Ai, como eu amo os anos 90


tumblr_mgu9k2k0tG1qmy0qpo1_500Já devo ter falado pra vocês o quanto estou desgostosa com esse novo milênio, né?

A sociedade parece que retrocedeu em tudo: Mais homofobia, mais machismo, mais separação de gênero, mais puritanismo. Tudo isso mascarado por uma falsa impressão de que, por causa da liberdade sexual das mulheres frutas, os brasileiros estão mais tolerantes.

Meu rabo, o brasileiro está muito mais preconceituoso que nos anos 90 e muito mais fiscal do cu alheio.

As mudanças repentinas de comportamento dos oprimidos (gays, negros, putas, mulheres no geral) parece que resgatou essa ideologia medieval de “valores e bons costumes”

Essa deveria ser a Era da Campanha pela Vida: Cada um cuidando da sua.

Aí me mandaram o vídeo abaixo nos comentários, vídeo esse que eu já fiquei sabendo que foi postado na Katylene.

Aviso aqui logo no post que eu não tiro as minhas pautas ou novidades de lá. Aliás, não entro há meses naquele site, desde que o dialeto dela se tornou intraduzível:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=NiPNlIX8wxc&w=420&h=315%5D]

Uma gracinha não é verdade? Quem viveu sua infância nos anos 90 sabe a delícia que era TUDO naquele período, desde os videogames até o preço da cerveja.

Aí eu, muito otária, resolvi ler os comentários do Youtube enquanto ouvia a música. Dei de cara com isso:

mraa

meu cu

tumblr_mg1xwzSOyx1qb6cnho1_400Vergonhoso, né? Uma mulher sendo machista, e recebendo 48 “likes” neste comentário que agride toda uma geração de mulheres que lutam pela liberdade feminina, inclusive pela liberdade de ser vadia.

E não pensem que isso está muito longe de nós não, meus queridos. Andei conversando com uns amigos com mais de 35 anos e os perguntei sobre como era o comportamento dos gays na época que eles eram mais jovens.

A resposta foi unânime: Naquela época ninguém repetia o comportamento repressor da sexualidade feminina no universo LGBT.

Você não via beesha julgando a outra pelo seu comportamento sexual um pouco mais libertino, era até incentivado!

tumblr_mfz01vDnEz1qb6cnho1_500Hoje não, há a necessidade de uma hierarquia: “Eu dou o meu koo, mas a bicha filho do vizinho já deu pra 5 homens a mais que eu, ela merece menos respeito por isso. Eu me valorizo”.

Ai, bee, se você faz isso PARE JÁ, quem tem valor é mercadoria e você é viado, você dá a sua bunda, aceite de uma vez por todas que mesmo que você não veja uma piroca há décadas, você sempre vai ser vista como depravada só pelo fato de ser gay (eu sei que eu já disse isso, mas nunca é demais repetir).

Não é à toa que a palavra transviado já tem viado no nome pra poder nos colocar no nosso lugar, sem precisar de explicações.

Ah, Max, mas é por isso que a gente tem que ser santinho, pra tirar o estigma de que todo gay é safado e trepa com todo mundo.

Pra você que pensa assim.

Pra você que pensa assim.

tumblr_mc3qrby9Qj1qzhrv4o1_500Não, diabo, a gente não precisa dar 40 passos pra trás pra dar um pra frente. Temos que nos unir com as feministas contra a fiscalização do cu alheio, não a favor do machismo no meio gay.

Porque não existe um valor específico de trepadas para que uma pessoa passe a ser vadia, esse número nunca vai existir, basta você fazer sexo e permitir que a sociedade saiba disso que, mesmo que tenha sido com o pé da cama, você é taxado como tal.

Fico pensando o que aconteceu para que nós gays absorvêssemos esses valores vazios de comportamento sexual, valores cheios de detalhes de “como e quando trepar”, que em absolutamente nada tem a adicionar na nossa luta.

