O retrato do pensamento da maioria dos pais


Lembram do caso Mortágua, do filho do Edmundo Animal, que deu todo aquele bapho que acabou na delegacia? Então, depois de muito tempo o jogador quebrou o silêncio e falou sobre o fato de ter um filho homossexual. Do Paraiba:

“Ele nunca me falou: ‘Pai, eu sou gay’. Mas claro que não sou idiota, ele tem aparência total. Mas não muda nada, respeito e admiro igualmente. Tenho muitos amigos gays. Mas é claro que quando é com o outro é mais fácil. Quando é na nossa família fica mais difícil. Por mais que não seja preconceituoso, ninguém quer ter um filho homossexual, até pelo preconceito que ele vai sofrer. Respeito a opção, mas quero que ele tenha um comportamento íntegro na sociedade”, disse Edmundo.

Não é emblemático? Parece ser um padrão presente em toda relação pai-e-filho-gay: o filho que evita falar e o pai que prefere não saber. Na hora de valorar a relação é aquela história do respeito, mas preferia que não fosse gay por não querer que ele sofra.

Queridos pais, nós sofremos muito mais quando não vivemos nossa sexualidade, ok?