07 leituras sobre o caso “Veja” e as cabras


“Adoro espinafre!”

Essa semana a revista Veja finalmente abriu um alçapão e dirigiu-se ainda mais fundo no poço em que há anos está afundada. Não é de hoje que ela vomita imbecilidade e ignorância direitista na cara da sociedade brasileira, travestindo-se de uma moral que ela não tem.

Quem tem facebook e segue pessoas minimamente informadas deve ter recebido trecho do artigo do colunista J. R. Guzzo, baixo, até para os padrões da Veja. Cata:

 O artigo completo está aqui para que tirem suas próprias conclusões.

“Toma, Veja!”

A questão da vez é que lapso tempo-espacial houve, que chegamos ao ponto de uma publicação que se diz “séria” poder afirmar tamanhos impropérios claramente homofóbicos e idiotas – desculpa, é idiota sim -, como comparar “não gostar” de bicha, a não gostar de espinafre, ou ainda associar o direito ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, a casamento entre pessoas e animais.

A revista tem responsabilidade jurídica e financeira e tem consciência da postura política que seus leitores tem, pois sabe que não haverão protestos do tipo cancelamentos em massa de assinaturas e que os anunciantes continuarão mantendo seu faturamento. Ou não?! Ou seja, o problema é infinitamente maior que o artigo em si. O problema é o que o mantém impresso naquelas páginas!

Em protesto ao texto algumas pessoas – EU! – trocaram a foto do perfil por foto de uma cabra.

Muita gente foda indignada com a Veja, como nós ficamos, escreveram sobre o assunto. Em vez de replicar tudo, nós separamos os melhores e vamos botar os links aqui, para que vocês se informem, criem suas próprias opiniões sobre o tema e tomem as atitudes que melhor lhes convier.

Sete bons textos para ler sobre o assunto:

1. “Veja que lixo!”, por Jean Wyllys.

2. “Não é só homofobia: 10 erros do texto ‘Parada gay, cabra e espinafre’ publicado na Veja”, por Manu Barem.

3. “Artigo na Veja sobre gays, espinafre e cabras me deixou cabreira”, por Lola Aronovich.

4. “Veja? Pense! uma crítica sobre o artigo preconceituoso publicado na revista Veja”, por Besha Má.

5. “A falácia da falsa discriminação”, por Carlos Orsi.

6. “A @veja não entende nem de panelas, que dirá paneleiros”, por Carlos Cardoso.

7. “A Essência do preconceito 2 – a missão”, por Madrasta Má do Texto Ruim.

E ainda tem o tumblr “Cabras para casar“! rs.

Capa corajosa da ‘TRIP’ com beijo entre homens


A revista Trip, destinada ao público jovem, ousou e surpreendeu (positivamente!). Veja que linda a capa da edição deste mês:


A revista, que costuma trazer fotos de mulheres nuas, tem como tema principal desta edição, como vocês podem ver, a diversidade sexual. A revista traz uma entrevista com Zé Celso, o criador do Teatro Oficina, falando tudo sobre sua liberdade artística e sexual e uma reportagem com surfistas gays. A publicação levanta os esteriótipos que o gay enfrenta no mundo gay e fala sobre o site de relacionamentos  gaysurfers.net, que reúne surfistas gays de 81 países.

Muito legal ver uma revista “hétero” fazendo algo que nem publicações gays no Brasil ousam muito: colocar um beijo bem quente entre dois homens na capa! E ainda tem aquela pegadinha magia ali na bundjeenha. Que delícia, gente!

Curtiram? Eu achei fabulosa, não só pelo conteúdo, mas pela estética.

A edição tem uma capa “alternativa” para os mais quadradões, que mostra uma “turma” que curte o amor livre (veja-a aqui)!

A arte do bate-cabelo


Conforme prometido, segue meu texto publicado na revista Nós, a respeito da trabalho das drag queens capixabas. Vocês poderão conferir no texto que fiz um levantamento da história da prática da montagem no Espírito Santo e falo de algumas (poucas) drags da atualidade. Volto a agradecer a Chica Chiclete pelas informações importantíssimas. Reparem que falo de forma bem sucinta por uma questão de limitação espacial mesmo (o texto original teve que ser bastante reduzido). Para ler é só clicar para ver ampliado:

E, claro, comentem.

Subversividatchy


Marrocos ganha clandestinamente sua primeira revista gay

Vim só pra glamourizar

ADOREI essa notícia!

Toda essa clandestinidade, autores escodidênhos detrás de pseudônimos, charges provocativas… sentem um cheirinho da Poesia Marginal da época da ditadura?

Se eu fosse o dono dessa revista, a louca eu faria passando de helicuóptero na baía de Tânger jogando fotos de homem pelado na cabeça dos vinhádo tudo!

Num dou dois meses pro rei fazer a Rainha Vermelha e mandar esse povo todo pra guilhotina.

Sem desmerecer a atitude vanguardista, claro!

Lançamento da revista ‘Nós’


Lembram que eu disse que fui convidado a escrever numa revista aqui do estado?

Então, amanhã (27), será lançamento da revista Nós, às 15 horas, no Palácio Anchieta. NA revista escrevi um texto sobre a cultura  drag queen aqui no Espírito Santo (créditos a Chica Chiclete que atendeu meu telefonema e tão atenciosamente me passou uma série de informações fundamentais – Beijos, Chica!).

O evento promovido pela Rede de Cultura Jovem terá ainda lançamento de outra publicação o Cadernos Encontros Rede cultura Jovem, além de Mostra Audiovisual e premiação de organizações contempladas em editais.

Quero todas lá pra me parabenizar, dar beijos e pegar sem querer na minha mala e depois se desculpar simulando um debochado constrangimento. Aloka!