De quem foi o constrangimento mesmo, A Gazeta?


Olha a notinha CACHORRA que saiu na coluna social do jornal A Gazeta:

1486671_567929996609560_1328843700_n

zua

Vocês perceberam o tom de deboche do autor? Pode parecer que, pela responsabilidade jurídica, ele esteja do lado de quem sofreu a transfobia, mas não, se você ler com cautela vai observar que o “constrangimento” mesmo foi aparecer alguém “vestido de mulher” para receber o diploma.

Lógico, porque uma transexual é só alguém vestido de mulher… NÃO! Ele deveria ter dito que subiu ao palco uma mulher (e aí a surpresa da plateia seria justificada), não alguém “vestido de”, como se a pessoa estivesse imitando uma mulher.

Acho uma graça que o jornal mexeu logo com quem acabou de se formar em Direito e deve estar cheio de gás pra meter o processo. YOU GO,GIRL!

Beijaço hétero?


Pois é, desconstruindo e desrespeitando toda a noção de protesto que reside no Beijaço, a psicocristã Marisa Lobo promoveu a seguinte campanha, em apoio a Feliciano:

527110_10200944946212026_1898843554_n

A mesma gracinha postou isso aqui também:

tumblr_mksxtvwn1Z1rwsosqo1_1280

Hahahahahahahaahahahahahahhahahahahha*SÍNCOPE*

Com certeza NELA sim deve faltar um monte de cromossomo.

Logicamente, o Twitter inteiro se embucetou com isso, e foi um festival de delícias:

tumblr_mkrjqgihYu1rwsosqo6_1280 tumblr_mkrjqgihYu1rwsosqo5_1280 tumblr_mkrjqgihYu1rwsosqo4_1280 tumblr_mkrjqgihYu1rwsosqo1_1280

tumblr_mkrjqgihYu1rwsosqo3_1280

Mais uma ex-trava


beyNão sei qual o problema desse povo evangélico, não deixam que as pessoas vivam suas vidas naturalmente, enganam gays inocentes e transexuais semi-analfabetos, e os enfiam dentro de ternos cafonas para dizer que mudaram quando entraram para a religião deles.

E no final de tudo, conseguem no máximo criar esses seres totalmente constrangidos por fingirem agir como típicos homens heterossexuais, sendo que tá se vendo que a beesha mal consegue se comportar de acordo com o que diz ter se tornado.

Cata o que aconteceu:

539681_343615549081070_1156448109_n

Rolou depoimento e tudo da Exemplo: Travesti. O texto pode ser encontrado clicando AQUI.

Mudei para caixa baixa porque não tinha a menor condição de postar aquela gritaria em letra maiúscula.

Olá galera do face, meu nome é luciano, sou missionário e quero mostrar para todos vcs a transformação que deus fez em minha vida. Assim como deus me mudou, vc também pode ter a sua mudança pelo poder da palavra de deus. Sou um jovem de apenas 24 anos de idade, sou da assembleia de deus. Voltei a ser heterossexual, tenho uma vida normal e respeitada por todos que me conhece. Mas no passado, bem distante eu era um travesti muito conhecido, meu nome era rihanna em aquiraz e fortaleza-ce.

Aos 6 anos de idade costumava brincar com minhas amigas de boneca e usava as sandálias da minha própria mãe. Esse comportamento me agradava, enfim fui crescendo e aos 12 anos de idade me afastei de deus, não suportava mais, comecei a ter amizades com alguns homossexuais e afeminados da época. Minha mãe nunca aceitava e me batia. Daí comecei a ter vários relacionamentos com homens. Ao ponto de ser abusado sexualmente. Eu não podia falar pros meus pais por medo e vergonha, quanto mais eu me relacionava com homens mais desejos sentia.

Aos 14 anos de idade era um jovem adolescente com vários estilos de vida. Roqueiro e emo. Mais o que me atraiu mesmo foi querer me tornar uma mulher. Então tomava pilulas hormonais para mudar a minha voz e o semblante do meu rosto, também tomava muitas injeções que me deu o crescimento dos meus cabelos, bumbum e outras partes do meu corpo. Me sentia muito bem, mas sempre queria mais. Todos os finais de semana estava no salão de beleza me preparando para sair pra boates. Aos 18 anos frequentava as melhores boates de fortaleza-ce realizava vários tipos de programas a dois com empresários, italianos e europeus. Minha vida era rodeada de pessoas que elogiava a minha beleza. Às vezes andava armado pelo perigo da noite na beira mar. Tinha fama e sucesso, era um homossexual assumido por toda sociedade.

Fazia parte de um dos grupos de travestis que ganhavam vários títulos de miss em vários lugares pelo ceará. Ganhava presentes e muitas propostas.

