Coió hétero na literatura


Este post é pra quem gosta de literatura. Se você não gosta, para por aqui e vá ver isso que você ganha mais.

Vivo uma relação de amor e ódio antiga com o escritor Rubem Fonseca. Há vários livros dele que são tão heteronormativos e machistas, com personagens com pensamentos misógenos e homofóbicos que me dá um ódio, que olha…! Porém, misteriosamente não consigo parar de lê-lo, uma coisa meio mulher de malandro literário. Mas ele está conseguindo ganhar meu coração novamente. Agora estamos numa fase boa, nos amando.

Estou lendo o seu ‘Bufo & Spallanzani’, um pastiche do gênero policial com um certo caráter metalingüístico, onde várias histórias de mistério se entrelaçam, se misturam… fora que há reflexões sobre o fazer literário muito interessantes (leia mais sobre bem aqui).

Antes que você me diga: “Meu cu, Dé, o que isso tem a ver com esse  blog de viadices?” eu respondo. Na verdade, não tem muito não. Mas tem um diálogo que eu achei ótimo, um coío que o personagem principal, que é um machão hétero comedor convicto, dá num outro cafuçú quando este faz um comentário ignorante sobre homossexualidade:

Não é demais? Se der, leiam o livro que é muito bom.

E vocês estão lendo o quê?

P.S.: Repararam que o livro está marcado, né? Antes de me recriminarem saibam que o livro é MEU. Jamais façam algo parecido em peças de acervos públicos, ok?