PERIGO: Homofóbicos invadem o banheiro do Shopping Vitória


Beeeeeeshosas,

MUITO cuidado! As senhoras correm perigooooo!!! Explico: você que está acostumada a seguir nosso GUIA de pegação no Shopping Vitória, agora tem mais uma adversidade! Se já não bastassem os seguranças, os faxineiros e as crianças desacompanhadas, os banheiros do Shopping estão abarrotados de religiosos homofóbicos! Olha o que eu encontrei em APENAS UM reservado do banheiro do lado da Colcci (loja foco das beeshosas e pegadoras!!! até vendedor de lá faz pegationnnnn. ABAFAAA):

Uó monas, uó! Antes a gente ia nos reservados e lia quero dar meu cu agora, me liga 99999999 poesia ou como o seu cu com força recadinhos do coração! É sério, fiquei com medo desse povo! Vai que eles comecem a chamar os seguranças ou na pior das hipóteses fazer pregação dentro do banheiro!!!! Aliás, não sei até quando vou conseguir continuar morando nesse estado que cada vez mais é dominado por talibãs evangélicos! E se você acha que é bobagem de Tchynninha, olha o que tinha na outra parede:

Sem mais! E mais uma vez, se quiser se aventurar, tome cuidado e esteja preparada para retaliações!!! Administração do Shopping Vitória vamos tomar providências! E digo mais, os banheiros que já foram dignos de elogios estão cada vez mais acabados e sujos!!!! Tricos quebrados, mármore gasto, descarga vazando e esses homofóbicos de MERDA!!!!

Malásia reeduca jovens com tendências afeminadas


Na semana passada, foram enviados para um campo de reeducação pelas autoridades do estado de Terengganu, noroeste da Malásia, 66 adolescentes indicados por suas escolas, que foram instruídas no ano passado a denunciar alunos que possuíssem “tendências afeminadas”. Os jovens passaram 4 dias no local onde participaram de um curso com aulas de religião, palestras motivacionais,  além de orientação física. No país, a homossexualidade ainda é tabu e o sexo gay é crime segundo o código penal local, podendo render até 20 anos de detenção.

“Não são comuns para rapazes normais desta idade”. Nós não estamos interferindo com o processo da natureza, e sim meramente tentando guiar estes estudantes a seguir um caminho adequado em suas vidas, antes que eles cheguem a um ponto sem volta”, explicou Razali Daud, diretor do Departamento de Educação do Estado de Terengganu. “Nós sabemos que algumas pessoas acabam se tornando travestis ou homossexuais, mas nós faremos o melhor para limitar este número”, afirmou Daud.

Ativistas dos direitos humanos defendem que esta medida é um sintoma da homofobia generalizada no país de maioria  muçulmana, muitos protestos  têm estourado na Malásia desde o vazamento de notícias sobre os acampamentos. Para a Ministra da Mulher, Família e Desenvolvimento Comunitário, Shahrizat Abdul Jalil, a existência dos campos é contrária às leis da Malásia, vários grupos da sociedade civil estão exigindo que o governo bote um fim ao absurdo.

Sem ao menos tentar responder às exigências de fechamento dos campos de reeducação, o governo ignorou as críticas e lançou uma campanha para criar uma imagem saudável e positiva para os campos.

O grupo “All Out” está promovendo,  na internet,  uma petição para que os chamados campos de reeducação sejam considerados ilegais e extintos da Malásia. Estes tratamentos de reversão são programas aplicados em todo o mundo, principalmente por igrejas evangélicas. Desde 1990, a Organização Mundial de Saúde (OMS) não reconhece a homossexualidade como doença e associações de psicologia e psiquiatria de todo o mundo não podem oferecer tratamento ou cura para algo que não é uma enfermidade.

Para assinar o abaixo-assinado, clique aqui!