É impossível se fazer uma Revolução Sexual sem fazer sexo, minhas lindas.

laerte

As Creusas e o Sexo


Todo mundo aqui se lembra da Creusa da novela América, não é meihsmo? Pra quem não se lembra, é aquela personagem da Juliana Paes, super beata e que à noite saía pra seduzir os boys da cidade, com sua cinta-liga caricata.

Até então eu pensava que isso era um reflexo do machismo que sempre castrou a sexualidade da mulher e acabou por criar comportamentos desse tipo, mas eu achava que isso só afetasse os heterossexuais, com seus tabus e koo’s intocáveis. Uma vez que nós gays nos permitimos um pouco mais de liberdade quando o assunto é sexo… é… mas nem todo mundo é assim.

E esse piercing?

Esses dias estava conversando com uma amiga, e ela me contou sobre uma gay colega nossa, que sempre pagou de evangelicazona, puritana, que mesmo sendo gay e cristão (o que já é um grande absurdo), sonhava com o príncipe encantado e sempre fazia críticas ferrenhas ao meu comportamento libertino.

O que eu não sabia era que essa mesma gay teve a audácia de convidar essa minha amiga para fazer um ménage à troi com um boy que ela conheceu no Chat Uol (Essas sem vida social sempre apelam pro Chat Uol). Quando ela, chocada, falou que não ia, ele respondeu que já tinha feito sexo com mais de um homem diversas vezes e que era super divertido.

Não que eu discorde, realmente é super divertido ser a única passiva de um grupo de ativos sedentos por carne, mas qual o propósito de botar banca de moralista, ofender as outras pessoas e depois fazer EXATAMENTE aquilo que diz abominar?

Outro dia estava num bar com várias beeshas desconhecidas, e comecei a falar de sexo, assunto que eu amo discutir, afinal, é trocando experiências com os amigos que a gente conhece melhor o seu corpo, o corpo dos outros e tudo aquilo que é saudável ou não na cama, tô mentindo?

Entretanto, as gays ficaram possessas com o papo, diziam que não gostavam de falar sobre aquele assunto porque tudo que elas faziam deveria ficar entre 4 paredes. Claro que tem que ficar entre 4 paredes, ninguém tá pedindo para que elas façam sexo no meio da Rua da Lama (no banheirón podtchy)!

Todo mundo come e todo mundo trepa, todo mundo conversa sobre comida por ser algo generalizado e se sexo também o é, porque não falar sobre ele?

Todo mundo come

Farinha do mesmo saco

Por isso chamo essas bee’s de Creusa, tenho pra mim que todo assunto que uma pessoa abomina é pelo fato dela ter rabo preso com ele. Pior ainda são os moralistas, aliás, essa palavra não existe sem o prefixo “falso-“, é impossível que uma pessoa ande 100% de acordo com todos os dogmas de valores e bons costumes judaico-cristãos, e se anda, pode ter certeza que é um poço de recalque. Enfim, andando ou não, ser gay já é um motivo e tanto pra deixar sá porra toda de lado e apreciar a ida inevitável pro inferno.

Portanto, se você é uma dessas enjoativas que acham que copiando o comportamento dos héteros moralistas você vai se sentir mais inserido na sociedade, let it go, bebê. Para esses mesmos héteros moralistas você é tão vinhádo e degenerado quanto a passivona que vai pro Cine Erótico atrás de rola, porque para a homofobia não importa a sua índole, seu caráter, se você só faz sexo depois do casamento… você faz tudo isso COM HOMEM, e isso já basta para que você seja igualada a todo o resto.

Então, cá entre nós, não é melhor estar com a consciência limpa, trepando seja com desconhecidos ou com seu namorado de 5 anos, sem tentar se por numa posição privilegiada só pelo que você faz ou deixa de fazer com seu edi? É fato que você vai se sentir muito melhor e poupar muitos anos de uso de Renew Clinical para desamarrar essa cara mal-humorada sua, assim: