Extensão Beat – Análise


Como todas aqui já souberam pelo BCG da semana, eu não fui à nova boate que abriu, mas isso não quer dizer que eu não estava presente em espírito. Todas as minhas capangas foram e me mandaram textos contando TUDA pra vocês ficarem informadas.

Vou usar o texto de uma moça, que prefere ser chamada de moça, que se auto-intitula “A Recalque”. Não vou postar o texto todo porque o ritmo é frenético pras guei não dormirem na metade do post. Tá prontchênha? Então vem comigo!

A garotchênha em questão chegou bem cedinho porque, segundo ela, gosta de “estrear”, mas na verdade ela tava com o koo cheio de otim e não queria pegar a blitz na rodovia. A entrada foi rápida, sem promoter distribuido beijos e juras de amor, ela pegou sua comanda e foi!

Lá dentro:

“[…] Gigantesco, seguranças por todas as direções, o som no último volume, a iluminação do kerélio, meio desnorteado fui conhecer os locais que mais passaria a noite: banheirón, fumódromo, bar, e claro a pista de dança. Todos os itens tem nota 10. Banheiro perfeito com uma ante-sala com uns mega espelhos e mais pias, achei muito higiênico. Fumódromo escândalo com direito a visualização do fervo das bunithas lá embaixo.

O sistema de comanda é digno no quesito segurança,  com direitos e deveres das alcoólatras atrás e em letras colossais, dizendo inclusive que em caso de perda da comanda o valor poderá ser combinado com o gerente. Aliás, para mim isso faz diferença porque lá existe um gerente e não aquela brincadeira de passa ou repassa entre os promoters.

Quando fiquei sabendo do preço cai para trás, beesha, aquele mundo da Extensão Beat tem preços acessíveis, juro que já estava pensando em ter um coma alcoólico por que com a grana que eu levei daria para fechar uma geladeira daquela! […]”

Me senti no meu Crossfox

Dentre os detalhes da pegação que a guei fez lá dentro, me contou também que O TETO ABRE (fiquei chocada com essa modernidadtchy) e que o palco de shows é enoooorme, será que rola um Miss Gay 2011 por lá?
Qué dizê, o único problema é a localização muito distante. Mas também pudera né, bonitas? Não tem nem lógica colocar uma boate desse tamanho na área urbana, imagine só, Braseel, o teto abre e um skinhead joga uma bomba lá dentro matando metade das gueis capixabas! Mas seria lindo Vitorinha nevando purpurina por 5 meses, bem no estilo Silent Hill.

Semana que vem, se a programação permanecer GLS, vou fazer o possível para dar uma passadinha por lá.

Extensão Beat – Nova boate no Espírito Santo


Recebi há uns dois dias um depoimento falando sobre uma nova boate em Manguinhos (Serra), cavuquei por mais informações, descobri algumas coisas, mas ainda está tudo muito misterioso.

Bem, a nova casa se chamará Extensão Beat e, segundo fontes confiáveis, será a maior do estado, tem dois andares e um ambiente com palco.

Ângela Jackson

Agora vem a parte mais interessante: sabe quem é um dos promoters? Ninguém menos que ÂNGELA JACKSON, ela mesma, a rainha do miado. Tive um filho colorido pelo edy quando soube e achay o máximo!

Infelizmente, a boate não será destinada ao público LGBT, mas já fiquei sabendo que alguns fins de semana do mês serão só pras guei e nos outros dias a política será totalmente gay friendly. E vamos combinar, né, fofuras, com a quantidade de héteros nas baladas gays não faz mais sentido taxar a boate.

Muitas informações ainda não foram liberadas, o que me faz pensar… Qual vai ser o preço? Cadê o site e os perfis do Orkut? A estrutura de som vai aguentar esse espaço todo? E esse palco, é pras drags ou pras mais bêbadas tirarem a roupa?

No mais, eu achei digno ser em Manguinhos, no koo no mundo, longe de tudo, uma delícia pras encubadas colocarem em prática toda aquela desejada pinta que escondem na São Firmino.

Update:

Eu só espero que apesar da boate “não ser” gay, o SOM seja! Porque aguentar remix de 2003 igual eu sou obrigada a aturar nas boates hts não dá!

E se segura que quando estivermos próximos da data o BC vai liberar uma promoção com vips pra vocês!