Basfond no Transcol


O sonho de consumo de qualquer bee mentalmente sã

Rá, gatas, peguei um Transcol hoje para ir à Ufes, néam? Normal, certeza que a maioria de vocês faz o mesmo diariamente pra pegar no batente.

Estava eu dentro do 501, num sol do caralho, liiiiiind… é, estava eu no 501, num sol do caralho, e quando chegamos no Shopping Praia da Costa, entraram dois rapazes:

Um bombadinho, másculo, branco, olhos claros, cabelos pretos… mas viado. Porque a gente sabe, pode ter o corpo inteiro de homem, o jeito de homem, mas se bater o olho no olho, a gente sabe que é viado. Boi preto reconhece boi preto e o nosso gaydar é tão apurado que se o boy olhar demais ele vira pedra, igual na história da Medusa.

Tente não manjar

O outro, um loiraço de 1,90m, a cara do Sawyer do LOST, sem camisa, só de bermuda cargo, cabelos curtos, olhos azuis, sonho de consumo de qualquer bee. Certeza que se você visse o boy daria “oi” de costas pra ele.

Terceira ponte vai, terceira ponte vem… e o bombado começa a olhar pra neca do loiro. Olhou, desviou o olhar, e continuou olhando pra frente. Depois de novo, e mais uma vez.

O loiro, muito do desconfiado, olhou para a própria neca e depois para o bombadinho… pensei: “Ui, vai rolar uma pentada”. E o bombado também, tanto que começou a olhar freneticamente para a neca do loiro… porque será que esses encubados são sempre passivos? É desanimador.

O loiro deu sinal e chegou ao seu destino, mas na saída…

Esbarrou no bombado com força e gritou em alto e bom som:

Vai manjar a rola do capeta, viado!

BEESHAS! O transcol INTEIRO parou na cara do bombado, ele ficou rosa da cor do meu edi e saltou no próximo ponto, todo constrangido.

É por isso que eu digo, bee’s, pegação no Transcol é como ir a um baile funk, as chances de você foder são as mesmas de você SE foder.

NHAC!