Mas quando as cortinas se fechava, as luzes se apagava, me sentia sozinho e deprimido e em varias vezes tentava me suicidar me jogando do prédio que morava. Todos os anos fazia parte da parada da adversidade sexual, parada gay, até que um dia fui assaltado por 3 homens e arrastado no meio de varias pessoas. Não tinha medo de nada afinal o mundo e a noite da prostituição me ensinava. Fumava, bebia e as drogas as vezes fazia parte da minha vida. Propostas de viagens à programas na Itália, Rio de Janeiro e São Paulo me chamavam a atenção.

Meu sucesso como um travesti estava crescendo, até que um dia comecei a perde as minhas forças, me envolvendo com um pai de santo. No seu terreiro, aprendia algumas praticas da umbanda, fiz um pacto com demônios, vivia as madrugadas no meio do matagal. Fui perdendo a beleza e a fama que satanás me deu, envergonhava a minha família, não tinha respeito e nem caráter.

Ate que um dia veio até a mim um profeta de deus e profetizou e disse que eu teria uma grande transformação e deus tinha me escolhido para pregar a sua palavra e louva-lo. Eu não poderia morrer sem antes cumprir com a sua chamada. E em todo lugar as pessoa ficariam admirados com a transformação. O tempo foi passando e depois de 2 anos se cumpriu a grande profecia. Aceitei ao meu Jesus renunciando toda fama e prazeres do mundo. Digo a vcs não foi fácil, mas deus me escolheu pra mostrar a todo o mundo o poder que ele tem em mudar travestis e homossexuais, e pessoas que vivem nas drogas e no alcoolismo. ( deus é o maior carpinteiro que existe )

E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.

Aceite a jesus e ele será o responsável da sua vida, afinal ele te ama.

Engraçado, só é desviado quem é rockeiro, já perceberam? Nunca vi sequer uma ex-trava que tenha dito que conheceu o submundo da prostituição num barzinho de MPB ao vivo.

Além de metade do texto ser dele falando do quão deliciosa ela era quando travesti, ao final eles nos presenteiam com uma foto de estúdio esfregando na nossa cara toda a beleza e a sensualidade da ganhadora de concursos de miss mais amada pelos gringos:

485050_477494655651305_340720051_n

Cadê essa beleza e sensualidade toda que diz no texto? Será que foi escondida no mesmo lugar que esconderam o umbigo dela?

Por isso que eu digo, pode até “virar” hétero, mas beesha que é beesha não deixa jamais de dar close. Essa deveria ser a primeira lição na hora de tentar enganar uma bee escolada.

tumblr_mia6n0QVZh1roofs2o1_400

Tinha tudo pra ser legal, se não fosse homofóbico


A senhora é uma beesha que ama pegação virtual, mas não tem coragem de dar em cima daquele seu amigo que te olha diferente, mas diz que é hétero?

O Facebook tem a solução! É o Bang with Friends!

2901-BangWithFriends-3621

Funciona assim: Ele te mostra as fotos de perfil de todos os seus amigos e você clica naqueles que treparia. Se o seu amigo usar o aplicativo e fizer o mesmo com a sua fotinha, pronto, ele arranja a pegação e coloca os dois automaticamente para papearem num chat!

Cliquei em você, goxtosa

Cliquei em você, goxtosa

Caso você clique e ele não, ou vice-versa, um nunca vai saber da vontade do outro, o aplicativo só revela os nomes quando ambos clicam um no outro (você também pode fazer a troll, clicar em todo mundo e descobrir quem clicou em você, só de zua).

Muito divertido, né? Mas pára por aí!

7vvvXyy

Entrei no aplicativo e ele apenas me permitiu ver e clicar em fotos de amigos que se dizem do sexo feminino no perfil (digo ‘se dizem’ porque apareceram várias drags na lista também, e uma bee que gosta de dar close e colocar feminino no perfil).

Pô, façam-me o favor, né, galerãm. Hétero é tudo recalcado, cês acham que eles vão usar esse aplicativo? Essa rede social é perfeita para beesha encubada, PFVR!

Está sozinho? A culpa pode não ser sua


Hold on, bitch! Se você é uma escrota, passional e ciumenta, esse artigo não justifica a sua solidão.

Vamos repensar o nosso comportamento antes de esbravejar com os outros.

Na década de 90 só dava ela!

Mas se você é uma fofa, educada e tranquilíssima beesha, a culpa da sua solidão pode residir no novo estereótipo dos gays.

Novo estereótipo, Max? Sim, novo! Observaram que aos poucos a bicha pintosa deixou de ser o exemplo de gay e agora os valores são outros? Vamos pensar um pouco…

Aqui no Brasil, no final do século passado, as beeshas se resumiam nas caricatas, leathers e Homens-que-comem-homens-mas-só-quando-falta-buceta. Observem que os exemplos de gays sexualmente atraentes eram Cazuza, Ney Matogrosso e os boyzinhos dessas bandinhas pop que estouraram na mesma época.

Onde estavam as Barbies? Não estavam, ainda! As Barbies e a geração saúde surgem nessa transição dos anos 90 pros 2000, e é disso que quero falar.