Orgulho, casamento, paradas e outras


Ontem foi dia do orgulho LGBT, sabiam? E como se sabe apesar dos avanços ainda há MUITO a se conquistar. Paralelamente a isso, estamos iniciando o segundo semestre no qual acontece geralmente as paradas daqui do estado (ainda sabe algo a respeito?) e as eleições. A Parada de Sampa deste ano conseguiu resgatar muito de seu ideal político e propôs como tema “Vote contra a Homofobia: Defenda a Cidadania”. E nós, o que faremos?

Enfim, de todos os direitos que nos são negados, um deles é a possibilidade de ter a nossa união afetiva reconhecida pelo Estado, que deveria ser laico, mas vive sob as trevas da imbecilidade da moral cristã  excludente. Daí que vi uma campanha americana muito legal que diz: “Se você não concorda com o estilo de vida gay, defenda seu ponto de vista adequadamente e deixe-os casar, como o resto de nós”, cata:

Gostei muito que o vídeo não idealiza a relação, mas mostra-a assim como qualquer outra, com altos e baixos.

Pintor australiano crucifica François Sagat


Calma, ainda não precisa começar a chorar, foi só na pintura:

O autor é Ross Watson que se inspirou na ‘Crucificação de São Pedro’ do pintor do século 17, Caravaggio.  A obra provocativa foi motivada pela forma preconceituosa como a Santa Sé enxerga a homossexualidade e pela condenação católica ao uso da camisinha. Pra quem não sabe (alguém?) Sagat é o sonho de consumo de 99% das passivas (o 1% é a senhora que ainda não o conhecia, palhafa!), é um dos atores pornôs gays mais famosos da atualidade (Tchynna até já falou dele). Vi no Mix Brasil. O que vocês acharam?

UP DATE: Quer conhecer melhor Sagat? Veja fotos “comportadas” dele aqui ó, e se for maior de 18 anos, veja esse vídeo educativo dele te incentivando a usar camisinha. #morri #ohláemcasa


Suicidio, pressão social e homossexualidade: O caso do Dj Alex Brasil


Suicídio é sempre um assunto delicado de se tratar, tanto que na imprensa comum é um tema tabu em que eles raramente noticiam. Estou aqui com essa missão dificil que é a de confirmar o suicidio do Dj Alex Brasil, especialmente pelo fato de ele ter postado aqui neste blog uma carta de despedida. Não falei antes sobre o tema, pois queria uma confirmação oficial. Foi por isso que entrei em contato com a irmã dele que havia deixado o seguinte recado no orkut do Dj:

Olá!!!
A todos vocês que conviveram com meu irmão Alex, agradeço aos que verdadeiramente tentaram faze-lo sentir-se feliz, mas infelizmente o inimigo tirou sua vida nesta quarta-feira dia 11/11. Deixo a vocês apenas o meu agradecimento por acolhe-lo.

Deixei meu telefone na página do orkut dela e ela me ligou a pouco. Disse-me que ele foi encontrado morto por enforcamento na casa de sua mãe onde morava. A irmã dele terminou a conversa tentando me evangelizar, dizendo que Deus abomina as práticas que eu sigo referindo-se a minha homossexualidade  sem, no entanto, nomeá-la.

Acredito que este seja um dos momentos mais tristes desse blog, pois abateu-nos assim essa tragédia, por mais que o Dj fosse bastente controverso e já tenha criado certos basfonds por aqui nos comentários (como aqui e aqui). Houve uma certa frieza da parte dele de escrever aquela carta e alterar todo o orkut dele, mas admiro o fato dele querer deixar uma mensagem positiva mesmo que sua família o pressionasse no sentido oposto. Destaco alguns trechos da extensa mensagem final publicada aqui e em seu blog:

(…) Anos e anos, dia e noite, cada segundo da minha vida…Sempre lutando, sonhando e desejando ser o que fui e o que cheguei a ser, um sonho de adolescente e realizado como um profissional reconhecido hoje.

Já caí, levantei, caí novamente e levantei várias vezes, conseguindo sobreviver em meio as dificuldades, sempre dizendo pra mim mesmo que era forte e capaz de cair mais vezes ciente de que levantaria com garra e determinação, talvez por achar ser mais capaz do que eu um dia pudera imaginar…Enganei-me!

