“UQ – Ursos de Quinta” cancelada


UQ Não está fácil pras gays capixabas.

Depois de anunciado o fim da boate Chica Chiclete, agora foi a vez da festa “UQ – Ursos de Quinta”, que aconteceria hoje (28). Mas calma, bee, foi só essa edição, a edição de Páscoa da festa. Pode ficar tranquila, pois ao longo do ano haverá outras edição da festa ursina.

“Infelizmente acontecem tristes imprevistos que não pudemos evitar”, disse Diego Garcia, um dos organizadores do evento.

De qualquer forma o Quórum, o bar do Lucas, vulgo Malucas (ainda faremos esse nome pegar), abrirá nessa quinta com normalmente com música boa e bebida gelada.

Inversão de valores ou fogo no koo?


Fotos-de-homens-bonitos-151Vejam que curioso, desde o início dos anos 2000 os homens gays começaram a se interessar pela cultura de culto ao corpo, à malhação e aderiram ao hábito de depilar o corpo a fim de deixar mais aparente os traços dos músculos.

Por esse motivo, desde então a depilação masculina se manteve ligada à homossexualidade, e à ideia de que homem que se depilasse não era “macho”.

Pois bem, recentemente a Gilette lançou uma campanha no youtube e no Facebook chamada “Quero ver raspar”, um trocadilho com o refrão da “música” Gangnam Style. Sim, aquela batida insuportável que não pára de tocar em toda festa hétero (porque se tocar isso em boate gay as beeshas quebram a taça de Chandão na mão e jogam os cacos de vidro no Dj)

O vídeo foi retirado do youtube, mas a campanha continua no Facebook, cata:

gillette

A campanha logicamente deixou o patriarcado se mordendo de ódio: “Como assim a mídia querer dizer como eu, o macho dominante, devo aparentar para pegar mulé?”

Rolou inclusive processo no Conar contra a Gillette. Dezenas de homens dizendo que pelos são símbolo de virilidade, que homem depilado não é homem de verdade.

Quero ver falar isso pro rapaz abaixo:

download

Sobre isso, e antes de dizer o que eu penso, vamos ler um texto delicioso postado na página Machismo Nosso de Cada Dia (um pouco de cultura não vai te matar não, garáleo!):

“Ao primeiro sinal de imposição estética os caras já estão surtando, era de se esperar que olhassem para a situação das mulheres e conseguissem, enfim, ter alguma dimensão do que é ter seu corpo controlado e avaliado diariamente. Nos últimos anos a indústria da beleza tem avançado para deixar a outra metade do mundo complexada e, ainda que as mulheres sejam os principais alvos, essa campanha é pioneira em perseguir tão abertamente o corpo masculino.

Acho errado? Sem dúvidas, é sempre uma violência impor um modelo único de beleza, em qualquer circunstância. Mas me choca perceber que os mesmos caras que reclamaram da Gilette fazem questão de mulheres totalmente depiladas e ainda usam os argumentos escrotos sobre “higiene” (oi, vocês são imundos porque têm pelos?) ou reforçam que as mulheres devem permanecer reféns de um modelo de feminilidade asséptico.

Agora somos obrigadas a assistir a legítima defesa deles sobre o próprio corpo enquanto cagam pra luta feminista e querem mais é que as mulheres sejam obrigadas a se depilar, se maquiar, emagrecer e essa porra toda, em função da preferência deles.

Sério, galera? Mesmo sentindo na pele como é ter seu corpo ridicularizado e ser coagido a padronizá-lo, não rolou um paralelo? Uma mínima empatia? Será que eles conseguem imaginar o que é ser bombardeada por mensagens agressivas que escracham seu corpo diariamente, em TODOS os lugares?

