Uma neca dourada!


Estamos aqui para fazer uma menção honrosa a bicha que passou horas para cortar um pedacinho de poucos segundos do filme Garota Exemplar e nos deu um dos gifs mais deliciosos do ano. É essa saborosa cena – que agora podemos ver em um sensual loop infinito – em que o ator Ben Affleck deixa escapulir seus lindos dotes. Apreciem:

COISA BOA PRA VOCÊ, MEU AMOR!

Sim, bicha, tá mole. TÁ MOLE!!!!!!

benNovamente, obrigado a todos os envolvidos. Depois dessa só nos resta cantar:

Espetáculo gay no Carlos Gomes na próxima quarta


inabitáveis1

Amanhã, quarta-feira (05/02), além de ser meu aniversário (#fikadika), haverá um belíssimo espetáculo no Theatro Carlos Gomes, em Vitória, tratando sobre a questão do ser gay.

O encontro entre dois homens, o sexo casual e – por que não? – algo mais que a casualidade são o começo, o meio e o fim do espetáculo Inabitáveis, duo de dança da companhia In Pares, que faz única apresentação gratuita nesta quarta-feira (05), às 19 horas, dentro do Projeto Verão no Theatro que acontece até o dia 23 de fevereiro no Carlos Gomes.

O desejo de abordar a homossexualidade já era um desejo do coreógrafo do espetáculo, o renomado Gil Mendes. “Eu queria abordar um tema que falasse da relação homoerótica. Acho que é o momento de falar sobre isso na dança”, afirma Gil com a experiência de 30 anos de carreira e ter idealizado coreografias para vinte e cinco espetáculos, entre dança e teatro.inabitáveis2

Após ler um artigo que discutia a condição dos “inabitáveis” (pessoas que vão a locais específicos em busca de sexo casual) ele encontrou seu tema. “A gente quer falar das relações que acontecem fora do olhar da sociedade” explica. Durante o processo de criação a abordagem, que seria mais crua, ganhou novos contornos. “No fundo rolou uma questão da afetividade no trabalho, de uma maneira não planejada. Surgiu o conflito e a afetividade. O conflito é algo que permeia a homossexualidade”.

Tratar da questão da homossexualidade através da arte é a oportunidade de levantar o debate sobre um assunto que ainda hoje gera tanta polêmica. “O tema é instigante. A gente esta em um momento de mostrar a sexualidade” acredita Luciano Coelho, um bailarino que divide a cena com Mauro Marques. Para ele, a delicadeza é um dos destaques do espetáculo. “Mostrar o assunto de forma poética, com cuidado foi fundamental. Por mais que esteja explicito, tudo é apresentado com naturalidade”.

Com um novo trabalho em processo de criação (Banzô inspirado na obra de Guimarães Rosa e com curadoria artística da baiana Cristina Castro) com previsão de estreia para abril, Gil, em nome dos meninos do In Pares deixa o convite para a apresentação desta quarta: “Nós queremos que as pessoas estejam lá, porque é um trabalho feito com carinho, dedicação e suor. E estamos falando de um tema que a gente gostaria que fosse mais e mais debatido” (FONTE).

Assista ao teaser da peça:

Acho que não preciso falar que é uma programação imperdível para quem gosta de espetáculos cênicos, para aquelas bichas que são mais cults, mais ligadas as artes, porque nosso estado é bem pobre de fatos culturais relevantes, por isso quando tem, tem que aproveitar. As críticas a peça estão bastante positivas, além disso o tema é viadice, aliás é pegação gay apresentada de forma lúdica, mais motivos para assistir. Se a senhora não for pela arte, pode ir pelos boys pelados, pronto! rs

SERVIÇO:
Espetáculo “INABITÁVEIS”
Quando: 05/02 – Quarta-feira, às 19 horas.
Onde: Theatro Carlos Gomes (como chegar aqui).
Quanto: DE GRAÇA! (retirar os ingressos 1 horas antes do espetáculo).

Quando dois ativos se encontram!


Chega na hora H e ninguém fez a fatídica pergunta “a ou p?” ou – o que é pior – um entende “sou passivo”, quando o outro quis dizer, na verdade, “procuro passivo”…

Que a batalha comece!

ativoXAtivo

Clique para assistir ao vídeo.

Claro que isso jamais acontece aqui no ES, néam? rs

Eu fiquei assim, poético:

“Adoro pau mole/pelo que ele expõe de vulnerável e pelo que encerra de possibilidade./Adoro pau mole/porque tocar um pressupõe a existência de uma intimidade e uma liberdade/que eu prezo e quero, sempre./Porque ele é ícone do pós-sexo/(que é intrínseca e automaticamente/– ainda que talvez um pouco antecipadamente)/sempre um pré-sexo também”.

Na verdade, o vídeo é uma campanha sueca sobre prevenção do HIV e sobre a importância de se fazer o teste.

Vai viajar para o exterior?


tamanho penis

Clique sobre a imagem para ver ampliado.

Então dê uma olhadinha neste mapa:

Se você for guerreira e rica sugiro visitar as florestas tropicais africas, mais especificamente a República do Congo com seus pênis na MÉDIA de 18,03 cm (isso, média, viado!). Se for guerreira, mas está com orçamento apertado – como se algo na senhora fosse… –  sugiro nossos vizinhos latino-americanos. Que tal os Equatorianos com seus 17,7 cm, ou os colombianos e os Venezuelanos com seus com seus 17 cm. Já chega no aeroporto assim ó:

Agora se a senhora for apertada e rasa, se joga no extremo oriente, gata! Conheça Tókio e seus habitantes  japoneses com seus 10,9 cm, ou a desenvolvimentista China e sua média de 10,8 cm de rola, ou, quem sabe, os sul-coreanos com seus surpreendentes 9,6 cm médios (rs, médios!). Aproveita que são países de alta tecnologia e arrasa nos equipamentos ópticos.

“Mas, gente, cadê?”

Mas claro que isso não é nenhuma novidade para você que é uma bicha que manja das putarias de internet e já fez pesquisas empíricas em sites altamente especializados em categorias sexo e geografia que são tão detalhados que incluem até categorias como autofelação interracial de gays siameses albinos anões manetas tecelões da Guiné Equatorial.