Como reconhecer uma lésbica no Facebook


Voltay!

Sentiram saudades dos meus posts que eu sei!

Eu nem ia postar esse tutorial agora, estava esperando que o “Como reconhecer um gay no Facebook” caisse em desuso para lançar esse novo tutorial, mas como Vitorinha está mais parada que cadeirante no pagode, eu resolvi adiantar o post.

Para falar das sapas, eu tenho que introduzir o conteúdo, porque vocês sabem, amapoa já é complicado, agora vocês imaginem as loucas que ainda gostam disso? Só sendo muito desequilibrada meishmo, entón, deixa eu dar alguns detalhes. (nuóssa, que parágrafo safado, “dar”, “introduzir”… siririca intelectual)

Lésbicas em redes sociais são como criança na Casa dos Brinquedos, ficam deslumbradas com a quantidade de coisas e querem levar tudo! Ou seja, sempre que ela achar uma racha bonita, mesmo que seja vizinha dela ou more lá no Acre, ela vai adicionar. Diferente de nós bee’s, afinal, homens heterossexuais não são muito receptivos em relação a homens gays os adicionando no Facetruque sem motivo, eles tem PAVOR de “serem confundidos com gays”. Já as mulheres vêem nisso a oportunidade de uma nova experiência bissexual amizade.

Na mente doentia da sapa, mesmo que a moça more no Acre, sempre passa pela cabeça dela o “vai que”… “vai que eu viajo pro Acre, sei lá, pra um Congresso de Ornitologia? Já vou ter uma peguete garantida”… Aí quando você vê, ela tem “lugar pra ficar” em todos os 26 estados brasileiros, se fala mais de uma língua então, prefiro nem comentar.

Vale lembrar que esse tutorial vai englobar o máximo de tipos de sapa possível, tsá? Porque eu sei que cada uma curte um ou mais estilos de calçado, vamos combinar que é difícil escolher entre uma botina e uma sapatilha, a primeira tem conforto, mas não se encaixa em todas as ocasiões, e a segunda você pode até calçar pra um almoço de família, mas ficar o dia todo com ela vai te dar uma baita dor nos pés à noite.

Mas agora que vocês já entenderam essa premissa, vamos aos tópicos:

 1- A foto do perfil NUNCA será uma foto comum, salvo raríssimas exceções, ela terá alguma expressão diferente (mordendo a boca, cara de raiva, piscando o olho), um cabelo exótico ou bem curtinho (franja + repicado em 90% dos casos) ou amarrado. Sem contar as que tiram foto com o rosto de perfil, néam?;

2- Quando ela comentar qualquer coisa no Facebook, a maioria dos comentários serão de outras mulheres de estilo muito parecido com o dela. Os amigos gays ou os “brothers” só vão comentar mesmo quando ela postar alguma música de uma banda de rock;

3- Quando uma delas tira foto em frente ao espelho mostrando a barriga, TODAS as outras vão se marcar nas partes íntimas ou peitos da sapa;

4- Se a gay curte MPB, pode ter certeza que músicas da Isabella Taviani, Ana Carolina e Maria Gadú serão postadas pelo menos uma vez ao dia. Se ela levou um pé na bunda então, CORRE, que ela vai postar o cd inteiro da Ana Carolina perfil.

5- É quarta-feira/domingo? Humpf, bloqueie logo a timeline da sapa, porque ela vai comentar o jogo em tempo real, com direito as outras amigas do brejo gritando “GOOOOOL” nos comentários;

Diversão allowed, pegar no peito not allowed

6- Em fotos em grupo com outras sapas, nada de “trenzinho de lado”, ou cabelinho jogado no ombro com sorriso de cachorra, sapa que é sapa tira foto ou colocando a mão SOBRE o ombro da amiga do lado, ou igual time de futebol, com umas duas ou três agachadas no chão.

7- Em fotos com homens, ELA pegará na cintura do rapaz, nada de macho agarrando pela cintura dela não, e se encostar no peito, é briga, pois quem é sapa meishmo respeita a premissa: “Brother que é brother não pega no peito”, by Larão.

8- Se não estiver vestindo blusa xadrez aberta com regata básica branca, vai estar PELO MENOS, com um casaco. Eu sei que muitas sapas adoram usar decote, mas a maioria prefere evitar essa apelação.

9- Em alguma parte do álbum dela você vai encontrar uma foto do nariz pra baixo e do peito pra cima, mostrando o colo, a nuca e o comecinho da orelha, que terá um alargador ou um piercing na cartilagem.