E ainda vi várias mulheres defendendo os homens peludos, dizendo que gostam deles assim, mas ai delas se não comparecerem à tortura semanal de depilação. Ou mesmo as que curtem depilados, deixam claro que é uma escolha deles, “até gosto lisinho, mas não faço questão”, a autonomia dos caras sobre o próprio corpo permanece intocável, não se discute, a palavra final é deles – se não gostou, foda-se. Enquanto isso a gente fica aqui sentada, vendo a pop up de emagrecimento, o comercial da Veet, a campanha da Marisa, o cara do lado dizendo que mulher tem que ser vaidosa, a dyke com pelo na perna sendo xingada no ônibus.”
Texto de Cely Couto

homem-mais-peludo-do-mundoEu vou mais além, já observaram a inversão de valores que estamos presenciando? Se ontem depilação estava ligada à homossexualidade e ao halterofilismo, hoje os gays remam contra a maré e a cada dia se observa mais homens assumindo os pelos e a barba.

E juntamente com esses gays, as mulheres heterossexuais iniciam aos poucos também uma inversão dos valores exigindo que os homens agora passem a se depilar. Por mais que ainda seja lamentável a pressão estética quanto à depilação feminina.

1268661431__homem51223Resta saber uma coisa: Seja no caso dos héteros ou no nosso caso, essa inversão tem a intenção de democratizar os padrões de beleza da modernidade, ou no final das contas nós estamos fazendo a mesma coisa que fizemos antes, apenas sob um enfoque diferente?

Estariam os gays mais à frente ao aceitarem agora também o padrão bear de beleza, e os héteros mais atrasados cometendo o erro que cometemos lá no início dos anos 2000?

Afinal, eles começaram depois de nós a exigir dos homens um corpo sarado, antes disso homem em academia era invariavelmente viado, porque “viado que liga pra corpo, mulher gosta é de dinheiro”.

O que vocês acham?

FESTA UQ – URSOS DE QUINTA – 2ª edição – A festa do Urso capixaba


SIIIIIM! Já tem data e é esta semana a festa da comunidade ursina capixaba e de seus simpatizantes. Com o plus de ser na véspera do feriado!!! Cata:

E bocas malditas dizem que vai ter ainda um dj urso capixaba fodão tocando… Mas não conto por nada.

“Ah, Dé, conta quem é…”. Tá, conto. Será a volta triunfal, direto do lixão de Agaynida Brazil, de, de…

EU! Hauhauhauhauhauhaua!

  Sim, Dé Jay estará lá atacando de dj e constrangendo vocês. Não é lindo?

“Sim, muito legal, Dé…”

Além disso, quem vai botar fogo no Bataclan é o dj Erly Vieira Jr., figurinha conhecida da cena alternAtcheeva capixaba, e também Reginaldo Jr. (é muito junior, néam?).

A primeira edição da festa foi babado, muitos pelos e corpos viris e volumosos, gente. As quase 100 pessoas lotaram o bar do Lucas, em Itaparica. As pessoas estavam muuuuito animadas, radiantes, sedentas pelo evento, já que aqui é difícil ter coisas do gênero. Porém, talvez por ter sido a primeira, estavam um pouco tímidas ainda. Mas sabe como é beesha, né? Deixa elas catar intimidade para vocês verem… Ou então está faltando só a senhora, cat!

“EU?!”

Vá lá:

Dia: 1º de novembro (quinta-feira)

Horário: A partir das 19h30.

Local: Bar do (ma)Lucas – Quórum

Aqué: É free, garáleon!

Confirme também participação lá no Evento do Face :).

Somos todos transexuais!


“Sou trans e você?”

Li que o superstar pornô gay François Sagat, no documentário sobre sua vida, abre seu coração e de certo modo desglamuraliza a idealização do universo das mega-indústrias de produção de materiais adultos. Entre várias coisas, ele diz, por exemplo, que é incapaz de amar. Mas o que me chamou a atenção foi isto aqui:

Ao mesmo tempo, ao descontruir o ator pornô como ícone do sexo, François também nos mostra como este ideal é construção. Ele era uma criança afeminada, sofria bullying na escola. Contra isto, ele construiu uma imagem supermasculinizada, horas de academia e a aplicação de testosterona. Ele diz algo intrigante ao assumir que se considera um transexual, pois procurou a imagem que o satisfazia e achava adequada para o seu corpo.

