Somos todos marcianos


Como se não bastasse o Marcelo Antony ter defendido a proibição do beijo gay na TV, usando o argumento de que 80% dos telespectadores são humildes e sem instrução, e por isso seriam incapazes de compreender um beijo gay. Ou seja, chamou a população brasileira de estúpida e quadrada.

Agora ele me veio com essa:

afeminado 1 afeminado 2

ai eca

Que nojo, QUE NOJO que eu tô desse cara falando. merda. pra caralho. Qual a relação entre um gay masculinizado e a seriedade do papel?  Agora gays afeminados não podem ser pessoas sérias?

Estou por conta do cacete já com essa máxima do “vamos fazer um gay com mais seriedade” para falar de fazer personagem masculino. Como se bicha afeminada fosse piada apenas por ser o que é.

Aliás, qual é essa medida de feminilidade ideal? Porque até agora se eu vi 5 gays completamente masculinizados foi muito, o resto todo dá algum tipo de pinta.

Por que? Porque existe de um tudo no meio gay, assim como existe de um tudo em todos os meios. Tentar separar isso no grupo “dos afeminados que só servem pra fazer piada” e o “grupo dos gays sérios, discretos, que constituem família e são normais” é ridículo e contraproducente.

Qual gay vocês acham que a sociedade vai escolher pra respeitar e qual vai rechaçar?

A gente sabe que não vai ser assim

A gente sabe que não vai ser assim

E ele já está igualzinho aqueles viados homofóbicos:

afeminado 3

Sempre FUGINDO do estereótipo, ‘ele dá um pouquinho só de pinta, não pode ser catalogado como a pintosa que a gente está evitando para representar o personagem com seriedade. Ser bicha e mulher é ruim, deve ser evitado, porque homem não precisa ser afeminado pra ser gay’… o meu rabo pra tudo isso.

Cada um precisa ser o que acha que deve ser, e merece respeito por isso.

Perceberam então, né? Ou você é o homem que as pessoas falam “Caramba, não sabia que ele era gay” (elogiando, lógico, que nem falei nesse post. Porque não parecer gay é uma coisa maravilhosa) ou você é marciano.

tumblr_lrf6tzx7PR1r31qlco1_500

Tenho orgulho de ser marciano,  seus seres inferiores.

E se acha que eu estou exagerando, me mostra um personagem afeminado que foi tratado com seriedade nas novelas da Globo que calo minha boca.

Até mesmo aquele cabeleireiro que o Paulo Gustavo fez, era apenas um stand-up comedy móvel. A única cena séria dele foi no final quando ela se despede, e mesmo assim ele fez uma piadinha.