O que você acha de mulheres pagarem menos na balada?


Eu tentando enganar pra pagar menos na balada hétero

Todo mundo já ouviu falar da promoção: “homens pagam 30 e mulheres pagam 20”.

Há quem diga que isso é um reflexo da diferença de salários entre homens e mulheres, que é uma tentativa de atrair mais homens para o local, que é porque mulheres bebem menos, ou que é apenas uma jogada de marketing. E mesmo sendo jogada de marketing, não quer dizer que não seja machista, uma coisa não exclui a outra, certo?

A gente sabe que 10 reais não influenciam nos crimes cometidos contra a mulher e muito menos a igualdade dos preços faria com que as que já iriam pagando menos deixassem de ir.

Bebo menos

Entretanto, a mudança de pequenas práticas claramente discriminatórias já é uma demonstração de que pelo menos aquele evento não faz uso de táticas machistas de mercado para angariar participantes.

É uma mudança 100% ideológica, afinal, se os preços fossem iguais, o rock daria a impressão de ser como outro qualquer, mas com divisão sexual de preços a impressão é totalmente diferente, porque no fundo todo mundo sabe a real intenção disso.

Capetalismo

A diferenciação de preço pelo sexo tem a intenção clara de dar a impressão de que terá mais mulheres para que mais homens resolvam ir ao evento. Como se o evento fosse baseado na vontade do homem e as mulheres ali não seriam o público-alvo da festa, estariam sendo embriagadas para servir como entretenimento para esses homens que foram pra lá após perceberem a “inocente” tática capitalista.

Acontece que muitas mulheres se sentem confortáveis nessa situação, por pagarem menos e terem suas promoções de bebida grátis, sob o argumento de que bêbadas ou não, elas só pegariam se quisessem. Não é essa a discussão, é perceber que o machismo nem sempre é diretamente prejudicial, ou causa danos à mulher, mas que a maioria das práticas machistas são como essas, vestidas de pele de cordeiro.

Capitalismo + Machismo, taí a Sheila que não me deixa mentir

Obviamente, 10 reais não mudaria nada na quantidade de mulheres, já admitimos isso lá em cima, a maioria está cagando pra isso. Eu estou falando das pessoas que deixariam de ir por terem conhecimento do que esse tipo de festa tem em mente, daí eu incluo homens e mulheres feministas, gays e lésbicas.

Essas pessoas deixariam de ir ao evento, e se a intenção de toda festa é atrair o maior número de pessoas, essa nunca será a melhor maneira de começar. Basta observar a diversidade de grupos numa festa alternativa (que não divide preço por sexo) para uma festa que promove essa prática. É gritante que o primeiro atrai uma quantidade infinitamente maior de pessoas diversas.

Vale lembrar que em algumas boates gays também existe essa diferença de preço, na The Week de São Paulo, por exemplo, homens pagam 50 e mulheres 70 reais, isso seria uma jogada de marketing sem machismo? Afinal, a boate é praticamente toda voltada pro público gay masculino.

O que vocês acham? Vamos votar?