Gente, daí eu comecei a refletir e pensei como isso acontece com todos nós, especialmente com nós gays. Partindo da lógica de que transexuais são aquelas pessoas que acreditam que sua identidade sexual não é compatível com seu corpo biológico e que por isso na maioria das vezes fazem intervenções sobre ele para adequá-lo àquela condição, podemos dizer que todos nós temos um devir trans.

Dou-me como exemplo. De certo modo me enxerguei no que disse Sagat, dadas as devidas proporções. Eu gosto de estar barbudo e usar um estilo mais boyzinho certinho, digamos assim. Isso é totalmente compatível com o que busco no sexo e no parceiro, pois curto aquela pegada cheia de testosterona, pelos, pegada bruta vindas de ambos os lados.

Assim também é o Max, por exemplo, em que a natureza privilegiou com uma androgenia natural, mas que ele exagera com recursos artificiais (corte de cabelo, roupa, maquiagem). Ele poderia aplicar testosterona e virar menininho, poderia aplicar estrogênio e virar menininha, mas ele optou – aí sim é uma opção, diferente da sexualidade – por uma questão de identidade e de realização pessoal. Assim como ele, eu e você.

“A gente faz de um tudo”

Aquele rapaz da academia que malha como doido, aquele que nem liga e come pra ficar gordinho, aquele que faz o corte modernete, aquele que tatua um dragão nas costas, aquele que usa óculos de aro grosso, aquele que raspa o peito, aquela sapa que parece um sapo… Todos estão passando uma mensagem ao mundo e alguns signos tratam de questões ligadas a preferência sexual, basta lê-los. No fundo, tentamos parecer aquilo que queremos que as pessoas creiam que sejamos. Claro, que tudo ditado pelas relações que compartilhamos com nossos convivas e pela cultura de nossa época.

Aliás, o poder de artificialidade está bem representado no trabalho do fotógrafo francês Leland Bobbé intitulado “Metade-Drag”. Nele, drags foram fotografadas com apenas metade do rosto maquiado. Chupa (tape metade do rosto nas imagens e veja a diferença):

Veja mais fotos clicando aqui.

DEPILAÇÃO ÍNTIMA MASCULINA: Pentelhos, a moldura do pau!


"you believe..."

Há muitos anos atrás, era coisa de viadinho depilar, raspar ou cortar qualquer pelo do corpo para o homem. Hoje é difícil achar um cafuçú, mesmo dos mais rústicos, que pelo menos não diminua o tamanho das suas madeixas íntimas.

O site A Capa trouxe um texto dizendo que nos EUA a febre da depilação tomou conta de todos os boys de lá:

Depois de tirarem a sobrancelha, irem a manicure e se jogaram nos tratamentos faciais, os moços aderiram à cera na região íntima.

A técnica foi batizada por nossos colegas de continente como depilação “brasileira”, vejam vocês.

“A comunidade gay, a comunidade hétero, os caras mais conservadores, os mais liberais. Todos os grupos estão vindo. A moda é muito maior do que imaginamos”, conta Mike Indursky, presidente da Bliss, rede de spas que oferece a depilação íntima para homens por 125 dólares.

Depilar as partes íntimas, de maneira geral, é associada a higiene, a evtar odores desagradáveis ou ainda ao desconforto que os pelos longos causam – eles entram na pelinha da neca, coça, machuca, é um inferno. Mas antes de tudo, ao meu ver, está ligada a uma questão sexual, ou seja, ficar mais atraente para o parceiro(a).

Babado Certo trouxe um tutorial dos mais conhecidos “cortes” dos pentelhos for men. Acompanhem comigo.

(Não-) Depilação tipo Mata Selvagem:

Vamos começar com aquele tipo que não depila. É caracterizado por pelos crescendo nas mais absurdas partes, direções e tamanhos. Há quem tenha muito e em grade volume e há quem tenha pouco e esparsos. Tem um certo fetiche – bem específico – associada a ela, lembra um homem rústico, viril, másculo, que é desleixado e sujo. As desvantagens é que tem grande chances de feder e causar incômodos.

