Abuso e transfobia viram piada no Facebook


Vários são os casos de pessoas que são abusadas sexualmente quando submetidas a profissionais de algumas profissões que exigem contato físico.

Seja médico, instrutor de academia (principalmente esportes de luta), até mesmo aquelas que não têm contato nenhum, mas o abusador consegue arranjar um motivo para encoxar ou passar a mão no corpo do colega de trabalho.

Tô com tanto nojo desse vídeo que eu não vou nem fazer uma introdução, assistam primeiro:

erro

Eu:

N1uIdEa

E o cara ainda é taxado de “espertinho” por quem postou o vídeo! Estuprador mudou de nome e eu não tô sabendo?

Tem tanta coisa errada nesse lixo que eu vou comentar em tópicos:

  • Primeiro: A ideia de que abuso sexual tem graça. No começo ele acha que ela é uma mulher comum, e mesmo assim o claque racha o bico de rir com as situações absurdas nas quais o instrutor abusa sexualmente da aluna;
  • Segundo: As risadas aumentam quando ela simula ter um pênis com uma garrafa, mas ele ainda não sabe. Claro, se abuso sexual contra mulheres já é engraçado, imagine com uma travesti. Elas são todas safadas mesmo, né? -NOT
  • Terceiro: A mulher vira pro lado dele e o homem pára imediatamente o abuso. Para os transfóbicos, não há nada mais engraçado que ver um homem heterossexual “se dando mal” quando descobre que uma mulher tem tromba. Mas será que a mulher de tromba também ri?

Tem um ponto positivo, ao final ela se vinga dele e inverte a polaridade da piada. Agora ri-se do abusador e não do abusado. Apesar de terem usado a transfobia para fazer piada, essas formas de fazer rir, nas quais o grupo marginalizado responde às agressões, são as mais saudáveis.

Pra quê rir de quem já é motivo de piada todos os dias? Que graça tem em fazer piada com a violência moral que esses grupos sofrem?

De qualquer maneira, se você riu dessa porcaria, deve rever urgente os seus conceitos.

Milhares de mulheres e transexuais são abusadas sexualmente todos os dias, por gente que acha plausível a ideia de que o corpo da mulher (e mais ainda da transexual, que abdicou da sua masculinidade e se modificou para parecer uma mulher) é propriedade pública e pode ser tocado e assediado por quem quiser.

NÃO! Assédio sexual não tem graça!

INTIMAÇÃO: Todo mundo ligado no SBT domingo!


Já está rolando nas redes sociais que a Marília Gabriela vai entrevistar o insuportável do Silas Malafaia neste domingo, no SBT, à meia noite.

Pouco se sabe sobre o que foi conversado, mas a chamada já mostra Gabi sendo deliciosa e quebrando o caralho todo com ele.

Cata o que foi postado pelo SBT hoje no seu Facebook oficial :

423074_485929871444107_2146963797_n

Não acredito que uma pessoa fala isso em rede nacional e não é presa! Maldita lei que não protege quem deve ser protegido.

Se ele substituísse o termo “homossexual” por “negro” era certeza de abaixo-assinado, processo e o diabo a quatro pra cima dele.

Hipócritas!

Selo Luana da Lapa pra Marilião, pela ousadia e pelo auto-controle ao não vomitar na cara dele durante a conversa:

trasvass

Assim caminha a humanidade


Ando bastante decepcionado com várias coisas nesta cidade. Não me levem a mal, amo a cultura, a natureza e até algumas coisas da arquitetura local. Mas tem me cansado um certo pensamento atrasado de quem se recusa a crescer intelectualmente que reverbera na política e na convivência social. Já reparam como as pessoas daqui são grossas, egoístas e pouco civilizadas? Claro, existem lugares onde isso é pior, mas não vamos nos nivelar por baixo, né?

Pois o último refúgio da barbárie que eu julgava ser a Universidade Federal também mostra que a ignorância está presente onde menos esperamos. Por quê? Olha o cartaz que podia ser lido hoje no banheiro do  IC IV:

NOJO!

Para quem não sabe, o IC IV é o Centro de Educação da Ufes. Lá funciona um grupo de estudos sobre sexualidade e, por acaso, nesta semana abrigará os trabalhos de um Seminário de Direitos Humanos e Diversidade Sexual. Que ironia, não?

Agora responda: há esperança?

