Essas PVT’s…


Flyer do evento

Fui descobrir sábado que ‘PVT’ (do inglês, “Private”) serve para designar qualquer festa que reúna um grupo considerável de pessoas a fim de rockear.

Eu ainda estava na época que usavam essa expressão para falar de raves com menos pessoas.

Enfim, vocês leram no BCG [De volta a Pontal de Areia] que Ariadna estava no churrasco na casa da sapa, mas desapareceu no mesmo dia. Isso porque ela foi numa PVT em Camburi.

Disse Ariadna que a PVT foi tão tensa que, além das gays e héteros se comendo pelos cantos, teve até uma racha que bebeu demais e distribuiu boquetes em público! Segundo ela, até o vídeo do momento já está rolando na internet.

Portanto, se ouvirem falar pelo Facebook de “Ruivinha do Bola Gato”, saibam que é sobre esse ocorrido que estão se referindo.

Cadê o pai desse povo pra dar uma surra de Espada de São Jorge nessas crianças?

Bafão ou Recalque? Vamos acompanhar…


Onde é essa festa linda, gente?! Pode plagiar?

Como avisei aqui no blog, ontem teve o evento “Impacto”, comemorando o aniversário do Diretor Artístico da Chica, Magno Procter.

Eu tentei ir, mas minha Sinusite atacou e eu passei bastante mal ontem à noite. Dizem que a casa passou do número máximo de pessoas e cerca de 630 pessoas foram contabilizadas. Sucesso total, néam?

Só que hoje fiquei o dia todo longe da internet. E enquanto eu assistia meus filmes do Telecine Touch debaixo das cobertas, um bafão se iniciava no Facebook, através de um perfil que se intitula “Babados da Noite”. Aliás, a quantidade de perfis do Face voltados para fofocar sobre a noite de Vitorinha aumenta a cada dia!

Quem vê até pensa que é esse fervo todo aqui na província.

Pois bem, cata o que o perfil publicou hoje (Não postarei o print da tela porque o português da bee é MUITO SOFRIDO e eu juro que tive que convocar uma bancada de doutores em linguística para conseguir entender o que ela escreveu, então, transcreverei corrigido para que vocês também entendam, okay?):

Bom dia galera! Vamos aos babados da noite:

Ontem, na Boate Chica Chiclete, foi comemorado o aniversário do promoter Magno. Mas teve babado, confusão, gritaria e tiroteio, como disse a Miss Boa Vista, Izabelly Bennett. Que já está acostumada com os tiroteios no seu bairro.

Ontem também tiveram shows horríveis, como a da Khyra Thamer e Cyrax. Khyra Thamer com sua dublagem terrível, performance ridícula, ganhou o Top Drag 2012 porque todos a conhecem, não porque ela é top.

Nem vou falar de Christinny Walker, que imita as drags cariocas (ela acha que é a Mikaella). Cyrax com suas roupas ridículas e sua maguiagem horrível… pessoas que batem cartão lá.

Enfim, casa lotada, mas só gente feia, tinham muitas feirantes (frequedadoras da feirinha do cu, em Itaparica). Ontem, na saida da Chica Chiclete, uma bicha foi agredida perto do Platinum, por ser muito pintosa. Ridículo isso. Mais tarde posto fotos. Beijos e ótimo domingo.

Oh god, vocês estão lendo o texto agora e estão entendendo, mas não têm a menor NOÇÃO de como é o original, dá só uma olhadchênha (não resisti em postar ;)):


É… não precisa agradecer, hahaha. Mas não acabou, fica que tem mais!

Notícias URGENTES: Minha irmã Copélia Silva está na Boate da Chica. Ela diz: “O inferno está vazio e os DEMÔNIOS ESTÃO TODOS LÁ”. Hello, Copélia, isso não é novidade.

Todos os finais de semana eles estão na Chica, mas a [aquela boate que eu não posso falar o nome] não fica atrás, aqui também só têm DEMÔNIAS, umas bichas que se acham o Crô, mas não têm nem um centavo. Ficam com o mesmo copo de Big Apple na mão a noite toda.

Aguardem, daqui a pouco tem mais babados.