Depilação tipo Ken:

É o extremo oposto da primeira, quando se tira TODOS os pelos pubianos. A região fica limpa e cheirosinha. As desvantagens é que quando os pelos começarem a crescer vai parecer que há um ouriço marinho morando em suas calças. E além do mais, ela dá um aspecto beeem feminino. Pessoalmente,  não curto.

Depilação tipo Grama Aparada:

É quando com auxílio de uma maquina de cortar cabelo (ou pelos) e/ou uma tesoura se diminui o comprimento dos pelos. É a mais usada e recomendada. É higiênica, prática, dá pra fazer em casa e fica bonito.

Depilação tipo “Grama Aparada Truqueira” ou “Se diminuir a grama, o tronco parece ser maior”:

É  como a anterior, porém, com ajuda de uma gilete você tira todos os pelos em volta do pênis numa faixa de uns 2 ou 3 centímetros. Ela cria  a ilusão de ótica que a rola é maior do que realmente é! 😉 #ficaadica

Depilação tipo Piramide Invertida: 

Nesta, após aparar os pelos, com ajuda de uma gilete ou máquina com pente zero se retira todos os pelos das laterais fazendo o desenho acima. Indicada para pessoas ousadas e que querem um pequeno diferencial.

Depilação tipo Pista de Pouso:

O processo é como o descrito cima, porém o desenho é como uma coluna saindo do piru. Mostra que a pessoa é segura de si, confiante e forte.

Depilação tipo “Bigodinho de Hitler” ou “Bigodinho de Chaplin”

Nesta, só fica uma bolinha na parte superior do dito cujo. O nome varia pelo membro: se for um piru que dá medo é Hitler, se for um que faz rir, é Chaplin. Interpretem como melhor lhes convier.

Depilação tipo Criativa

Você pode até tentar, mas acho difícil conseguir fazer essas em casa. É melhor procurar um profissional especializado no ramo, ok? É indicada para noites especiais em que você quer surpreender a pessoa amada. Já pensou aparecer fazendo uma homenagem pro namorado(a) usando o nome dele(a)? Ou então, depois da balada, no motel, fazer o descontraído com um desenho divertidão no seu amiguinho, hein?

Enfim, sejam criativos, inovem e escolham o que melhor lhes convém. O negócio é ser feliz! #aiquefinallindo #not

Pêlos e mais pêlos


pêlosSou da época em que pêlo se escrevia com “^”  e por isso manterei!

Já falei aqui da minha preferencia por peludos (não muito, assim ó) e já dei dicas sobre higiene com pêlos. Hoje falarei de um fetiche muito especifico que é o de homens peludos que raspam e da fase em que o pêlo começa a crescer. Ai, gente, quer me deixar louco é colocar um homem com pêlos em estágio de crescimento na minha frente. Aaaai!

O que me motivou a escrever esse post foi que durante essa semana meu namorado precisou fazer aquele exame que colam umas ventosas em seu peito para monitorar o funcionamento dos orgãos e paraisso eles precisam  fazer um bizarro corte nos p~elos do peitos num foramto meio redondinho. Meu namorado, que sempre foi bem resistente a raspar o peito, teve que fazer esse exame e daí preferiu tirar tudo logo. Ficou delicioso! Dias depois ele ficou mais delicia ainda quando os pêlos começaram a apontar. Daí que a gente aprende que nem tudo são flores, meu povo. Ele me deu um abraço e eu: “Ai!”. Estava parecem um cacto de tanto que espetava. Certas partes do meu corpo eram extremamentesensiveis ao contato com a pele. Ele sempre muito safadeenho: “Vira de costas para você ver como que é gostoso por trás!”. Era de fato.

Bem, para desvendar mais e mais desse campo tão interessante que é a depilação masculina, entrevistei um dos nossos leitores que faz disso um hábito. Confira:

Dé: O que você pensa sobre depilação masculina?

