Gatos são vadias… e viados!


Gente! Li um texto sensacional e PRECISO dividir com vocês!

É sobre Feminismo (novidade), e faz uma analogia entre gatos e mulheres vadias. Mas acho que isso pode se estender também para nós beeshas.

tumblr_minibaSJVc1r1vc84o1_250

Vamos ler?

gatos

continue

CONTINUE LENDO CLICANDO AQUI

Mereceu o Selo Preguiça do Amor!

tumblr_mijyl5B9tQ1qdlh1io1_400

escuseVai me dizer que não se identificou com o texto? Principalmente na parte que ela diz que gatos “esfregam-se, massageiam, fazem charme, rebolam, lambem”, nos definiu!

Apesar da autora falar de mulheres, nós podemos sim incluir os homossexuais nessa intolerância à liberdade de expressão. Mais ainda as beeshas pintosas, que são a representação visual dessa sexualidade inaceitável, tanto quanto a mulher de vestido curto.

Mas você deve estar se perguntando: Cachorros também lambem, rebolam, seduzem, mostram as partes íntimas.

Só que cachorros são submissos à vontade do dono (lê-se sociedade) e logo colocam seu rabinho entre as pernas diante do menor sinal de descontentamento (lê-se encubado que esconde a pinta).

No final das contas, a sociedade quer que sejamos cachorros: Dependentes da aprovação e das regras dela.

Não, minto! Eles até aceitam que sejamos gatos, mas gatos adestrados pelo Cesar Millan – que aliás não aguento mais ver a cara no Animal Planet.

tumblr_mm3gkgDKDz1qcmny4o1_250

Entón, solte essa leoa que tem dentro de você, bee!

tumblr_mfnhr12yGK1rjcfxro1_250

Vemk meu nêgo

Guest Post: A onda de sair do armário e duas consequências


tumblr_mfczveBT751qzpudzo1_250Eba! Pelo que parece vocês adoraram a proposta de poder enviar postagens para o blog. Recebi vários e-mails com textos interessantíssimos, que postarei mais futuramente.

Em falar nisso, se você não enviou seu post ainda, pode enviar quando quiser, os guest posts vão ser uma parte integrante do Babado Certo agora, okay?

Então vamos ao primeiro post, escrito pelo Wallace Zank.

Vale lembrar que a opinião dele não reflete a minha opinião, então, se vocês ficarem bravos, não descontem em mim! hahahaha

Segue o texto:

200px-Jean_wyllysNunca fui muito engajado em causas sociais, acho bonito, dizem que é in, tá na moda ser ongueiro, ativista social, uma onda de purismo e bondade invade nosso mundinho torpe e declinado.

Das atrizes globais aos menos afortunados das classes suburbanas, todos estão unidos de mãos dadas para o bem do nosso planeta. E não poderia estar fora dessa onde de ¨aceitação global¨ a causa da homossexualidade, afinal, o país que sedia dois dos maiores encontros mundiais pró a causa cor de rosa não poderia alienar-se a tudo.

roniquito-jogador-de-futebol-gay-avenida-brasilSendo sincero, me incomoda essa onda de falso-moralismo que assola principalmente os gays.

Se ouve muitos “saia do armário”, “se aceite como é”, “dê o primeiro passo”, algo que vem sendo acrescido pelos noveleiros que insistem em colocar personagens gays em seus folhetins vítimas de suas neuroses por carregar o fardo da sexualidade reprimida.

amat02O fato que causa meu desconforto é que grande maioria da parcela gay assumida, são formada de pessoas que não têm vínculo social, ou simplesmente não possuem carreira sólida, ou seja, são os famosos ¨porra-locas¨ que não ligam pra ninguém. E numa utopia quase que riponga acreditam que suas ações não influenciam o mundo externo da sua bolha de sabão, e que em sua ingenuidade creem que as ações dos outros não os atingem. Ledo engano.

Machuca?

Machuca?

Vamos ser sinceros, o velho dito dos “paus e pedras não me atingirão” é pura cascata, o que os outros pensam e falam sim, influenciam em nossas vidas (pelo menos em parte dela), isso é visível principalmente no meio ¨G¨, se você analisar bem quando alguém assume sua condição ¨purpurinosa¨ (o famoso gay trio elétrico, cheio de luz, brilho e musiquinha ambiente que o segue constantemente) a primeira atitude que o dito cujo tem é se refugiar nos guetos gays, é uma forma de autoproteção contra as possíveis críticas do mundo externo. Dando uma volta por grandes capitais brasileiras onde se é possível analisar melhor a ¨espécie¨ é possível observar o grande numero de gays, que trabalham em bancas de jornais, lojinhas de roupas e afins, ou seja, gays que não são lá modelos perfeitos de homens de sucesso.

