Kooriosidades – Na Cama com Max [Tema: O drama do encubado]


Na edição de hoje vamos falar de uma bee que está preocupadíssima com a situação que está vivendo.

O boy dizia não gostar de gays, parecia ser até meio homofóbico, mas algo inesperado aconteceu…

A minha opinião é a mesma de sempre: Boy encubado, que dá uma de homofóbico e ainda namora mulher = CI-LA-DA!

Mas as gays não aprendem, elas sonham com um príncipe encantado, machão e que não dá pinta, percebem que a maioria absoluta dos gays não é assim e acabam se apaixonando por esses frustrados que só as querem como depósito de esperma.

Mais ou menos assim:

Pior ainda se eles dão um pouco de carinho, aí fodeu, porque na cabeça delas esses héteros que pegam gays são trogloditas daqueles que só afastam a calcinha da racha e enfiam a neca, sem o menor romantismo.

E não é assim, na maioria das vezes eles são carinhosos, aliás, homem é carinhoso com qualquer pessoa que chupe bem, essa é a grande verdade.

A minha dica é: CORRA, desencane, bebê, ele não vai largar a namorada de anos para ter uma relação contigo. Ainda mais uma relação escondida, cheia de preconceitos e baseada em sexo que só acontece quando ele está bêbado.

Mas é como dizem, né? Aprender se fodendo é a melhor maneira de não repetir o erro.

Enfim, como o Kooriosidades é sempre uma via de mão dupla, o quê vocês, leitoras lindas, acham disso?

Tá com um dilema de natureza sexual, social, econômica ou médica? Mande sua dúvida para max_babadocerto@hotmail.com, a tia Max consultará os universitários para tentar resolver o seu problema.

Acabou pra gente, bee’s…


Quem é encubado, mesmo aqueles que já passaram o edi em todas as necas de Vitória, mas SÓ a mãe não descobriu que é viado, sabe o quanto a Move já foi segura para a pegação “anônima”.

Como a boate sempre foi abertamente conhecida como boate gay, a quantidade de héteros era mínima e você encontrava um ou dois buraqueiros (AMEI ESSE NOVO TERMO!) atrás de uma rachada bissexual. Apesar de agora o número de héteros ser bem maior, ainda somos maioria…

…mas parece que estamos com os dias contados, a Move saiu numa daquelas colunas da high society capixaba e agora pode saber que vai lotar de universitária 18a BB grande, filhinhos de papai com “As mina pira” no ringtone do celular e aquelas beeshas cabeçudas de cabelo loiro partido de lado.

Cata:

Eu e Dé na beira do Rio Amazonas

A racha nem menciona que É BOATE DE VINHÁDO, garáleo! Tentou inserir ali um “torcia o nariz pra e-music e abriu a cabeça”, RÁ, arriscou na Metonímia, mas zero pessoas curtiram seu status, gatira.

É uma lástima, porque as gays de topete de Rihanna e Chandão Baby na mão a gente até aguenta, já nos acostumamos.

Mas encher de HT não vai dar certo, apesar de que em alguns países da Europa não existe mais “balada gay”, o respeito é tão grande que as baladas são misturadas e tudo corre numa boa… na Europa…

Não vamos nos desesperar, eu conheço as delicinhas da direção da Move Music e eu sei que eles não vão deixar a gente perder nossa buatchy, e suas luzes que na hora da foto tiram a impressão de estarmos numa balada no interior do Amazonas e nos enviam diretamente pra Ibiza.

BÔNUS: Estava passeando pelo site, e dei de cara com ESSA seção:

Eles têm uma página para as pessoas mandarem fotos com esse maldito efeito do Instagram! Não aguento mais essas gays colocando esse efeito koo até em foto da neca no Manhunt!

Resumindo, me permitam repetir um gif, mas se eu chego na porta da Move e encontro essa galera frígida da High Society… agirei assim:

Dica de um monte de Anônimo