10- Nas fotos com amigos na balada, seja hétero ou gay, você nunca vai encontrar a fancha sem alguma menina muito mais ou muito menos pintosa que ela do lado, mesmo que ela seja encubadíssima, sapas não caçam sozinhas e sempre carregam uma amiga que não faz o tipo dela, pra ajudar… porque se fizer o tipo, já sabe, elas se pegam.

11- A moda insuportável do “cutuque”. Já virou mania entre elas, se você está desconfiando de alguma amiga sua, corre agora pra timeline dela e veja se ela comenta alguma coisa sobre receber muitas “cutucadas”. Se a resposta for positiva, olhe os comentários… precisa continuar explicando?

Bem gata

12- Maquiagem ou muito carregada, ou quase nada. Lésbicas não se preocupam muito com uma maquiagem perfeita, blush então, só as Movetchys usam. Se ela usar make carregada, pode ter certeza que vai ser aquele exagero de olho.

13- Bolsinha “tira-colo” ou mochila. Sim, bebês, muito, MAS MUITO, raramente você vai encontrar uma sapa com uma bolsa de mulherzinha. A maioria tá sempre com bolsa de lado ou uma mochila gigante nas costas… se for da Billabong, FUJA, que pode ser uma boladona do funk, elas são tão masculinas quanto e podem te confundir.

14- Foto de costas? NÃÃÃO! Foto de biquini segurando a canga no vento? NÃÃÃO! Frog de verdade só tira foto de frente, e se estiver de biquini, estará de shorts. Não vou nem comentar das que usam top de ginástica, néam, porque aí já tá esfregando na sua cara que schupa grelo no verão;

15- E, por fim, algum comentário sobre cerveja ou cigarro na timeline. Sapas adoram contar pra todo mundo o quanto bebem, fumam, jogam sinuca e assistem jogo no bar.

Lembrando mais uma vez que nem todo mundo se encaixa nesse tutorial, eu peguei o que a MAIORIA FAZ. Ainda mais que estamos falando de mulher, néam?

Engraçado que EU super me encaixo em muitos dos tópicos, seria eu uma sapa com cinta-caralha acoplada?

Agora é só esperar as lésbicas do estilo “sou-revoltadãm-não-curto-estereótipos” começarem a me jogar seus vidros de Dermacyd:

Sobre lésbicas e sexo anal.


Este feriadão na República NPT, tivemos descobertas e descobertas… Hétero enrustido com brinquedinhos no armário,  sapa fazendo sexo anal, mas vamos por partes.

A pergunta que não quer calar é: Porque as lésbicas tem tanto preconceito com o sexo anal? No meio da conversa, uma das sapas solta: “Mas meu edý é muito apertadinho pra esse tipo de coisa, deve doer!” Ok, mas por qual motivo as bees curtem horrores o bapho?

Eu, muito curiosa, fui pesquisar na prática. Não, sexo anal não dói e sim, é possível ter prazer. Pois se até a Sandy afirma, ain gatãn! Vamo combinar, né!?

Acredito que o mito que ronda o sexo anal ainda existe no meio lgbt, seja nas afirmações do tipo “quem dá é mais gay do que quem come”, ou ” o edý só serve pra botar pra fora, aqui nada entra!”.

A dor é comum, tanto na primeira transa, como no sexo anal, se você não estiver relaxado e excitado o suficiente pra isso. É tudo questão de jeito, paciência, excitação e confiança na parceira. Mas e você? Você goshta?

Resenha: “Move para Elas”


Bom, como todos já sabem, a Move estreou um novo projeto dedicado as sapas da Grande Vitória. O “Move para Elas”, é um evento que vai rolar toda 2ª quinta feira do mês, promovendo a interação e pegação entre lindas garotinhas. Eu fui curtir de perto e contar tudinho pra vocês, é claro!

Faz exatamente 1 ano que não apareço pelas bandas da Move, então, vocês já devem imaginar que eu desci no ponto errado. Sim, eu fui de ônibus, e sim, muitas outras sapas também, afinal eu olhei para o lado e contei mentalmente. Depois que finalmente consegui chegar, a portaria não parecia tão animada, acendi um cigarro e esperei calmamente o fervo.

Lá dentro, a música já rolava e havia bastante gente, desde as novinhas até as mulheres de verdade, muita sapa bonita dançando e pra minha surpresa, femmes e femmes se pegando freneticamente! Adorei. A Move me pareceu menor que antes, não sei se mais alguém percebeu isso. O bar estava muito bem organizado, fui rapidamente atendida todas as vezes. Adorei os leds nas paredes e os djs não deixaram ninguém ficar parado!