Pra ser feliz...

Pra ser feliz…

tumblr_mex622IDyf1rm8g82o1_1280Talvez isso seja influencia lá dos estranja, gay no Brasil não sabia ser gay aprendeu vendo TV, aí veio aquela imagem estereotipada de gay bolo de caixinha, que anda rebolando, que age afetadamente que escancara o verbo, e o pior é a maldita sigla LGBT (gays, lésbicas, bi e transgênicos?!) que até hoje me dá  impressão que estamos falando de ¨frutas e legumes¨e não de pessoas.

Cada um faz o que acha melhor com sua vida, só sou contra ao extremismo quase militante dos ¨assumidos¨. A impressão que tenho é estão catalogando os gays e eu não sei. Só que penso que sua vida é algo que diz respeito apenas a você e aos seus entes queridos, e se ainda temos problemas com discriminação a despeito da cor de pele de um individuo quanto mais a sua opção sexual.

Para as colegas de plantão só um recado: sua vida não é um Big Brother: não diz respeito a todos, só a você.

tumblr_mesxi4MfvP1rb0jvjo1_500Opinião da Max: É… ele foi bastaaaaaante elitista no texto dele, e resumiu o gay assumido ao gay que dá pinta. E a tia Max já ensinou em vários textos aqui que a diversidade do meio gay é tão grande quanto a diversidade da própria sociedade. Sua sexualidade não influencia na sua personalidade, as experiências que essa sexualidade te oferecem é que vão influenciar.

tumblr_mf6do8WniN1qb6cnho1_500A tal pressão sobre a que ele fala não vejo como uma maneira de “catalogar” os gays, ou “fazer pressão” sobre os encubados. Nada disso, é uma maneira dos militantes mostrarem que o CERTO, numa sociedade ideal, seria que gay nenhum tivesse que assumir nada, assim como o hétero não precisa fazê-lo.

Entretanto, infelizmente nossa sociedade está bem longe de ser ideal, e por esse motivo, a única maneira de fazer as pessoas verem a homossexualidade com mais naturalidade é com um grande número de gays se assumindo e vivendo em meio a ela: da pintosa que trabalha na banca de jornal até a bombadona advogata que chupa os clientes héteros em viradas de noite lendo processo.

tumblr_mfgujk21Lm1qivspno1_500Quanto mais for visto, mais rápido se tornará indiferente. A pintosa ainda incomoda muita gente exatamente por causa do protecionismo comportamental do brasileiro, que não aceita e não está acostumado com as variações desse comportamento (basta observar como os héteros são previsíveis).

Aliás, é por isso que ela vai pro gueto, porque todo mundo tem auto-estima, sabiam disso? Pois é, a bichinha que chega na boate com sua blusinha fashion surrada só está ali porque é o único lugar que a beleza dela vai ser admirada, e onde ela pode fazer pegação sem sofrer bullying.

Não porque ela está triste e depressiva com a homofobia, procurando se isolar, como disse o autor do texto. Isso não a torna menos revolucionária e corajosa, todo mundo precisa de um pouco de paz de vez em quando, porque de segunda a sexta ela estará lá, pegando o Transcol, chocando e sociedade e lutando pelos direitos que você vai fazer uso futuramente.

E digo mais, se hoje você tem a opção de “escolher assumir” é porque muita pintosa deu a cara pra bater e se assumiu numa época que a opção era somente fazer escondido. Então, elas foram, são e sempre serão um segmento fundamental para a luta LGBT, e o mínimo que a gente tem que fazer é não repetir o comportamento separatista da sociedade.

Admire minha beleza

Admire minha beleza

Quando ele reclama que os militantes estão “catalogando” o gays, não observa que fez a mesmíssima coisa em todo o texto acima, ao dividir os gays em sistemas de castas aptas ou não a viver plenamente em sociedade e usufruir de todos os seus nichos.

