Ainda sobre dia mundial de luta contra Aids…


Como todos já sabem, ou deveriam, quarta-feira foi o dia mundial de Luta Contra a Aids, uma das doenças mais tristes que nos abate, pois é transmitida via sexo, este momento de integração tão sublime e vai nos minguando, nos destruindo aos poucos até a morte.

Como sabem também, dirigi um espetáculo ocorrido no mesmo dia, com a participação de 15 cantores  capixabas e 1 africano que interpretaram as músicas de Cazuza. Em breve, assim que tiver os vídeos, posto sobre ele aqui e comento.

Por hora, gostaria de comentar as pesquisas divulgadas pelo Ministério da Saúde no dia 1º. De A Notícia:

No Dia Mundial de Luta Contra a Aids/HIV, o Ministério da Saúde divulgou ontem números que mostram que a doença ainda preocupa a saúde pública, principalmente por atingir cada vez mais pessoas jovens (em especial meninos) e com grau maior de escolaridade. Estudo com 35 mil rapazes de 17 a 20 anos mostra que a prevalência do vírus HIV nessa população saltou de 0,09% para 0,12% em cinco anos.

O que acontece é que muitas vezes deixamos de nos prevenir, pois usar camisinha “naquele momento” tiraria uma certa áurea de espontaneidade, como se se tivessemos preparados para o sexo fosse algo negativo. Mas o fato é que sem camisinha o sexo NEM DEVERIA ACONTECER, garaleon!

Outra questão é o continuísmo das relações. Às vezes, nos protegemos na primeira transa, mas se a relação evolui para algo mais constante ou sério, como um namoro, simplesmente deixamos de usar porque “ganhamos intimidade”. Eu pessoalmente não sei também o que fazer nestes casos. Ambos fazerem o exame? Sempre usar camisinha? Arriscar? Desta forma podemos dizer que nossas vidas estão sempre em risco. E não se enganem, o HIV está por aí.

O que não pode ocorrer é o preconceito ao portador do vírus. Contam histórias de várias gays que assim que souberam que o exame havia dado positivo se suicidaram. Já soube de uma que se atirou de um prédio e de outra que assim que saiu do Hospital das Clínicas se atirou no trânsito. Tudo por já conhecerem o terrivel preconceito que há a estas pessoas. Lembrem-se que o vírus só se transmite por relação sexual ou uso compartilhado de materiais que perfuram a pele como siringas, barbeadores ou alicates de unha, por exemplo.

‘Tributo a Cazuza’ na quarta


Imagine um espetáculo com Aguilar, Alexandre Lima, Andréa Ramos, Unidos Da Piedade, Bharol, Carlos Papel, Charran, Cláudio Modesto, Edésio Fraga, Eduardo Rosa, Elaine Rowena, Eugênio Goulart, Fabian Ifrikan, Grupo Negraô, Gustavo Macaco, Jandyra Abranches, Juana Zanchetta, Juca Magalhães, Julimar Amorim, Jura Fernades, Kakalo, Kamaly, Marcela Lobbo, Mc Adkito, Renato Casanova, Sérgio Pavese, Vera Da Matta e Xuxinha. Todos cantando os maiores sucessos do Cazuza!!! Agora imagine este espetáculo dirigido por mim e Wlad Castiglione com texto de José Roberto Santos Neves. Imaginou?

É o evento oficial da Secretaria de Saúde do estado no Dia Mundial de Luta contra a Aids. A interpretação é de Reginaldo Secundo.

O evento é beneficente a entidades sensíveis a causa. Os ingressos são vendidos na bilheteria do teatro.

Faço questão de ter todas lá.

Cinema contra a Aids


Nesta reta final de 2010, o cinema será um forte aliado da saúde pública na capital capixaba. De 26 a 30 de novembro acontece a I Mostra Cine Aids Vitória, na qual serão apresentados filmes que abordam a questão da Aids no Brasil e ao redor do mundo. A mostra é uma das ações de prevenção da doença na semana que antecede 1° de dezembro, o Dia Internacional de Luta Contra a Aids.

A Ufes irá receber boa parte da programação do evento. No dia 26, às 19h, vai acontecer o lançamento do longa-metragem Positivas, com direção de Susanna Lira, no Cine Metrópolis.

Já nos dias 27 e 28, no Auditório do Centro de Artes, serão exibidos os filmes Anjos do Sol, Princesas, Três Irmãos de Sangue e Yesterday. Serão duas exibições por dia, às 17h e às 19h.

Fonte: Informa.