Cobertura do Top Drag 2012


Rá, viados! O que foi a Cheeca ontem no Top Drag?!

Tinha tanta gente, mas tanta gente, naquele lugar, que se você tentasse dançar Beyoncé, dublando e abrindo os braços, corria o perigo de matar uns 5 viados de traumatismo craniano. Na moral, nunca vi aquele lugar tão cheio desde o Especial Whitney Houston, no começo do ano.

Os shows estavam maravilhosos, as produções impecáveis e o nível da disputa bastante elevado. Então vamos comentar um por um?

Mas antes… em nome de G-zuis, você, bee que SEMPRE caga no banheiro feminino: Dá pra me fazer o grande favor de fazer a chuca antes de sair de casa? Toda semana alguém interdita aquele banheiro, não aguento mais!

Sviper:

I'm gonna eat youSviper tava uma mistura de Hannibal, Sharon Needles e Papa-léguas. Juro que quando cheguei no camarim pra falar com a Chica (que diga-se de passagem estava deitada num divã de pernas pra cima) dei de cara com ela se montando e quase tive um filho pelo cu com aquela maquiagem em HD TV.

O show foi belíssimo, o bate-cabelo sem nenhum defeito e, até então, jurava que ela seria a queridinha pro título. Aliás, antes de sentar na mesa do júri, fiz uma pesquisa de campo com as bee’s fumantes e todas diziam que ela seria a vencedora, devido a qualidade da performance, que realmente foi impecável.

Em falar nisso, nada melhor pra fazer amizade com as fumantes que sair de casa sem isqueiro. A gente pega um cigarro, mexe nos bolsos, finge que tá procurando pelo isqueiro, avista a primeira gay fumando, pede fogo e ali já começa um papo como quem não quer nada… nessa brincadeira fumei uns dois maços de Hollywood vermelho.

Nick Strauffer:

Jujubeeandoãm

Nick tava magia e sedução, meio Jujubee, meio Miranda Priestly. Chegou de picumã armado, tirou o picumã, depois tirou o gorro e ainda TINHA OUTRO CABELO EMBAIXO! Não entendo como elas conseguem trucar tanta peruca uma embaixo da outra, gentchy!

O show foi bonito, a dublagem estava sincronizada, o bate-cabelo OK. Inclusive, as caras que ela fazia realmente mostravam que ela sabia o que a letra queria dizer, e vocês sabem que eu sou uó com esses pequenos detalhes da dublagem, não admito drag que fica mascando chiclete em cima do palco. Dá vontade de jogar um panfleto do CCAA na cara delãns.

Mas o que mais me marcou foi o corpete vermelho, que me lembrou de uma vez que me montei…

E eu achando que tava bááásicãm.

Allanna Strauffer:

São da mesma família ou é impressão minha? Que lindo, a família inteira competindo no mesmo evento, tipo aqueles Quizz entre famílias que tinha no SBT.

Mas essa foi do caralho, ela tava fazendo Cosplay do Vingador da Caverna do Dragão! Assim que ela adentrou o palco, a energia foi tão intensa que uns 3 viados macumbeiros arrebataram na pista.

Não precisa nem dizer que o show foi lindo, né? E AI DE QUEM DISSESSE que não, diante de toda aquela pedraria, peles, chifres e bate-cabelo nervoso.

Bee’s! Ela dava umas rodadas tão rápidas que eu juro que se ela continuasse naquela velocidade, em poucos minutos acabaria abrindo um daqueles portais que levam as crianças da Caverna do Dragão pra casa.

Rayssa Sheiffer:

Úvula 100%

Dessa eu gostei DEMAIS da maquiagem! Ela fez uns desenhos em volta dos olhos e da sobrancelha que, junto com a roupa  super sensual de zebrinha, dava a impressão que ela era uma versão moderna high fashion daquelas deusas africanas… ou da Ororo do desenho dos X-men antes de ficar de cabelo branco.

O bate-cabelo tava luxo, mas pecou um pouco na dublagem. O que foi perdoável, gente, a música que ela pegou era tão rápida e difícil de dublar que se ela conseguisse fazer todos os movimentos da boca, aposto que a boca dela pularia da cara e pediria greve pelo trabalho compulsório.

Khyra Thammer:

Ganhei, garáleoããããm!

Agora, A VENCEDORA! E merecido, bee’s! Isso serviu, inclusive, pra dobrar a língua de quem diz que o concurso é máfia. Juro pra vocês que em momento algum fui ludibriado a votar em nenhuma das candidatas, não me influenciaram antes e nem durante da votação. Aliás, antes do show eu NEM sabia quem era essa Khyra… mas quando ela entrou…

Puta que me pariu, eu pensei que fossem derrubar a Chica Chiclete. Vocês já viajaram de Transcol pros confins de Viana em semana de Carnaval? Não?

Pois façam isso, esperem os funkeiros começarem a cantar dentro do ônibus. Eles vão bater nas paredes, cadeiras, chão, teto e até em você; a sensação é de que o ônibus vai virar! Imagine isso dentro da Chica?

Eu adorei a energia, mas confesso que saí de lá com 30% da minha audição comprometida, depois daquela gritaria… já posso mandar a intimação processando o estabelecimentoãm?

Leona Kiss:

Foi a última candidata, e nem por isso menos importante. Se bem que depois do furacão Khyra ficou complicado pra ela causar a mesma sensação na platéia.

A produção estava elaboradíssima, a dublagem flawless, mas, infelizmente, o bate-cabelo não convenceu. Foi bem devagar, às vezes fora de ritmo, mas nada que ela não possa aprimorar pra voltar no ano que vem quebrando tudo!

Sobre ela ser plus size, fiquei muito triste com os comentários preconceituosos que ouvi das gays na pista. O concurso não é de Miss Espírito Santo e não preza só pela magreza e perfeição do corpo das candidatas.  O vale ali é o talento, a dublagem, a produção, e isso ninguém poderia dizer que ela não tinha. Me decepcionei com as senhoras, humpf.

Por fim, o show seguiu com as já conhecidas Jéssica Telles, Mikaella e Rysllen. Que botaram a boate abaixo, como de costume.

Agradecimentos ao site LGBT-ES pelas fotos cedidas, ao produtor do Top Drag, Magno Procter, ao Renan Rilton e às fofinhas que me receberam muito bem na casa.

p.s.: Essa postagem é de humor satírico e irônico, caso qualquer uma das drag citadas aqui se sinta ofendida com qualquer piada, basta entrar em contato comigo pelo e-mail max_babadocerto@hotmail.com, que retirarei o que incomoda, okay? Mas espero que entendam que é apenas humor.