa a discussão porque um deles propõe fazer um ménage a trois (sexo a três, sua tapada!) e as diferenças surgem, ciuminho e tal… cata:

Eu também sou assim: sou ciumento mesmo, não aceito ménage. MAS, até faço concessões, se for rolar, o outro cara e meu boy NÃo podem se tocar, só podem fazer “coisas” comigo. SOU DESSES!

Aliás, esses vídeos do ‘Parafernalha’ estão ótimos, né?!

Via Bobolhando.

SENAS da noite capixaba #4


No dia daquele dilúvio, vejam bem, no dia do dilúvio, estava eu no terminal e fui ao banheirón fazer um pipis, sacumé, né? Cervejinha e pepis são inevitáveis.

Chegando lá, tô descarregando todo aquele líquido pela minha necona linda (muah!) quando reparo no mictório ao lado um homem lindo, e quando eu falo lindo é lindo meshmo. Sabe aqueles caras grisalhos, mas com face máscula e jovem, tipo William Bonner? Então, era assim. Dei só aquela olhada assim meio de lado, meio d’isgay. Fiquei bege quando vi que o cafuçú já estava de MALA PRONTA! E era uma suuuuuper mala (e não é papo de fim de semana de beesha, não). Fiquei ali, fazendo a discreta olhando só de soslaio.  A beesha começou a se exibir pra mim, pode? Virou a neca em minha direção e começou a se masturbar. Apesar de estar passado por dentro e com a boca seca, mantive meu ar de eterno blasé. Estava um pouco assustado, pois eu ouvia barulhos vindos dos reservados e das torneiras indicando que havia mais alguém no banheiro. Fiquei ali naquele clima de excitação e pânico… TOLO! De repende, não mais que de repente, surge do nada uma passiva feia e gorda e voa de boca na neca do cafuçu!!! E eu? Fiquei assim ó:

Sim, beesha, ali mesmo na área do mictório, qualquer um poderia chegar e ver a “sena”. E as duas safadas ainda ficaram sensualizando, como que me chamando pra participar. Constrangida, fiz um bom carão e fui saindo. Antes de atravessar a porta, ainda pude ver a expressão do cafuçú de “Pô, bee, vai cagar no maiô agora?!”