Os encubados e o Dia dos Namorados


O Dia dos Namorados chegou! E eu sei que é estranho logo eu, a solteira mais orgulhosa de Vitorinha, falando disso. Mas esse post não é para fazer um ode ao amor e ao relacionamento sério no Facetruque, deixa isso pra casada da Dé.

Todo ano é a mesma ladainha entre grupo das recalcadas que dizem amar ser solteiras, mas vão passar a terça-feira num bar pé de porco bebendo e reclamando da vida, e do grupo das namorandas, que passam a semana inteira fazendo declaração de amor no Face, mas rodam o koo mais que a saia da Pomba Gira quando um boy dá em cima delas pela Truth Box.

E as encubadas? Elas estão escondidas em Nárnia, mas nem por isso são incapazes de amar. Aliás, são as que mais namoram, afinal, é muito mais seguro ter uma pica na mão que duas te adicionando no Facebook de família.

Por isso, resolvi fazer uma das minhas amadas listas separando em categorias o comportamento delas no Dia dos Namorados, vamosh começar?

Lá vem a preconceituosa da Max

A Solteira: Está quase casada, morando junto e se bobear já adotou o filho do marido ativo, mas no Dia dos Namorados sempre posta que foi dar uma volta no shopping ou comer num restaurante japonês com o “brother”, pra comemorar a solteirice.

A Discretona: Não comenta nada, não comemora nada. Mas pode apostar que durante o dia ela vai postar sobre algum presente que ganhou: “Ganhei uma caixa personalizada da Heineken, irada!”… não se sabe quem deu, quando deu ou porque deu. Só ela acha que ninguém desconfia.

A Alcoólatra: “Vamos beber porque namorar tá foda!”. Vai na fatura do cartão de crédito dela no fim do mês pra ver quantos pseudônimos de motel você vai encontrar. Soube que o do Status é um nome de borracharia.

A Sonsa: Tem o namorado no Face e mil amigos gays em comum. O namorado assumido posta uma foto dela com ele e uma declaração de amor embaixo, mas ela pede pra não marcar, não comenta e finge que não viu, tudo “pra não dar pinta”…

A Alfabética: Faz uma declaração linda, mas toda vez que vai falar o nome da pessoa coloca só a primeira letra do nome: “Te amo muito, B., não sei o que seria da minha vida sem você”. Tsá boa, né?

Já manjei sua rola e cê nem viu, bee!

A Pessoal: Não cita nomes na declaração, mas toda vez que vai falar do namorado, em vez de usar adjetivos e termos no masculino substitui tudo por “a pessoa”. É a mesma que no churrasco da família, quando a tia evangélica pergunta “E as namoradas?”, ela responde: “Estou namorando uma pessoa maravilhosa”.

A Comunicóloga Cineasta: Como todo mundo já desconfia da sexualidade dela por ser da Comunicação Social, ela faz a koolt e posta o curta “Não Quero Voltar Sozinho”, usando o respeito à diversidade para sair pela tangente. Mas mal sabem as amigas que à noite quem procura a bengala do ceguinho é ela.

Je T’aime de cu é rola

A Musical: O mural dela é como se não existisse Dia dos Namorados. Mas todo dia doze, em alguma hora do dia, pode procurar que você vai achar alguma citação de música romântica.

E, por fim, A Hipster: Foto no Instagram de coração recortado em cartolina vermelha, escrito ‘Je T’aime‘ no centro. Dá vontade de dar três tiros no monitor, de ódio desse ‘Je T’aime’.

Já viu alguma coleguinha encubada com esse comportamento? Já viu com algum comportamento que eu ainda não vi? Me conta aí nos comentários!

Top Five do Pop 2011


Agora é nossa vez! Neste clima goshtoso de retrospectiva, vamos relembrar os 5 melhores momentos da pop music que mais nos marcaram em 2011? Aquelesh que levaremos na memória e em nosso heart ♥? Vamash:

5 – Katy Perry e o Julio de Sorocaba

Foi um ano de grandes shows internacioanis nas terras tupiniquins. Teve Britney e milhares de bees gritando “Oh Oh Oh Oh”, teve Rihanna curtindo nossa caipirinha, teve Shakira cantando com Ivetão, teve adolescentes jogando calcinha na cara do Justin Bieber, enfim. E teve Katy Perry no Rock in Rio e uma bee que virou web-celebridade instantânea depois que:

“Juli.. Oooh!”

