Cabaret, as fotos


Não foi no Cabaret, né, fia? Perdeu o bapho babadeiríssimo. Mas calma, dá pra você sentir o gostinho do clima do lugar pelas fotos. Vamos ver juntcheenhas toda a beleza e masculinidadjee dos boy magia capixaba?

É basfond ou não é? Tem mais fotos aqui no Iuuk.

Créditos das imagens: Eduardo Bravin.

Muita animação na areia molhada


Amo esse Estado e nem é ironia. As coisas podem ter tudo para dar errado, mas as bees vão lá e fazem toda bombar. É muita animação!

17 horas e o Baygon já bateu!

Vejam o exemplo do Areia Beats 2010 que era um evento em local aberto, na praia e mesmo com clima chuvoso foi super bem freqüentado – quantitativamente e qualitativamente, leia-se gente bonita e bem vestida. Era só dar uma olhada na fila nos terminais rodoviários, nos ônibus que iam em direção a Camburi. A do 508, por exemplo, no domingo, estava uma fechação, uma fechação de bees guerreiras. Mesmo sem entender tanto assim de música as Djs aparentemente mandaram super bem: a batida foi num bate-cabelo crescente, querida, parecia que elas estavam recebendo o santo. ALOKA!

Tinha só uma bee montada e eu a parabenizo pela coragem, afinal chuva é inimiga número um de qualquer drag, como bem conversávamos eu e Angela Jackson dia desses. O nome dela é impronunciável e tem tantas consoantes como um nome pode ter, mas era algo como Mel Khobolthhy (corrijam-me se tiver errado).

Heroína!

A coisa começou a bombar mesmo a partir das 5 da tarde e ainda chovia, mas muitas bees já ferviam ainda de sunguinha (cata o diminutivo!), entretanto parece-me que muitas chegaram só depois da chuvarada mesmo. O Luí encheu e a galera foi ficando do lado de fora. A cerveja estava gelada sim e o atendimento foi tranqüilo, pois até tinham umas caixas de cerveja espalhadas por pontos diferentes o que foi uma coisa ótima.

Gente, meia-noite e tinha beesha fritando na “pishta” ainda. Loosho.

Enfim, um beijopraquemétraveshtyefazalinhagarotadochuveiro.

Areia Beats 2010


As Beeshas da Barraca Aruba vão se cortar todinhas de inveja. No próximo domingo, 28 Fevereiro, nas areias da Praia de Camburi, no Quiosque do Luí, às 14 horas, vai acontecer o Areia Beats 2010 (…And The Beat Goes On – ?). Os Dj que vão agitar a balada em pleno sol de aquecimento global serão Fabrício Morais, Farlany, Alexsander,  Marcelo Menezes, Carlini, Quadrini, Mazzo e Lunna. Ainda haverá vídeos com o Vj Raone Pauli e Gogo Boys. Mais informações pelo (27) 9872-6060. O evento é gratuíto, mas pode-se contribuir com alimentos não perecíveis, roupas usadas ou brinquedos que serão encaminhadas para diversas Instituições de Caridade da Grande Vitória. Quem não sabe o Quiosque do Luí fica na Avenida Dante Michelini, 25, Praia de Camburi (próximo ao Hotel Canto do Sol).

Então, fia, bote um shortinho loosho, grite “Sou uma diva, meu amor!” e se jogue linda!

Contaê!


Meu fim de semana foi meio caído, meio uó: festa de criança, trabalho escolar…

Mas como o fim de semana foi babadeiro na Grande Vitória (festinha no Barra Acústico, volta de promoter a Move…) sei que muitas aqui tem histórias quetíssimas para dividir com as amigas. Galera, contaê: como foi os rocks do findi? E os babadeenhos?!

Rock “Gay Friendly”


Tenho muita vontade de ir conhecer o famoso Club Centenário e a sua festa Escola do Rock. Dizem que é um dos poucos lugares de Vitória que é realmente mix, ou seja, héteros e gays vivem ali harmoniosamente. Amigos meus que frequentem (amigos indies, é claro!) dizem que rola muita pelação por lá e que o Babado é Certo. É o tipo de bom lugar para se conseguir um namorado, por não ser um lugar explicitamente de pegação-gay, entende? Amanhã, quem não for pras boates ou pra festa no Barra Acústico pode ir lá conferir:

1246305834665_f

Saiba mais no Fotolog (?!) do Antimofo, clicando bem aqui.

Dica de post de Márcio.

Love Secret I: uma festa dificil de entrar


Quarta-feira, véspera de feriado, festa Love Secret. Antes de ir tive uma briga homérica com meu namorado que depois comento por aqui. Advinha o motivo? O Blog! A briga foi tão feia que ele disse que só iria em consideração a um casal de amigos nossos. É bom que saibam também desde já que o promoter que aniversariava havia me dito que não haveria Vip (apenas desconto com nome na lista), mas que para o blog ele liberava a entrada. Beleza! De graça seria melhor ainda!!! Chegamos lá e havia uma fila enooooooooooooorme… Uó! Por sorte, havia amigos do meu bophe bem na frente e por isso cortamos fila, fia! (o Babado Certo condena e não incentiva esse tipo de prática). Entrei. Cumprimentei a bee-promoter-aniversariante e ao ouvido dela disse: “Você sabe quem eu sou, né?!”, falei assim pois havia passado meu nome pra ela. “Claro!”, ela respondeu e começou a procurar meu nome na lista. Não entendi muito bem:

– Não tem outra lista? É que você havia me dito que poderíamos entrar…

– VIP?! – ele respondeu com voz alterada – Não tem vip!!! Isso é uma festa particular!!!

Fiquei chocado e quis ir embora no mesmo instante. Por azar, ou sorte, um dos meus amigos já havia subido e o outro implorou para que esperássemos chamá-lo. Ficamos ali na portaria hoooras esperando </vanessão> um tempão. Depois de 15 minutos, meu namorado já estava me fuzilando com os olhos, decidi pagar para acabar com aquele constrangimento. Eu dizia entre os dentes “essa bee fez máfia comigo, vou fazer máfia com ela também”. O que me indignava não era tanto o fato de ser barrado, mas sim o fato de prometerem desnecessariamente algo que não poderiam dar. Fiquei P-U-T-O, PUTO! Quando íamos pagar reclamei com o Dj Marcelo que estava ali na frente, ele foi MEGA simpático. Disse que deveria haver algum engano. Foi falar com a bee-promoter-aniversariante que ao longe vi que fazia cara de surpresa. Liberaram nossa entrada pedindo um milhão de desculpas. Deram-nos as camisinhas, os pirulitos e as pulseirinhas de néon que eram dadas a todos que entravam. Subimos as escadas decoradas do cerimonial torcendo para que valesse a pena.

Na micareta,


Chiclete com Banana, em Guarapari, último sábado. Chegam dois caras e as garotas já começam a olhar desconfiadas. Percebendo, um deles fala: “Fica despreocupada a gente é gay e não vai dar em cima de você não.” Elas então, olham os sujeitos de cima a baixo. “Gays?! Sei.”, fala uma delas, a mais desconfiada pondo a mão na cintura. “Somos sim, ele é meu namorado”, fala rindo um dos homens. “Se são mesmo, dá um beijo aí pra eu ver”. Os dois se beijam rapidamente. As garotas se olham.  “Vocês estão fazendo de tudo pra dar em cima da gente, hoje em dia, estão até se beijando”, insinuou a garota dando as costas e saindo indignada.