Minha bisavó era índia e foi pega no laço


smegma_camisetas-rbbe866f2eb3d4c70b615cc837b2d3603_8nhma_512Quem nunca ouviu essa expressão de alguém? Minha avó sempre dizia isso em todo churrasco que a gente fazia na família (Sim, sou mestiça maleluconãm, ou você acha que este bocão de porn star veio da clínica de estética?)

Nessas horas imaginava uma índia nua de peitos macios como os da Xuxa em Amor Estranho Amor, sendo agarrada à força por um português forte da virilha cheia de Ricota Fresca.

Danone...

Hum… fondue…

Meu lado feministona odiava tudo aquilo, mas o meu outro lado Gretchen excitando Jean Claude Van Dame no Domingo Legal se imaginava num script de filme pornográfico, estrelando Max como Serena, uma índia em SarPaulo.

Por que tô falando disso? Um leitor me mandou o vídeo abaixo:

[youtube http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=t9dnyhbckuY#!]

Claro que não tem nada de sexy, deve ter doído demais. Mas observem como ele imobiliza o boy com a cara diretamente no edi.

Não é igualzinho aqueles pornôs hardcore de vestiário masculino?

Bem de leve

Bem de leve

P.s.: O post tá cheio de hiperlink, clique e se divirta coracao

Abuso e transfobia viram piada no Facebook


Vários são os casos de pessoas que são abusadas sexualmente quando submetidas a profissionais de algumas profissões que exigem contato físico.

Seja médico, instrutor de academia (principalmente esportes de luta), até mesmo aquelas que não têm contato nenhum, mas o abusador consegue arranjar um motivo para encoxar ou passar a mão no corpo do colega de trabalho.

Tô com tanto nojo desse vídeo que eu não vou nem fazer uma introdução, assistam primeiro:

erro

Eu:

N1uIdEa

E o cara ainda é taxado de “espertinho” por quem postou o vídeo! Estuprador mudou de nome e eu não tô sabendo?

Tem tanta coisa errada nesse lixo que eu vou comentar em tópicos:

  • Primeiro: A ideia de que abuso sexual tem graça. No começo ele acha que ela é uma mulher comum, e mesmo assim o claque racha o bico de rir com as situações absurdas nas quais o instrutor abusa sexualmente da aluna;
  • Segundo: As risadas aumentam quando ela simula ter um pênis com uma garrafa, mas ele ainda não sabe. Claro, se abuso sexual contra mulheres já é engraçado, imagine com uma travesti. Elas são todas safadas mesmo, né? -NOT
  • Terceiro: A mulher vira pro lado dele e o homem pára imediatamente o abuso. Para os transfóbicos, não há nada mais engraçado que ver um homem heterossexual “se dando mal” quando descobre que uma mulher tem tromba. Mas será que a mulher de tromba também ri?

Tem um ponto positivo, ao final ela se vinga dele e inverte a polaridade da piada. Agora ri-se do abusador e não do abusado. Apesar de terem usado a transfobia para fazer piada, essas formas de fazer rir, nas quais o grupo marginalizado responde às agressões, são as mais saudáveis.

Pra quê rir de quem já é motivo de piada todos os dias? Que graça tem em fazer piada com a violência moral que esses grupos sofrem?

De qualquer maneira, se você riu dessa porcaria, deve rever urgente os seus conceitos.

Milhares de mulheres e transexuais são abusadas sexualmente todos os dias, por gente que acha plausível a ideia de que o corpo da mulher (e mais ainda da transexual, que abdicou da sua masculinidade e se modificou para parecer uma mulher) é propriedade pública e pode ser tocado e assediado por quem quiser.

NÃO! Assédio sexual não tem graça!