Compreendem? Purpurinada ou suja de graxa, somos todos igualmente VIADOS na visão da sociedade. E não tem argumento elitista que tire isso de você. Como disse a Senhora dos Absurdos:

“Pode ser bonito, macho, rico, mas tirando todos os filtros, o que sobra é o viado puro, o extrato do viado.”

engole

Mas guest posts são assim chamados porque o que importa é a opinião do convidado, a minha resposta nada mais foi que um comentário num lugar diferente de onde vocês vão comentar.

Então, o que acharam da opinião do rapaz, gatiras?

P.s.: Gostou do texto do rapaz? Quer enviar um post também? Corra e mande seu texto para max_babadocerto@hotmail.com.

Kooriosidades – Na Cama com Max [Tema: Ativos Afeminados]


A minha já virou verruga

Na última edição do Kooriosidades falei sobre a ereção dos passivos durante o sexo. Todos amaram e a discussão foi intensa nos comentários, o que me trouxe à tona outro tema polêmico sobre o qual sempre quis falar, Ativos Afeminados.

A maioria absoluta dos gays se interessam mais por parceiros sexuais masculinizados, que pareçam o máximo possível como um hétero típico. Eu já cansei de falar aqui que isso é uma grande ilusão, que TODO GAY dá algum tipo de pinta, e esperar que seu parceiro seja um estivador do Porto de Vitória é utopia.

Enfim, essa semana um rapaz mandou o seguinte depoimento para mim, cata:

Max, please. Help-me!
Sou gay e me considero um pouco afeminado, entretanto, eu gosto de ser ativo. Ocorre que eu não sinto atração por caras afeminados. Só questão de gosto mesmo, pois todos os meus amigos são afeminados. O problema que os caras machões geralmente também são ativos e quanto mais machos eles são, mais tesão em comê-los eu tenho. Será que sou obrigado a fazer a passiva só pq dou um pouco de pinta? Isso se tornou um paradoxo na minha cabeça! Pode escrever algo no blog a respeito pra eu saber a opinião das outras pessoas? Prometo revelar quem sou pra vc. Meajudaí amigã! Bjs. 

Mulher da relação 🙂

Ele foi genial, porque tocou na grande hipocrisia do meio GLS:

Reclamar que os héteros separam “quem é o homem e a mulher da relação”, mas não aceitar que o ativo seja mais afeminado que o passivo.

É… essa analogia te incomodou, néam? Eu sei disso, também me incomoda, faço parte do grupo de pessoas que ainda acha estranho um gay afeminado dizer que é ativo, confesso que já gargalhei inúmeras vezes na cara de Ariadna, amiga minha, que é uma flor-de-lótus, mas jura de pé junto que prefere ser ativa…

Meu número!

… o problema é alguém acreditar…  e eu entendo, afinal, 90% do primeiro contato entre dois parceiros sexuais em potencial é baseado na análise externa do comportamento, óbvio, por que cargas d’água eu daria em cima de alguém que logo de cara não me transpassa as características que eu considero importantes para o meu parceiro?

Entretanto, a culpa não é toda nossa, a sociedade nos ensinou a criar subgrupos e padrões para o que é ideal e acaba que tudo que foge àquilo torna-se errado, inútil ou vergonhoso.

Mas por que os passivos masculinizados não passam pelo mesmo problema?

Nem desconfiei!

Simples, nesse caso nós caímos no paradigma do “não precisa ser feminino pra ser gay, sou gay e gosto de homem”, e se esse homem ainda dá o edi mantendo toda a sua virilidade Viking, melhor ainda! Mais dentro dos padrões dos gays e da sociedade ele vai estar, afinal, quanto MENOS o gay demonstrar que é gay, menos “ofensivo” aos olhos dos moralistas ele será e, consequentemente, mais aceito.

Tudo isso é confortante e cabe no padrão de beleza do homem que nos foi imposto, ou vocês acham que os corpos mostrados na tv só influenciam as adolescentes bulímicas? Fale isso pros donos de academia que ganham rios de dinheiro com gays afeminadíssimas, que acham que malhando vão magicamente ficar mais machos que o Maguila… é… só enquanto permanecerem paradas e sem abrir a boca, hahahaha.

O.O

UPDATE: Havia me esquecido de falar também do sexo, que é o ponto-chave da questão. Considerando o sexo homossexual claramente uma relação de dominação, um ativo que não possui a virilidade necessária para ser um “macho dominante” acaba perdendo pontos nesse jogo de interesses. Ainda mais diante de um passivo mais masculino, que se sentiria desconfortável sendo dominado por alguém com características femininas.