“Adoro Piroca”, “Viado de Merda” e a hipocrisia do brasileiro


Primeiro eu quero que vocês vejam os dois vídeos abaixo:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=paqVTZxHRGc] [youtube http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=fOb5c8iiwrA]

Eu sei que não devemos ler os comentários do Youtube, pra manter a sanidade mental, mas fui obrigado a ler e fazer um comentário por lá.

Desde muito cedo qualquer criança demonstra sua preferência por meninos ou meninas. Mas quando se é hétero a família estimula que você diga isso, até mesmo fazendo uso do nome dos orgãos sexuais para demonstrar.

Todo mundo acha uma gracinha quando o filhinho quer pegar nos peitos da amiga da mãe ou passa a mão por debaixo da saia da irmã mais velha.

No primeiro vídeo do menininho sendo homofóbico, todo mundo achou lindo que estavam ensinando o menino a ser preconceituoso e sociopata desde cedo. Agora, no segundo, quando é para demonstrar uma sexualidade diferente da maioria, todo mundo foi contra a mãe.

Um dos comentadores, claramente de intelecto inferior, veio com uma filosofia barata dizendo que quando tinha a mesma idade tinha o mesmo comportamento, mas não sabia diferenciar o que era preconceito.

Sim, não sabia, mas o menino do vídeo SABE que é uma ofensa e sabe direitinho a hora de usar. E se permanecer estimulado, terminará como um adulto homofóbico, pois não verá problema em usar o termo “viado” como ofensa. Já que a palavra sempre foi tratada com normalidade no seu âmbito social

Entretanto, essa filosofia cachorra só vale quando a criança repete comportamentos aceitos pela sociedade, como a homofobia, se ele estivesse sendo racista ou misógino eu duvido que ninguém teria retaliado logo de cara. Mas como é com “viado”, um preconceito que a sociedade inteira estimula e dá razão, aí é só brincadeira.

E vocês, o que acham disso?

p.s.: Um leitor me mandou um vídeo do Tuti adulto, cata:

[youtube http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=VjjAAEe8TEs#!]

Eu não falei que não ia dar nada que preste?! E olha que nem sabia que o vídeo era tão antigo.

Você JURA que ele fica muito lisonjeado e agradecido por centenas de anencéfalos homofóbicos dizerem que um menino dispersando preconceito desde os 2 anos de idade é a esperança da humanidade?

Se for depender dessa galera esperança é o último sentimento que me sobra.

Quer respeito? Faça por merecer!


Eu ainda estou em estado de choque com o que li! E não acredito que isso partiu de pessoas que, teoricamente, deveriam lutar contra todas as formas de preconceito.

O texto é longo, o assunto é sério e vale a pena ler. Eu queria MUITO divulgar os nomes dessas pessoas, porque gente dessa laia tem que passar por constrangimento pra aprender a respeitar os outros, mas como não é da política do blog expor nomes, eu vou apagar os nomes, mas deixar as fotos, porque senão o post não vai chocá-los da mesma forma.  Lá vai:

Clique para ampliar

Observem pelas fotos que os rapazes que comentaram são nitidamente gays, e pintosíssimas, pois então, guardem essa informação.

Mônica, a moça da foto, mesmo sem conhecê-la, admiro pela coragem de não se curvar aos padrões europeus da moda e assumir suas raízes, ainda mais que todo viado ADORA um cabelão de diva (Dianna Ross tá aí pra não nos deixar mentir). Entretanto, parece que nem todos os gays têm essa sensibilidade.

Cata o comentário dela sobre o caso:

Clique para ampliar

Senti nojo e o mais profundo desgosto em compartilhar com essas pessoas o mesmo sub-grupo da sociedade. Mas fazer o quê, né? Nós gays, apesar de esperar-se o contrário, também estamos susceptíveis a sermos preconceituosos, imbecis e irracionais como essas pessoas.

Pode parecer extremista, mas ver tanta gay que nunca fez mal a ninguém apanhando na rua e ver esse tipo de pessoa repetindo o mesmo comportamento, que mesmo psicologicamente ainda sim é um tipo de agressão, me faz desejar que… enfim… não vou terminar a frase pra não levar processo.

ATENÇÃO: Quaisquer participantes desse post que se sintam ofendidos com alguma imagem ou comentários, favor enviar um email para max_babadocerto@hotmail.com solicitando a retirada do conteúdo, terei o desprazer de esconder a cara das senhoras. 

ERRATA: Jurava que era uma racha de Vitorinha, me enganei, mas é IDÊNTICA, gente! E olha que eu vi várias fotos pra ter certeza hahaha. Desculpem-me, muah =*