E assim ela continuou durante todo o dia. Entretanto, vocês sabem que a Max não nasceu ontem e logo ficou ligadinha quando leu isso:

Boa tarde galera! Hoje tem Black House, onde toca os melhores sons aos domingos. Eu, Berenice Silva, e Copélia Silva estaremos lá, vigiando os babados da Black. Vacilou vai ser comentado! Aguardem…

Nostalgia

Minha nossa, como essa gay gosta de reticências, nunca vi tanto ponto na vida desde a época que estudei o alfabeto pontilhado na pré-escola.

Mas vamos pensar um pouco, a gay reclama que na Chica todo mundo é ridículo, todas as drags são ruins, só tem demônio por lá, mas a Black House é a melhor balada de Vitorinha?

Quem não se lembra do post sobre a casa quando ela era no Ibes? Tudo bem, os arquivos do Babado Certo lembram pra você:

Estranho… mas não vejo diferença de público. O problema então está na casa ou nas gays de Vitória? Não sabemos, mas isso me cheira a mágoa de cabocla.

Em resposta oficial, Magno Procter disse:

A festa de ontem foi maravilhosa, como todos os anos. Casa estava mega-lotada e com a participação de diversos tipos de pessoas. Os shows foram maravilhosos e únicos, Khyra Thammer estava perfeita em seu show, mais que mereceu o seu título de Top Drag este ano, escolhida pelos jurados, não pelo público.

Ninguém se compara a Mikaella, no caso da Christinny, cada um tem o seu brilho e o seu estilo único de fazer show. E ela é maravilhosa! Cyrax arrasou na maquiagem, que estava digna e proporcional ao show.

Independente de beleza ou não. O que importa para nós é receber todos muito bem e tratá-los com respeito como em um todo. Em relação ao acontecimento da gay ser agredida, sinto muito por existirem pessoas que praticam este tipo de ato, mas não se pode culpar a boate pelo que acontece do lado de fora dela.

Falar mais o quê diante disso, néam?

Muita Falácia do Espantalho pra pouco bafão

Menos, bee, bem menos, antes de falar de alguém vá se alfabetizar e não me deixe ficar preta!

BÔNUS:

Só conhece… bem vagamente… hahahaha

Já pode pedir o dinheiro de volta, moço?!


Kelly Key toma a atitude perigosíssima de tentar misturar a sua bela voz com “Como uma Deusa”, num show, cata o resultado:

“Eu ouvi dez anos da minha vida que eu não canto porra nenhuma”, hahahaha!

Pra você ver o que é a perseverança do ser humano, ouviu 10 anos que não canta nada e ainda insiste nisso? Já dava tempo de ter feito uma faculdade… embarcado numa outra carreira…

Via PopLine

Se fingiu de gay… sei…


O bafo do momento é a técnica do detetive Peter Lazar, da Flórida, para prender as bee’s que fazem pegação nos bosques de Palm Beach, cata:

“Ele se aproximava, atraía e seduzia os caras que estavam sozinhos nos carros, começava uma conversa sobre sexo e então prendia eles” contou Fort Lauderdale, um dos advogados das vítimas (que tem nome de lugar babadeiro em Miami, segundo uma bee viajadíssima que comentou aqui).

Já começo a achar uó por aí, lá é crime “falar de sexo” com desconhecidos? Porque se fosse aqui no Braseel, eu já teria a ficha criminal mais comprida que rolo de papel higiênico.

Com a boca na botija

Segundo a polícia de lá, 600 gays foram presas entre os anos de 2005 e 2010. Na verdade, detidas, porque presas mesmo foram só três: Duas que mostraram a neca pro detetive, e outra que foi pega fazendo sexo no banheiro público.

Sobre mostrar a neca, meu koo pro detetive, porque acho que mostrar a neca pra alguém é um ato nobre de confiança, afinal, a neca é a parte mais sensível do corpo do homem, se o boy deixa exposta significa que ele só tem boas intenções contigo, não é meishmo?

Mas fiquei curiosa com o segundo caso, “UMA pessoa foi presa ao ser flagrada fazendo sexo no banheiro público”. UMA PESSOA? Mas sexo não se faz a dois (três… dez… ad infinitum)? Por que não prenderam a outra bee? Será que…

“Eu tife medoãm, e fiz issoãm”

Dica do Pedro, via USCHA