Hoje com meus 28 anos de idade me vejo jogado no chão de uma forma que não consigo enxergar quem sou, o que sou, pra onde eu vou e o que fazer…Incapaz.

(…)

Ao para um milésimo de minha vida, pude ver que eu havia aprendido a amar esta pessoa que tivera entrado em minha vida e que eu estava sendo a pessoa que eu sempre almejei ser, feliz…Fechei os olhos para poder sentir isto com mais intensidade….Abri os olhos e de uma forma estranha e confusa pude ver e sentir que eu estava sozinho, que a pessoa na qual aprendi a amar não se fazia mais presente…Eu não sentia mais o calor desta pessoa, o cheiro, não ouvia sua voz mais e com tudo isto, pude ver que esta pessoa na qual aprendi a amar e na qual eu acreditei…Tivera ido embora sem ao menos me explicar os porquês, não por ser obrigado a isto, mas ainda assim nunca mais o vi como a pessoa que aprendi a amar e na qual acreditei me amar…

Caí…Desabei…Tentei me levantar, porém de uma forma muito diferente de todas as outras vezes nas quais eu caí e levantei, esta era estranha, não consegui decifrar e entender, porém tentei de todas as formas e jeito…Ouvindo as pessoas falando que eu deveria sair dessa, tentar…Reerguer-me, esquecer o que aconteceu, ouvi tudo isto como um eco lá no fundo e confesso que por vezes tentei sair, levantar e ir…Segui a minha vida, mas de uma forma estranha eu pude ver que não, como se eu tivesse chegado ao fim da minha estrada e que, de alguma forma eu tivesse mais capacidade e sabedoria para criar novos caminhos e seguir a frente.

(…)

Peço perdão a todos que sempre quiseram me ajudar, me fazer brilhar, ser alguém nesta vida, agradeço a todos vocês pelos carinhos e respeito, mas hoje encerro toda a minha história que um dia chamei de vida, não a tenho mais, ela se foi, nunca pensei que chegaria um ponto da minha existência em que a minha vida pudesse ir…Deixando-me para traz, no esquecimento, sendo apagado a cada segundo.

Pois assim termina a minha história de vida…

(…)

Talvez possam achar que fui fraco e incapaz, pois talvez eu tivera sido assim realmente, mas nunca passei por isto e fui incapaz de lidar com tal situação…

O mais importante de tudo no que restou da minha vida foi poder ver e sentir que eu amei, amei de verdade, talvez até mesmo de uma forma na qual eu pudesse ver que nada sabia sobre o que era um amor, que não é apenas uma forte palavra, pude ver e sentir que sim…Desta vez eu realmente aprendi o que é o amor.

Hoje fico por aqui nos meus 28 anos de idade e logo a frente esquecido diante de todos e de tudo, pois eu pude ver que fui esquecido pela pessoa que eu aprendi a amar e que, dei a minha vida e não me arrependo em momento algum, pois eu aprendi o que é o amor e acima de tudo, amei.

Não irei citar nomes, mas…um dia a pessoa que eu amei irá entender a vida, as coisas, o ser e estar, a razão…Quando isto acontecer, já terei caído no esquecimento de uma existência.

Finalizo me despedindo de todos dizendo o seguinte:

Lute…corra atraz…ame…..mas ame de verdade…..se entregue…..se doe ao máximo, pois o amor entre dois homens existe sim, é verdadeiro, único, grandioso…não desista nunca…sonhe muito….um dia….quando as coisas mudarem….os tempos forem outros….isto poderá dar certo e você será muito feliz….acredite.

Um dia…você será feliz…e poderá sentir e ver que a felicidade é muito mais do que desejou.

Me choca o fato da carta ter sido publicada no dia 08 e o ocorrido ter acontecido no dia 11. Três dias, provavelmente esperando uma resposta. Somos culpados? Não. Poderíamos ter ajudado? Talvez.