Os gays hoje, numa tentativa de fugir do estereótipo da beesha que só sabia ser cabeleireira e estilista, criaram um padrão no qual você deve atender a vários requisitos para ser considerado o gay ideal, o gay que mais foge do paradigma daquele gay que morreu de Aids quando esta estourou no país (o gay de porta de discoteca: degenerado, afetado e promíscuo).

Esse gay é rico, bonito, inteligente, bom de cama, bilíngue, másculo e musculoso. Sendo esse másculo e musculoso as principais características visuais que destoam do gay magro e feminino que era visto logo de cara como “aidético” nas décadas de 80 e 90.

Aliás, já observaram que basta uma bee ser muito magra que as pessoas logo fazem piada sobre ela estar beijada pela tia?

Pois é, esse novo padrão é inalcançável para a maioria absoluta das pessoas e, por mais que você tente fugir desse estereótipo, as possibilidades de encontrar um parceiro para esse gay que atende à maioria das características é bem maior em relação ao resto.

Não vamos ser hipócritas e julgar todos que atendam a esse padrão, estética privilegiada e riqueza também podem vir de berço.

E quando não vêm? Dentre os héteros também existem padrões de parceiro ideal, mas eles tendem a abdicar de uns em detrimento de outros: É a mulher Raimunda, é o pobretão gostoso ou o careca rico. Quem consegue o pacote completo é considerado sortudo, mas quem não é o pacote completo também não fica sozinho.

E por que você, beesha bonita e pobre só consegue foda de uma noite e você beesha rica e feia só arruma boy toy que te liga quando seu salário bate na conta?

Simples, como nossa cultura é ainda muito jovem e estamos nos adaptando aos novos padrões, todo mundo quer o ‘melhor’, e se não consegue prefere ficar sozinho SE transformando nesse melhor para atrair outros melhores como você: É a teoria do Clone Gay.

Observem uma boate no século passado:

E uma boate atualmente:

A homogeneidade chega a assustar, não é verdade? E cada boy musculoso ali sem camisa só está musculoso e sem camisa porque batalhou para se tornar aquele ‘melhor’ que citei lá em cima. Por isso ele anda sem a camisa, pra vender o produto assim como a racha malhadora usa vestido curto pra mostrar os pernões.

Isso gera um círculo vicioso, porque os gays que se tornaram esse melhor não querem perder o seu tempo com gays que não atendam a esse padrão, forçando os outros gays a também buscarem se encaixar no padrão para conseguir os clones que desejam.

Afinal, não é porque você não faz parte do padrão que você não vai ser seduzido por ele. Principalmente com a mídia reforçando sempre, com flyers de boate e propagandas de turismo GLS, que o gay que todo mundo quer é esse:

Defeito

Padrões de beleza são assim chamados exatamente pelo fato de serem um ideal de beleza de um grupo, mas isso não significa que todo esse grupo esteja encaixado nele, principalmente num utópico como esse.

Nosso grupo sempre foi conhecido pela diversidade, por aceitar a todos… mas é só conhecido mesmo, porque a realidade não é muito diferente da feminina quanto à manutenção do seu corpo para servir o desejo estabelecido pela maioria (vá pra porta da São Firmino e veja se não estou certa).

Pintosa quebrando louça com pintosa, urso com urso, discreta com discreta, drag com drag, bombada com bombada? Já passou da hora de misturar.

E aí? Qual a opinião de vocês sobre esse novo esterótipo de gays que domina o meio LGBT? Em que ponto ele deixa de ser saudável e se torna uma obsessão?

Alguma beesha rica no recinto…


… a fim de traumatizar um garotinho virgem?

Cata:

Ele está participando de um concurso no qual as pessoas oferecem a virgindade em troca de dinheiro e fazem a felicidade de algum nerd gordo e programador ou de uma cinquentona mal-comida.

Infelizmente, o programa não tem restrição de sexo e o boyzinho russo diz não ser bee:

Que chato… centenas de passivas folclóricas reecas e exóticas around the world acabaram de ter um orgasmo lendo isso.

Sejamos francos, ele pode ser hétero o que for, mas a carinha de ator da Bel Ami dele insiste em dizer o contrário:

E esse negócio de gay for pay, rá… a gente já sabe como termina.

Aí você, beesha que não é riquíssima, mas tem cartão fidelidade da Move Music e gasta uma boa quantia bebendo seus Chandão no segundo andar, pode pensar que este mimo é inacessível. Mas eu digo que NÃO:

2.600 arôs? Bobagem, não acham? Um Dolce do seu closet paga isso, vinhádo!

Eu dou todo o apoio. Ainda mais pra essa galerinha fashionista, que a gente SABE que só sai na noite pra fazer fechação, não pegação.

Fui há uns meses à Move e a quantidade de brilho no casaco de marca da beesha era proporcional à tristeza nos olhos dela por não ver uma pica há milênios.

Dê-se esse presente, você merece!

Dica da Maud Lilly