Porém, no caso do passivo masculinizado a situação é oposta, uma vez que um passivo masculino é muito mais difícil de se dominar, atrai boa parte dos gays ativos, que sentem prazer principalmente nessa dominação.

E vocês? O que pensam sobre isso? Ainda não conseguiram se desprender dos preconceitos de como o ativo e o passivo devem ser ou já estão num nível superior a essa porra toda?

Eu só sei que quando falarem que você deveria ser diferente, faça como a Lhama do Deboche:

Tá com um dilema de natureza sexual, social, econômica ou médica? Mande sua dúvida para max_babadocerto@hotmail.com, a tia Max consultará os universitários para tentar resolver o seu problema. 😉

15 maneiras de identificar um gay no Facebook


Com a queda da popularidade do Orkoot, todas as bee’s cabixabas migraram para o Facebook, que eu prefiro chamar de Facetruque, sim, pois o que mais você vê ali é gente falando que vai pra Europa todo fim de semana, mas na verdade mesmo tá pegando o Transcol pra ir trabalhar de Atendente de Telemarketing em Barcelona, na Serra.

Lá no Orkut, a gente já sabia como identificar, era o triângulo: “Avatar sem camisa, foto na buatchy e música de diva do pop traduzida na descrição do perfil”

Mas e no Face? Rola uma dúvida, porque a quantidade de poc-pocs lá ainda é pequena e a maioria das pessoas que usam possuem um mínimo grau de escolaridade, tornando mais difícil a identificação quando a gay não dá tanta pinta. Por isso, o Babado Certo vai te ajudar com 15 passos pra identificar se aquele boy que você desconfia é realmentre gay. Vamos lá?

1- Participa do aplicativo de Horóscopo Diário;

2- Tem fotos de travas, drags ou personagens de seriado com os amigos marcados;

3- Tem clipes da Lady Gaga, Beyoncé, Christina Aguilera e outras divas do pop postados no mural;

4- Tem casinha no The Sim Social, com vários bibelôs, quadros de arte e o famoso tapete todo colorido;

5- Se ele for malhado, invariavelmente vai ter uma foto dele sozinho e sem camisa em algum cômodo da casa ou na praia;

6- Se faz academia, vai postar toda vez que estiver a caminho dela, se está descontente com o corpo, vai postar toda vez que iniciar uma dieta;

7- Sempre tem fotos em boate, ou cercado de mulheres (sem encoxar nenhuma delas) ou cercado de outros rapazes muito parecidos com ele (sejam bee’s pintosas ou barbies bombadas);

8- Sempre você vai achar frases de escritores famosos ou correntes que falem mal de homem, por exemplo: “A mulher: nasce amando, vive chorando, e morre perdoando. O homem: nasce mentindo, vive iludindo, e morre traindo. “;

9- Em algum momento do mural ele vai postar: “Ouvindo Rolling in the Deep – Adele”;

10- Se ele for encubado, quando atualizar o status de relacionamento não vai dizer o nome da pessoa, mas se você olhar no “irmão” pode ter certeza que ele vai adicionar ali o seu amado;

11- Culinária! Típico de viado, ele vai contar o que e onde comeu, e se for mais metida a gastrônoma, vai postar a foto do prato e colocar um nome exótico, tipo: “Pão sírio recheado com hortaliças ao molho francês”, quando você vê o prato, nada mais é que um pão de forma com uma folha de alface e um fio de azeite por cima… Ah! É claro, e o orégano, sempre apelidado de “ervas finas” por essas bee’s;

Filé Mignon ao molho alemão da península de Schwan

12- Quando encubado, não adiciona as bee’s assumidas ou pintosas no Face, com medo da família ver. Mas mal ele sabe que a família pode descobrir isso pelos amigos em comum, uma vez que todos os gays de Vitória estão ligados de alguma forma;

13- Se você é amigo dele, e ele quer te pegar, é fato que antes de qualquer investida ele vai PRIMEIRO te cutucar no Face. Você e a todos os boys que ele deseja. Dependendo de quem cutuca de volta, a bee vai sondando o terreno;

14- Todo viado adora um Quizz, certeza que ele vai encher o mural dele com: “Quem é você entre as divas”, “Quem é você no Grey’s Anatomy”, “Quem é você no antigo Dark Room da Chica Chiclete”, entre outros;

Problem?

