Tô queimada, Max, e agora?!


Geyse says: Eu aprovo o tutorial

A pedidos dos leitores, resolvi fazer um tutorial sobre como saber se você está queimada na noite de Vitorinha e como proceder em caso afirmatchyvo. Não me perguntem porque tanta gente têm essa dúvida, mas eu presumo que seja por causa daquelas situações que você pega um boy e ele, no meio da pegação, vira pra você e fala: “Bem que me falaram que você  beijava bem… ou bem que me falaram que você era boa de cama”.

Na hora vem a dúvida: Como assim BEM QUE TE FALARAM? Que garáleo é esse, agora meu koo tá na boca do povo e ninguém tá preocupado se eu tô curtindo o beijo grego?

Acalmem-se, bebês, na maioria das vezes isso é só uma jogada do boy (ou da racha) pra tirar a verdade da senhora e comparar quem é a mais rodada da relação. Mas e quando não é? E quando REALMENTE seu nome já rodou mais de 42 centros espíritas na Grande Vitória?

Não existe ninguém melhor que eu para ensiná-las como agir, afinal, tenho má fama desde antes de entrar no mundo gay. Acreditam que eu era chamada de poota ANTES de perder a virgindade? Mal tinha visto uma neca na vida e as pessoas já falavam que eu fazia bola-gato em troca de maço de Derby Prata. Um absurdo, mas dá pra entender, as pessoas nos julgam pelo comportamento e aparência e a verdade nada mais é que uma mentira que todo mundo acredita.

Primeiro você tem que identificar se está queimada, identificou? Mais de 10 boys já disseram conhecer seu edy mais que seu Proctologista? Então, bee, é hora de agir!

O segundo passo é a limpeza da ficha criminal, você tem duas opções: ou vira uma blogayra famuósa e impressiona a todos com seus dons de escritorãm, criando uma nova versão de você mesmo… ou vai atrás da fonte do problema.

Mas aí você vem e fala: “mas Max, eu sou MUITO rodada, você não tem noção do quanto, a raíz do problema é tão grande, mas tão grande, que se eu arrancar corto o suprimento de água de todas as árvores da Amazônia!”.

Só apreciando a paisagem

E eu digo que mesmo assim você consegue, Vitorinha é minúscula e as malditas são sempre as mesmas passivas sem vida social. Sempre que o boy te disser isso você pergunta logo quem falou, mas nada de agressividadtchy! Você tem que fazer ele acreditar que adorou ser chamada de vagabunda.

Ele vai contar e aí entra o Facebook na história. Se você conhece a gay, é só ir direto nela, pegar sua navalha e fazer 4 bucetas na cara delãm. Mas se não, e é mais provável que seja, vai no perfil da gay fofoqueira da chatuba e procure nos amigos em comum quem poderia ser a mafiosa que espalhou o bafão, achou? Desconfiou?

Agora vem a ação! Vá atrás da gay e tire satisfações, mas nada de apontar dedos, jogue verde, faça ela acreditar que a fofoca te garantiu vários cruzos. Quando ela passar a confiar em você… *BOOOM*, descubra um podre delãm.

Pede ajuda das amica

A partir daí é só fazer isso todas as vezes que você souber de alguma nova história sobre a sua vida sexual, no final das contas TODO MUNDO vai ter rabo preso com você e ninguém vai ter mais coragem de abrir o bocão pra te gongar. Acreditem, queridas, FUNCIONA! Eu fiz isso e em poucos meses as fofocas diminuíram consideravelmente. Claro que depois que entrei no Babado Certo as fofocas voltaram, mas num dá nada, quando se é famosa é só chamar a fofoqueira de recalcada que todo mundo acredita que é mentira.

Mas, por favor, durante esse processo PAREM de schupar os boys no banheiro do Terminal de Carapina, garáleo!

p.s.: Caso vocês não consigam os podres, me mandem um e-mail, tenho uma lista enorme que venho construindo desde 2007, contendo o nome das gays mais biscates de Vitória e seus respectivos deslizes. Se bobear, até a senhora está lá, hahahaha.