4- O ovo de Gaga

O ano iniciou com o aguardadíssimo álbum Born This Way, da cantora Lady Gaga. Sempre com performances memoráveis – como a que trouxe a público seu alter-ego masculino Jo Calderone – Gaga abalou ao chegar a premiação do Grammy dentro de um ovo. O single-título do álbum teve sua estreia marcada por acusações de plágio que não tiraram em nada o brilho e a fechação da apresentação:

3 – Beyoncé e a performance de Run the Word (Girls) no Billboard Music Awards

Este ano ela deu o que falar por conta de sua gravidez – que chegou-se a suspeitar ser falsa. Lançou um álbum (4) e vários clipes. Mas o que realmente deixou o mundo de queixo caído foi a performance fabulosa do single Run the Word (Girls)! Foi acusada de plágio e copiadíssima. Arrasa, Bey:

2 – A morte de Amy Winehouse

Em janeiro, ela veio ao Brasil pela primeira e última vez. O mundo chorou sua morte acontecida em julho. No fim deste ano, foi lançado um álbum póstumo Lioness Hidden Treasures no qual inclui o clássico da Bossa Nova ‘Girl from Ipanema’. Pra mim Amy foi o maior presente e a maior perda que este século nos deu no quesito música.

1 – Adele!

O fenômeno Adele, por si só, foi a grande revelação deste ano. Desbancando várias divas, a gordinha deu nó na garganta de muitas bees embalando crises de dor de cotovelo… Sem dúvida É a diva gay do ano:

As profissões e o sexo


Desde o meu post sobre a Ufes em números as bee’s estão pedindo por mais listas, acho que está no nosso sangue essa feminilidade de adorar uma lista, tipo “50 coisas que você pode fazer pra enlouquecer o seu homem na cama”, ou “30 dicas para ter o cabelo perfeito” ou até meishmo “24 coisas que não se deve fazer na hora da chuca”.

Hoje eu vou relacionar as profissões e o sexo, claro, se nossa profissão influencia até na nossa personalidade, com certeza na hora do baco você toma atitudes que acaba tomando no trabalho. Então vamosh lá?

Bee Advogada: Te coloca contra a parede, te come e ainda te faz se sentir culpado por isso.

Bee Médica: Te faz acreditar que está doente e que o pau/koo dela é a cura.

Bee Contadora: Administra o tempo da foda, o número de estocadas e ao extrair o líquido, calcula a alíquota de espermatozóides da amostra.

Bee Física/Matemática: Formula uma hipótese que relaciona o ângulo da penetração com o número de orgasmos, desenvolve uma fórmula, desenha um gráfico e pública um artigo científico.

Bee Professora: Te dá 30 minutos pra terminar a foda, em silêncio, e se olhar pro lado, É ZERO!

Bee Pedagoga: Pega na sua mãozinha, coloca na neca dela e te alfabetiza na punheta. Mas depois te faz repetir a lição mais 15 vezes pra fixar o conteúdo.

Bee Jornalista/Publicitária: Fala o tempo todo durante o sexo, e depois ainda publica no Facebook uma resenha crítica do seu desempenho.

Bee Psicóloga: Te faz topar alguma prática sexual incomum, você broxa, e no final ela fala que isso é culpa de pai ausente e mãe superprotetora.

Bee Dentista: Escova os dentes e passa fio dental depois do sexo e, por fim, ainda te oferece uma amostra grátis de Colgate Total 12 pra corrigir aquela placa que ela sentiu quando passou a língua no seu dente.

Bee Filósofa: Cita Nietzsche enquanto trepa. No final fuma um beck e filosofa sobre as diversas interpretações de cada pessoa sobre o que é orgasmo.

Bee Cobradora de Ônibus: Só abre as pernas mediante pagamento, nunca tem troco, e se você é virgem, desista, ela nunca sabe te explicar como chegar lá.

Bee Cabeleireira: Corre tudo bem durante o sexo, mas no final você se olha no espelho e descobre que ela fez uma escova progressiva nos seus pêlos pubianos.

Estão esperando pela Bee Bióloga, néam? Mas eu não vou falar, uma gay eshperta, por mais que esteja na pior, nunca gonga a própria classe.

E então? Já passaram pelas situações? Têm alguma dica de profissão para começarmos a montar uma segunda parte ou achou tudo uó e sabe que a Max só fez isso porque não tem mais nada pra escrever?