Leitor: Acho que fica mais bonito… E nada pior que uma selva amazônica cobrindo a anaconda e sua cria… (risos) Bem e gosto que a pessoa seja depilada na bundinha também. Bunda peluda é uó. Nada de brincadeiras com a língua no meio de uma floresta.

Dé: Mas e quanto ao peito, axila…

Leitor: Para mim tanto faz. Sério! Ter ou não ter. É bacana um peito lisinho, mas nada mais masculino que um peito peludo. Deitar sobre uma almofadinha de pêlos depois de um sexo. (risos) Ou numa noite chuvosa e um filme na TV. Só que é ruim também dormir de conchinha se o cara atrás estiver com os peitos do peito crescendo… Vai ter q colocar a camisa. O chato é pedir isso! Tem gente que não tem simancol e fica todo ofendidinho.

Dé: Discordo de você quanto a ser ruim, mas tudo bem. Por que você depila?

Leitor: Tenho muitos pêlos, quando não passo máquina, é claro, e é uó. Mas tem gente que adora. Já tive um namorado que me proibia de raspar. Outro já queria que eu raspasse sempre. Mas é um saco, as vezes dá vontade de passar, outros não. Hoje mesmo eu raspei, quer ver pela cam?

Dé: (cof, cof!) Não, não, obrigado, eu acredito.

Leitor: Fazia um mês que eu nem chegava perto da máquina.

Dé: Você passa a máquina a 4?

Leitor: Passo 1 no peito.

Dé: E mais embaixo?

Leitor: Nas partes íntimas passo zero. E nas axilas também.

Dé: Hmmmmm. Coça?

Leitor: Eu passo um gel que evita que coce e empole. No peito, Eryacnem.Muito boa. Lá embaixo nunca tive problema com isso. Agora não me pergunte sobre a bunda porque não tenho costume de raspá-la ou depilar. (risos) Já usei gilete, mas acaba coçando.

Dé: Bem, pessoalmente não me interessa saber sobre, é, sua bunda. Mas aos leitores sim. Posso publicar isso?

Leitor: Sim, mas sem meu nome.

Dé: Claro!

Leitor: Um amigo meu me disse que o melhor é depilar com cera quente. E cuidado com o Veet, que as mulheres usam… Não é o mais indicado. Se for usar é só um minuto.

Dé: No edí?

Leitor: Ahan.

Dé: Não é não. Você tem que ler mais o Babado Certo. É só você passar apenas nos pêlos e não nas mucosas, se é que você me entende.

Leitor: Haja engenharia pra isso. (risos). Tem de ser bem direitinho, pois é uma região sensível de pêlos mais fracos. De um a três minutos é suficiente.

Dé: Eu preciso dos 10 minutos!

Leitor: Que isso! E não te machuca não?

Dé: Não.

Leitor: Mas eu gosto de como a máquina deixa. Já passei veet no peito e  achei muito feio em mim. Gosto quando fica um pouquinho, bem pequenininho… (risos) Não gosto de me sentir muito liso.

Dé: Eu não tenho escolha. Sou sempre liso.

Sobre meu fetiche por homens másculos


jack_radcliffeAi, gente, se há uma coisa que me excita é homem másculo. Ai, adoro homem grande, forte e com barba! Pêlos também, pode ter pêlos (ainda contra essa reforma ortográfica uó!).

Quem sofre com isso é meu namorado. Ele não gosta e por trabalhar na área da saúde não pode ter barba. Mas eu amo barba! Quando pode, ele deixa crescer, é tu-do! Ele esfrega em mim, eu passo a mão… Ai, só de pensar fico de pau duro! E se tem uma coisa que é boa de homens de barba é… han… é… Cunete (ai, bee, não conheço palavra melhor, acho essa horrível, vocês sabem alguma?), que é quando seu bofe lambe seu edí, gatam! Ai, é mara! Os pêlos da barba roçando… Ai, melhor parar.