15- E, por fim, a máxima, que praticamente toda bill coloca no Facetruque, naquela aba de “pessoas que te inspiram”: Se ela for poc poc, Lady Gaga, se ela for engraçadinha, Paola Bracho, se ela for metida a antenada, algum escritor que ela fez questão de verificar que NINGUÉM conhece, e se ela for pseudo-koolt: “Clarice Lispector”.

Rá! Certeza que você se identificou com pelo menos 6 tópicos da lista e tá roendo as unhas de ódio pensando: “Como essa porra dessa travesti dessa Max sabe essas coisas?”.

Como reconhecer um encubado?


Depois do sucesso do post “Como reconhecer uma lésbica“, e devido aos VÁÁÁRIOS pedidos da versão masculina, resolvi criar uma lista…

Bem, reconhecer uma bee transloucada e feminina é muito fácil, mas e quando a bill não dá pinta (-NOT)? Como fazer para perceber os detalhes que contam pontos para a homossexualidatdchy da gay?

Vamos catalogar juntchêenhas? (Postem mais dicas nos comentários)

1 – Antes de tudo, a premissa INVARIÁVEL: Hip’s don’t lie! Sim, gatas, o rapaz pode ser um boy chucro que coça o saco e cospe no chão, mas ele sempre vai dar uma quebradinha de quadril quando parar de andar (com perninha flexionada).

2- Pescocinho torto nas fotos. Toda gay quando tira foto sorrindo dá uma viradinha “fat family” no pescoço. Não me pergunte o motivo, mas observem pra ver se não estou certa.

3- Síndrome de Jade: As mãos NÃO param de dançar e se remexer no ar. Pode ser andando, falando ou até mesmo lendo um livro, quando ela for passar a página os dedos vão deslocar de tal maneira que por pouco não se considera uma crise de artrite.

3- Com ou sem franja e/ou cabelo comprido, a bill VAI consertar o seu penteado imaginário, ALL THE TIME!

4- Quando se refere a alguém recentemente conhecido (geralmente peguete) refere-se como “a pessoa”. E isso também vale para quando elas falam delas mesmas: “porque eu sou UMA PESSOA assim”, sem nunca determinar o gênero do sujeito, pra poder usar a palavra no feminino.

5- Apresenta namorado como “amigo”

6- Conversa com outros homens usando gírias como “brother, brow, meu, cara, etc”;

7- Sempre quando o assunto parte pro lado da sexualidade, eles dizem: “ah, isso não se discute, cada um é cada um e todo mundo merece respeito”, tentando se esquivar da discussão ou tomar um lado de “militância”.

8- Usam a frase célebre: “O que as pessoas fazem entre 4 paredes não interessa a ninguém”, como se sexualidade fosse resumida a sexo (MELKOO);

9-  Ficam desconfortáveis na presença de gays abertamente assumidos

10- “Não precisa ser bichinha pra ser gay, sou macho e gosto de macho”. Como se ser “bichinha” fosse uma escolha e não uma construção social lenta e complexa.

11- São extremistas. QUANDO podem, e estão bêbadas o suficiente, passam o rodo nas mulheres do rock pra não levantar suspeitas (mal elas sabem que isso só piora a situação, hahaha). Ou, na maioria dos casos, tentam mostrar um romantismo exagerado por meio das redes sociais mais over, por exemplo: Comunidades “Adoro namorar no frio”, “Sou pra casar”, “Chuva, cobertor e um bom livro” e, É CLARO, “Adoro cozinhar”.

12- Solta a franga em momentos inusitados: quando o celular vibra, quando se estressam, quando são assaltadas, quando se assusta com alguém tocando no ombro, quando ouvem algum barulho alto, e inúúúúmeros outros.

13- Falam  que vão pra boate “todo fds” porque gostam de dançar;

14- ao beijar uma mulher, colocam delicadamente a mão no pescoço e a outra mão EXATAMENTE na cintura, nem mais pra cima, nem mais pra baixo;

15- Ah, e por fim, vão pra Move “porque a música é fooooda”.

E antes que vocês digam que você ou seu amiguinho são encubados e não fazem o que está na lista, me poupe, garáleo, isso é o que a MAIORIA faz. Não tenho culpa se a senhora é “sem rótulosh” e não compactua com nada.

Enfim, sou assumidãm e só tenho um recadinho pras encubadas:

Dica e co-confecção com a Ana (sapa também, mas não é a Carolina)

Trazendo a lenha (pelo direito das barbies!)