Falei bem até agora né, mas lá vem a crítica. As gogo dancers pareciam travestis! Me desculpa, mas pareciam meeesmo!! As sapas se acabaram de bulina-las e eu fiquei traumatizada!

Foi legal perceber que as mulheres marcaram presença, o que destaca o fato de que na Grande Vitória somos carentes de eventos voltados para lésbicas. Amei a noite e espero, sinceramente, que dê muito certo essa nova empreitada da Move.

Mais sobre o ‘Nova Opção’


Anunciamos aqui sobre o bar Nova Opção, que tornou-se um bar gls, uma alternativa aos chatos domingos. No mesmo post, pedimos que nos dessem mais informações sobre o lugar e nossas queridas leitoras sempre MUITO bem informadas nos deram (oie!).

Pois bem, o bar de fato tem recebido o público gay, mas conta com uma maioria esmagadora de lésbicas. O espaço interno é bem grande, sendo fechado para proporcionar maior privacidade. O local? Fica aqui ó:

Domingo passado como atração teve uma cantora de mpb e uma dupla de sertanejo. Vai umas fotinhas pra dar uma noçãozinha?

Enfim, é um botecão que não tem nada demais, a não ser o fato de ser mais uma alternativa de espaço pra quem quer ficar a vontade, dar pinta, tomar uma cerveja, ver uns bofinho, azarar…

TODAS AMA: Primeiro beijo lésbico da teledramaturgia brasileira


OOOOOWWWWWWWWWWNNNNNN! ♥

Silvio sempre a frente, sempre vanguarda!

Ontem, na novela ‘Amor e Revolução’, as personagens Marcela (Luciana Vendramini) e Marina (Gisele Tigre) deram um beijão de língua! Achei ótimo o diálogo porque parece até metalinguístico, ou seja, parece que elas falam às muitas reações que os telespectadores teriam a cena. AMAY!

E vocês, fanchas, curtiram?

Gírias lésbicas…


Bater bolo, dar o edy, gravar, aquendar o boy, entre outras… todas essas são gírias que nós bills usamos quando vamos (ou pretendemos) trepar.

Mas e as sapas? Será que elas também possuem seu dialeto próprio ou isso é exclusividatdchy das bee’s e travas?

Pois eu digo que NÃO, se você pensa que elas estão muito atrás, está muito enganadãm, cata só a quantidade de gírias que elas usam pra chamar a outra sapa pra subir na Vitória-régia:

Clique para ampliar, SUA CEGA!

Inhaí? Vocêam joga Tíbiãm?

Como identificar uma lésbica?


Quem tem um gaydar apurado não precisa de nenhum guia para perceber quando alguém é gay. Principalmente os homens, que pode ser o macho que for, mas, queridinhas, Hips don’t lie. A quebradinha de cintura é INVARIÁVEL até nos mais chucros e ativões.

Mas e as sapas? Com a tendência atual da igualdade do comportamento dos sexos, os mais inexperientes ficam muito confusos ao determinar se a racha é lésbica ou só uma HT moderninha.

Pra acabá com isso, postarei um guia de identificação das frogs, para que você, recém-assumida, nunca mais passe pelo desconforto de dar em cima de uma HT (se é que alguma mulher é heterossexual nesse mundo, néam?).

Cata:

Clique para ampliar

Como o Brasil não tem segunda língua, exceto o tiopês, vou traduzir os tópicos pra vocês que mataram as aulas do CCAA.

1. Adorar animais de estimação;

2. Vegetarianismo;

3. Usar aneis (principalmente no dedão) e munhequeiras;

4. Não saber escolher sapatos;

5. Olhar pesado e fixo (olhar de macho pra ser mais prático) – Esse é MUITO a Izaaa, hahaha;

6. Necessidade de tocar nas pessoas… TODO TEMPO;

7. Falar como se pisasse em ovos (o famoso “pensar 2 vezes antes de falar”), SEMPRE;

8. Não usar maquiagem (exceto com olhos esfumaçados);

9. Preferência por tecidos naturais (algodão, lã);

10. Impertinência;

11. NÃO usar bolsas (essa é a que mais me revolta haha);

12. Nunca saber onde colocar as mãos (não sabe se põe na cintura, no bolso, se cruza os braços ou se coça o nariz);

E aí? Se identificou ou vai fazer a uó e dizer “eu sou sapa, mas sou feminina”?

Seeeeei, tudo bolachona e quer pagar de mulherzinha. Feminina sou eu, querida!

Estupro Corretivo: Violência física e psicológica.