Minha relação com ele foi curta e distante. Tivemos uma única conversa pessoalmente num bar em que trabalhava na Praia da Costa, mas foi sobre negócios. Ele queria que divulgássemos o local. Falávamos, às vezes, também por msn, mas pouca coisa sobre assuntos pessoais. Numa ele falou sobre o ex-namorado e que havia brigado com ele na The Pub (com agressões fisicas). Em outra, quando houve minha briga com o meu ex, ele falou também acerca do seu caso e que havia perdido 20 kilos desde o término da relação. É sabido por muitos que essa relação era bastante complicada, sendo que já havia até dado cadeia. Na rápida conversa que tive  com  sua irmã ela disse que foi-lhe pago tratamentos que não adiantaram…

Hoje consigo melhor entender o Alex: era um cara desesperado. Amou demais alguém, se entregou totalmente a relação e depois com o fim, não soube lidar com a perda (poucos sabem). Tudo para ele era escapismo, por isso a necessidade de aparecer e de agradar. Ele não tolerava crítica alguma! Não teve nada a ver com o fato de ser gay, como ele mesmo diz na carta e como a família insiste em afirmar, mas sim com esse sentimento que o ser humano pode ter, na sua maioria, que é quando a amor vira seu oposto e se torna um sentimento de destruição e de auto-destruição.

Uma pena. Entretanto,  fica sua obra que pode ser ainda baixada, ouvida em seu blog. Ele inclusive fez uma especialmente para o Babado Certo, o que ele chamou de “maior blog informativo para o público LGBT do estado do Espírito Santo“, ouçam-na aqui.

Cantinho da fé


Sei que alguns colegas não gostam dos deboches com assuntos de religião e fé. Então não vou fazer piadas, nem deboches, nem colocarei imagens engraçadas, deixo isso por conta do entendimento de vocês:

7º CONGRESSO EXODUS BRASIL
Vitória, 5 a 7 de Setembro de 2009
Sexualidade, Verdade e Graça

Vivemos um momento crucial para a Igreja Cristã, onde mais do que nunca é importante equilibrarmos a Sexualidade Humana com a Verdade e a Graça de Deus.
O propósito do 7º Congresso Nacional do Exodus Brasil é apresentar uma visão bíblica sobre a sexualidade humana, oferecendo esperança aos que buscam ajuda nesta área.

Alguns temas das plenárias:

•Quando Alguém que Você Ama está Envolvido na Homossexualidade;
•Raízes e Prevenção da Homossexualidade;
•O Papel da Família na Formação da Identidade;
•A Igreja e a Homossexualidade;
•Pornografia e Masturbação;
•Legislação, Homossexualidade, Pedofilia e Homofobia;
•Masculinidade e Feminilidade;

Dica do Diego por email.

A Homossexualidade e a Bíblia


Um dos assuntos mais delicados e que está geralmente intimamente ligado a  por a homossexualidade  como algo moralmente errado se diz respeito a religião, que no caso cristão está ligada às chamadas escrituras sagradas, ou seja, a Bíblia. O tema religião + culpa + homofobia é tão significativo e ronda de tal maneira às relações homoeróticas que já foram diversas vezes debatidas aqui mesmo no Babado Certo.

Está publicado no YouTube um excelente documentário americano, legendado em português, que vem desvendando todas as questões ligadas as passagens bíblicas e a homossexualdiade. Quem se interessa pelo assunto não pode deixar de assistir:

Segue aqui a parte 2 e a parte 3.

Porque homossexualidade não é pecado (parte 2)


Para ler a primeira parte deste texto clique aqui.