Essa semana Max retrouxe (?) à tona discussões já enterradas, mas que pelo visto ainda são bastante controversas, tais como a dicotomia beesha machinho e beesha pintosa. Eu como tenho o privilégio de ser autor e por meu comentariozinho em maior destaque, venho trazer minha contribuição de combustível (não é lenha, é éter) para essa fogueira (das vaidades?).

Acredito que há nesta discussão dois aspectos bastante importantes que devem ser ressaltados: a guei como ator social e como figura sexual, leia-se do desejo. É óbvio que, no que se refere à aceitação do homossexual na sociedade diz respeito a uma discussão sexual, ou seja, de um papel sexual que seria biologicamente destinado a ele e que para a sociedade ele não cumpre. Quando falamos das gueis como figura social lutamos pela aceitação das sexualidades e das identidades em sua diversidade dentro do campo social. No caso lutamos para tanto a beesha machão quanto a pintosa terem o mesmo espaço e respeito, não tendo que mudar sua condição identitária para se adequar a um padrão previsto pelo status quo (me olha agora, Caetano!).

Homoerotismo setentista: só mudaram as roupas, os pêlos e o penteado"

Então, a partir deste pensamento que começam a surgir os monstros ideológicos, as distorções de sentido. Existe uma coisa chamada desejo e cada um tem o seu e mesmo as mais românticas não podem negar a importância desta “vontade do outro” para a concretização de um relacionamento. Daí vem e falam: “Alá, a guei se tornando barbie pra ser aceita socialmente!”. Não! Ela quer ser de-se-ja-da! Ela quer que o pênis do bophe fique duro, beu abôr! O padrão super macho no mundo gay está longe de ser novidade, já estava nos contos do francês Genet (pra não falar de Grécia e tal) e nas ilustrações do finlandês Touko Laaksonen. Há quem goste desses tipos super másculos, assim como eu, e tem quem goste das mais afeminadas. E a vida segue múltipla. A grande questão é não ser radical xiita e saber separar as coisas.

Ser ou não ser pintosa?


Todo mundo aqui sabe que, se uma pinta eu fosse, poderia ser considerado um Vitiligo às avessas. Pra falar a verdade, tanto eu, quanto o Dé e a Izaaa temos apoiado na cabeça um outdoor escrito “GAY” em neon bordô.

São vários os níveis de pinta, que vão desde a bee levemente efeminada (uma mãozinha mole, uma vozinha anasalada) até aquela louca fashionista que usa roupas mega coloridas e grita “viaaaaaaaaaado” quando te vê passando no Triângulo com seus pais.

Quem é homossexual, por definição, se atrai pelo mesmo sexo, e isso deveria incluir aparência, comportamento e guarda-roupas do que é “tipicamente” masculino num mundo heteronormativo, no qual é clara essa divisão “for men e for women“. E sendo gays, alguns acabam por se identificar com o universo do sexo oposto, nada mais natural, nós vivemos de exemplos. Mas, percebo que essas bee’s pintosas estão sempre aquendando bofes… estariam elas fadadas aos bissexuais ou rola uma certa hipocrisia no mundo gay?

Sim, digo hipocrisia porque o que eu mais vejo são gays se ofendendo com palavras como  “passiva”, “pintosa”, “trava”, entre outras. Isso me faz chegar a conclusão de que pelo fato da pinta não ser benquista pela “etiqueta gay” nós tendemos a maquiar a nossa e damos ênfase a pinta alheia, como se pensássemos que a pintosa é sempre a outra.

E isso acaba por formar indivíduos com comportamentos falsos, beirando o robótico, a fim de se incluir, rapazes que se movimentam como um Playmobil ou, quando chamativas, super escandalosas que mais parecem um personagem gay do Zorra Total. Num tipo de “boatômetro”, ela vai do travesti ao capiau numa noite na boate, o nível de pinta que a fizer agarrar mais homens determina seu comportamento. Ou seja, besta são os héteros que acham que “quem vai pra boate pra dançar é viado”.

Ah, mas o que a Max quer com tudo isso? É um movimento pró-pinta neste keréliom? NÃO, é um movimento PRÓ-AUTENTICIDADE! Seja você mesmo, mesmo que escroto, esse é VOCÊ, que é diferente de todo mundo, pintosa ou não, coçando o saco ou dando truque na neca, ou nenhum desses. Afinal, o padrão é previsível e tenha certeza, não há nada mais interessante e atraente que uma pessoa segura de si.

PINTOSA E FELIZ!