Mil bees nervosas, que intimamente me amam, vão reclamar, alguns poucos vão comemorar minha volta, but whatever… Sobrevivi a enchentes, alunos em crises de identidade, visitas de parentes que moram longe, carnaval de bosta e estou me sentindo PRETTY!

Como a delícia da Maxuellen já disse, não há nada pra se falar, além do óbvio.  Então, resolvi tocar em um assunto, importante e sério: Estupro Corretivo. Alguém sabe o que é e porquê acontece? Então, viajaremos até a África do Sul, também chamada de Nação Arco-Íris, conhecida pelos seus esforços pós-apartheid contra a discriminação e que é, ironicamente, a capital do estupro no mundo. Uma menina nascida na África do Sul, tem mais chances de ser estuprada do que de aprender a ler.

Millicent Gaika, atada, estrangulada e estuprada repetidamente durante um ataque no ano passado.

O Estupro Corretivo é baseado na noção absurda e falsa de que lésbicas devem ser estupradas para “se tornarem heterossexuais”, mas este ato não é classificado como crime de discriminação na África do Sul. As vítimas geralmente são mulheres homossexuais, negras, pobres e profundamente marginalizadas. Para a maioria das lésbicas sul-africanas, é preferível suportar o sofrimento a denunciar esse tipo de agressão: na África do Sul, o estupro “corretivo” tem quase plena aceitação social.

Uma pesquisa realizada por uma organização local revelou, por exemplo, que 20% dos homens acreditam que as vítimas de estupro gostaram da experiência. E mais: que elas fizeram por merecê-la. Ainda mais alarmante é a transmissão do ódio à nova geração de homens sul-africanos, cresce a ocorrência de estupros cometidos em escolas por garotos que acreditam poder “curar” suas colegas lésbicas.

Alguns dados sobre a prática:

Nos últimos 10 anos:

* 31 lésbicas foram assassinadas por causa de sua sexualidade [na África do Sul];
* mais de 10 lésbicas são estupradas por semana somente na Cidade do Cabo;
* 150 mulheres são estupradas todos os dias na África do Sul;
* de 25 homens acusados de estupro na África do Sul, 24 saem livres de punição.
* Por ano, são 500 mil casos de estupro registrados. Estima-se que quase metade da população feminina vá ser vítima de estupro em algum momento de sua vida.

Escrito nas Estrelas


Gatinhas, encontrei um girly guia no Parada Lésbica, pra você sapata que ainda não é um homem completo e não se desprendeu “dessas coisas de viado”. Preparadas? Segurem na borda da vitória-régia e leiam comigo a coluna Signos – Versão Sapata.

A coluna está em construção, mas no momento elas já têm os signos de Peixes, Áries, Capricórnio, Touro, Escorpião, Leão e Gêmeos (Clique para ver).

Muito bom, néam? Eu não li o meu signo, não porque eu não sou lésbica, todo mundo aqui sabe que eu tenho um lado sapa, mas porque a autora ainda não postou o guia de Sagitário, meu signo. Entón, eu fico na espera.

E com vocês? Bateu?

Verdades cafuçuzísticas #1


Eu passando pelas belas (not!) ruas do centro de Vitória, cato trecho da conversa de dois cafuçús (do mal, que fique claro):

– Mulher bonita mesmo é sapatão?

– Oi?

– Lésbicas. Elas são sempre mais bonitas que as héteros, mais arrumadinhas. Mulher mesmo (sic) é desleixada.

– Ah, é?…

Eu, como não entendo de racha, nem opino. Vou chamar azamiga pra responder: SAPATÃÃÃÃÃÃO!

Passo a passo das sapas??


Recebi um email de uma amiga e acabei me identificando com a espécia de manual sobre “Como ser lésbica”. O fato é que toda lésbica “novata”, parece seguir esse processo, na primeira fase:

  1. Quer sair da casa dos pais para ter privacidade (leia-se, para ficar de fodeção);
  2. Trepa todos os dias da semana e fim de semana também;
  3. Gasta tubos de dinheiro com conta de celular;
  4. Começa a ficar sem saco para os amigos héteros;
  5. Descobre que era gay desde sempre;
  6. Dorme de conchinha todos os dias;
  7. Fica horas pendurada no telefone do trabalho falando sobre o nada com a namorada;
  8. Enfrenta três ônibus, uma viagem de metrô, outro trecho de trem, só para chegar na casa da garota (que em geral mora beeeeem longe);
  9. Fica de pegação no point mais hétero do bairro em que mora;
  10. Quer se casar, ter um cachorro e viver feliz para sempre;
  11. Acha que já está amando desde o primeiro beijo;
  12. Só fala nesse assunto;
  13. Acredita que a primeira mulher da vida será a única for-ever-men-te
  14. Fica sensível a tudo e a todos;
  15. Se torna alcoólatra.