“Tu sabias que pecar não é fazer o mal: não fazer o bem, isso sim, é que é pecar.” P. P. Pasolini

Um dia estava num quiosque na praia de Coqueiral de Itaparica, em Vila Velha, que é freqüentado por homossexuais. Havia uma menininha por lá brincando. A pessoa que estava comigo disse: “Acho que ela não deveria estar aqui. Não é um bom lugar para uma criança, ela pode acabar se influenciando”. Fiquei indignado (especialmente porque a pessoa era também homossexual)! Perguntei se quando era criança se teve algum contato com o mundo GLBTT. Ele disse que não. E ao perguntar desde quando se via desejando alguém do mesmo sexo, ele me respondeu: “Sempre!”. Portanto, conclui que a menina não seria lésbica quando crescesse, só saberia respeitar as diferenças…

Como mostrei no trecho do texto que selecionei na postagem anterior, alguns cientista explicam a homossexualidade através de processos biológico-hormonais durante a formação e gestação do ser. Uma coisa natural própria da natureza humana. Além disso, a inclinação do desejo para pessoas do mesmo sexo costuma surgir muito cedo o que reforçaria a naturalidade do processo independente de qual seja sua causa.

Ora, se a inclinação do desejo para pessoas do mesmo sexo é natural, ou seja, faz parte da natureza do homem, qual seria a lógica divina de criar algo e fazer-la própria do ser só para depois proibi-la? O que teríamos é uma visão de um Deus sádico, não é?! Um Deus que cria algo para que o ser sofra durante toda uma vida em reprimir e recalcar a si mesmo. Seria como se criasse as asas nos pássaros dando-lhes total condição de vôo só que ao mesmo tempo o proibisse de voar fazendo com que se arrastasse a vida toda. Por que Deus criou o desejo para logo em seguida proibi-lo? Será assim mesmo que Deus é? Não para mim…

Sabemos que o cristianismo é uma criação humana: é a união do pensamento grego com o judeu. Infelizmente, na questão da homossexualidade esse construto absorveu a parte judaica e a filosofia platônica (de repressão aos impulsos e paixões) e não a prática grega onde isso era algo muito comum. Desta forma a Bíblia, base do pensamento cristão, está repleta de aspectos culturais de um povo arcaico que não possuía determinadas explicações do mundo e, dessa forma, sua leitura deveria levar essa questão em consideração, cabendo ao leitor separar o que é cultura de um povo e o que é ensinamento universal.

A questão aqui é não perder de vista que o pensamento religioso é ideológico e construído, assim como a própria razão o é (Nietzsche falava que o ser humano não é racional, é um animal que foi domesticado a pensar). Acredito que a s igrejas e seitas deveriam deixar sua posição de perseguição simbólica e passasse a aceitar os sujeitos com comportamento homoerótico e poupasse uma enorme parcela da sociedade de se sentir pessoas piores por serem elas mesmas.

Concluo esse texto chamando atenção para uma última contradição nos dogmas religiosos. Sabemos que a questão sexual, de procriação, às vezes, permanece num campo mais político da igreja (em especial na católica) e daí cria toda essa problemática que vai desde a questão homossexual até a opressão feminina. Mas se ignorarmos a questão sexual e pensarmos na parte afetiva, ou seja, que aqueles que são homossexuais amam pessoas do mesmo sexo (amor aqui visto no sentido de ‘eros’) temos a contradição máxima da igreja negando a si própria. Afinal, como ela pode condenar o amor se esse é – ou deveria ser – sua base, sua essência?

Porque homossexualidade não é pecado (parte 1)


Esse texto se faz necessário para conter um pensamento que tem tomado nossa sociedade. Acredito que para acabar com certas ideologias faz-se necessário criar ações igualmente ideológicas para que corroa pouco a pouco a estrutura deste pensamento até que ele rua. O que está em questão é o estabelecimento de um pensamento cristão, fascista e inconsciente que tem entrado em nossas casas que tem esvaziado, em grande parte, os sentidos religiosos através de um radicalismo irracional e que tem feito regredir o avanço (que paradoxo, não?!) sexual conseguido a duras penas durante as décadas passadas.

Antes que mais nada, gostaria de apresentar alguns dados científicos fundamentais para que eu possa desenvolver meu raciocínio numa perspectiva mais teológica e filosófica. Segue trecho de um livro falando sobre a questão hormonal no processo de gestação e na constituição da psique humana relacionada à questão sexual:

Continua!