Pintosa Pride! Orgulho de Ser Pão-com- Ovo!


Beijumeliga, bee!

Beijumeliga, bee!

Confesso que estou meio decepcionada, chocada e um pouco triste com algumas  coisas que leio aqui nos comentários. O preconceito contra bichas feias, pobres e de cabelo ruim é cada vez mais aceito no mundo gay. Gente, olha que coisa absurda! A gente sai da Move/Heaven e leva porrada dos Hts e machistas que se acham normais e o padrão social. Dai quando a gente está lá dentro faz o mesmo. Estamos criando um padrão de gay que quase ninguém pode atingir.

Vejamos alguns requisitos básicos:

– tem que morar bem (tem que ser em Vix em JP, PC, MP ou JC, melhor ainda se morar nas Ilhas do Boi e do Frade); dá ainda pra aceitar as bonitas de Vila Velha, no máximo da Praia da Costa e Itapuã; Serra e Cariacica, jamaiiiiiiiiiis!
– tem que ser bonito, de dar invejas nas outras beeshas; principalmente tem dar inveja nas outras;
–  tem que ser sarado, malhar muito, nunca um gordo;
tem que fuder bem, logo tem que ter a pica grande ou uma bunda dura com marca de sungão;
– tem que ter roupa de marca (lojas de departamento jamais, no máximo Zara) e as cuecas tem que ser Calvin Klein e BRANCAS, no máximo uma Cavalera ou Zoomp;
–  tem que ser brozeado, pele sem acne;
– tem que ser viajado e de preferência para Europa ou América Anglo-Saxônica, no Brasil talvez no Rio (reveillon), Floripa (carnaval), Sampa (na Parada) e Buenos Aires, que já é quase uma cidade brasileira  (no inverno);
– tem que ter bons amigos (famosos, ricos e influentes);
– tem que chegar na boate em um bom carro, no máximo um táxi;
– tem que ser muito másculo, nada afeminado. macho até embaixo de outro macho;
– tem que passar despercebido na rua, daquele estilo que ninguém desconfia e agradecer quando falarem “você nem parece que é gay”;
– tem que ser hiper discreto, só amigos mais próximos podem saber;
– tem que ter namorado e se for solteiro não pode fazer pegação;
– tem que beber bebida cara, mesmo que seja cerveja que seja a mais cara e se beber refrigerante que seja ligh/zero;
– tem que ir sempre nos restaurantes mais caros e na moda;
– tem que ter sempre um bom corte de cabelo;
– tem que ter sempre um bom tipo de cabelo, pele, dente e pau (de novo);
– tem que ser liso, depilado, no máximo pelos no peito bem aparados;

Pago meu Kolene, e ninguém tem nada com isso!

Pago meu Kolene, e ninguém tem nada com isso!

Nossa a lista ficaria enorme… Agora, eu pergunta quantos de nós realmente preenchemos metade desses requisitos? Quantas pessoas assim nós conhecemos? Por que a gente exige dos outros características que muitas vezes não temos e que eles não estão a fim de ter. Eu fico imaginando como as pocs, pão-com-ovo, quá-quá são felizes. Vestem-se como podem, se corportam como querem, pintam e borda, andam de Transcol e ainda fazem zona! Genthy, reparam como as finas sempre estão com cara fechada e de poucos amigos? Agora, olhem para as pintosas? Sempre felizes! Se eu saio de casa, é por que quero diversão, rir, beijar na boca e ser feliz sem me importar com ninguém. Já basta a sociedade homofóbica, machistas e classista que a gente encontra fora da boate.

Outra coisa. Cada um de nós gays, travas, sapas e o que for devemos muito as pintosas. Sabe por quê? Porque são elas que apanham dos pit-boys, dos homofóbicos, são motivos de chacota na televisão e são sempre humilhadas. Se hoje, a gente tem o mínimo de liberdade é por conta das pintosas rechaçadas que foram as ruas protestar e lutar contra o preconceito. Foram as pintosas e pobres, as maiores vítimas, que dizeram basta ao gueto. As ricas e bonitas tinham grana para viajar e fingir que o mundo era perfeito. E não é agora que a gente minimamente pode ser assumir que vamos ter que seguir um padrãozinho qualquer e pior, exigir que as pintosas fiquem másculas! Viva as pintosas! Elas arrasam!

E por fim, Eu adoooooro mortadela. Seja metafora ou não. Quanto mais pesada e grossa melhor!