Depois de uns anos, de muitas cabeçadas, mulheres malucas, términos, voltas, paixões avassaladoras, fodas incríveis e juras de amor eterno, vem a fase do desapego, do desencanto, da descrença. A vida volta ao normal e o seu comportamento muda consideravelmente, tipo:

  1. Divide apartamento com amigas e gasta metade do salário só para manter a tal da privacidade;
  2. Trepar, só quando há alguma recaída com a ex, que por acaso também está na secura;
  3. Cancela a conta do celular e compra um cartão só para RECEBER chamadas;
  4. Começa a ficar sem saco para as festinhas sapas que, em geral, dá sempre as mesmas meninas;
  5. Descobre que queria voltar a ser hétero;
  6. Dorme sozinha todos os dias e começa a gostar disso;
  7. Só usa o telefone para pedir china box ou alguma coisa da farmácia;
  8. Sair para um encontro com alguma mulher só se ela passar de carro na sua casa;
  9. Não fica de pegação na rua nem dentro de casa;
  10. Deixa de acreditar em casamento e acha que vai morrer sozinha;
  11. Deixa de dizer “eu te amo”;
  12. Só pensa em manter o emprego, trabalhar, ganhar dinheiro;
  13. Sabe que ainda terá muitas mulheres, mas não acredita em alma gêmea;
  14. Fica insensível, pragmática, racional;
  15. Continua alcoólatra, afinal, tem de ter alguma diversão nessa vida.

Bom, muita coisa fez sentido, rs, mas será q todo mundo se identificou? E vocês, bees, tem alguns comportamentos típicos do início da vida colorida?

Mais uma Vitória para nós!!!


LGBT POWER!!!

Entonces beeshosas, para quem ainda não sabe a população lgbt brasileira teve mais uma vitória. Um casal de lésbicas conseguiu o direito de serem reconhecidas como mães de duas crianças. NUNCA na história desse país isso aconteceu e foi o Supremo Tribunal de Justiça que reconheceu a dupla maternidade por unanimidade – tem casos que Nelson Rodrigues estava errado! Para quem quiser saber mais, dá uma lida na matéria que saiu aqui ou outra que saiu aqui. É uma vitória sem tamanho, muito mais que o direito de entrar vip nas boates ou de arranjar um bofe escandalo para preencher a cama em uma noite! Beijoxxx!

11 coisas que aprendi assistindo filmes pornô lésbicos


Tive que compartilhar com vocês:

1) Uma vez usando a cinta, o dildo é acoplado ao seu corpo, tornando-se uma extensão do mesmo e por isso a pessoa que o usa sente IMENSO prazer em receber um “boquete” na ex-prótese, atual pinto.

2) 90% da população lésbica é composta por loiras-peitudas-fogosas.

3) Não importa o quão longa, purpurinada e pintada suas unhas sejam: elas NUNCA, nunquinha vão machucar na hora H.

4) Clitóris, mamilos e todas as extremidades ditas “sensíveis” do corpo não passam de sacos de pancada, manuseie com o máximo de descaso e força que conseguir.

5) É falta de educação fazer sexo sem sapato. Quanto maior o salto, mais transparente, mais purpurinado, melhor!

6) Ao ser penetrada toda lésbica deve gemer “Oh yeah” e continuar a recitar este mantra, porque é apenas através dele que ela alcançará o orgasmo. Variações para “Oh fuck, oh yeah fuck me” também são aceitas.

7) Toda lésbica é uma bi enrustida. É ok para um cara se meter no meio (literalmente) de uma transa entre lésbicas: elas vão adorar!

8 ) Cuspir nos órgãos sexuais enquanto fazem sexo oral é totalmente aceitável, lésbicas ADORAM uma boa cuspida na perseguida.

9) As lésbicas se beijam com a língua de fora pra PROVAR que beijam de língua sim!

10) Sofás, por mais desconfortáveis que pareçam, são SEMPRE melhores do que uma cama. Aliás… Tapetes, toalhinhas de pic-nic, debaixo do coqueiro da praia, no consultório ginecológicos, todo lugar é lugar para acontecer uma transa lésbica (menos uma cama).

11) Tendo SEMPRE o item 10 em mente, todas as lésbicas andam SEMPRE super depiladas. Afinal nunca sabem quando vão engajar-se em uma luta de aranha.

por Rapha em Scarpin, Malbeq, Maquiagem e Pochete.