Kooriosidades – Na Cama com Max [Tema: Dominador e dominado]


O Kooriosidades dessa semana vai ser diferente.

Tenho recebido muitos e-mails de leitores e, como o Kooriosidades é uma coluna semanal, se eu fosse esperar para postar um por semana a bee que me enviou a cartinha hoje só teria sua resposta no ano que vem!

Então, pra poupar tempo e responder mais gente, vou mudar a frequência para dois posts por semana, okay?

A cartinha de hoje é de um boy que se diz ativo, mas que fica desconfortável quando o passivo é maior que ele, vamos acompanhar:

Max, estou com um dilema: curto ser ativo, mas não consigo quando o cara é maior do que eu. Tenho tesão por caras baixinhos, magrinhos e machos, quero ser ativo com eles.

Mas quando o cara é maior que eu e apresenta características de ativo dominante, às vezes broxo, me sinto impotente diante de um cara que é mais macho e mais dominante do que eu.

Será que tenho que continuar sendo ativo com caras menores, e passivo com caras maiores?

Ah, a eterna heterossexualização da relação gay. Nossa sociedade patriarcal e machista domina de tal maneira o koo alheio que um homem se sente menos masculino sempre que toma atitudes “tipicamente femininas” no sexo.

Basta observar o horror que os héteros têm ao “fio terra“, e a própria carta acima, na qual ele deixa de se sentir à vontade como ativo somente pelo fato de ser menos robusto que o parceiro.

Aquela situação que a racha coloca o dedo no edi do namorado:

Sim, afinal, como a relação sexual homossexual é, infelizmente, uma relação de dominação (assim como é a heterossexual), é de se esperar que o maior seja o dominador e o menor o dominado. Quando esse paradigma é quebrado, *BOOM*, temos um ativo confuso com relação a sua capacidade de dominação.

E com muitos passivos acontece o mesmo. Eu já fiz sexo com homens de todas as alturas e idades (todas mesmo), mas em todas as vezes nas quais eles eram mais novos ou mais baixos (porque mais magro é impossível, néam?) que eu, me sentia desconfortável… como se eles não fossem “homens o suficiente” para me dominar.

Vejam só a grande babaquice machista que afeta a todos nós, até mesmo uma bee como eu, que a última coisa que ostenta é a masculinidade.

Entretanto, pela carta do rapaz ele parece bastante flexível nessas situações, e mesmo quando “broxa” com os caras maiores que ele se sente confortável em ser passivo. Apesar de eu achar isso lamentável diante da escassez de ativos no país, o que interessa é gozar.

Portanto, em vez de seguir seu coração, siga sua neca. Se ela subir, ótimo, se não, use a próstata. 🙂

Tá com um dilema de natureza sexual, social, econômica ou médica? Mande sua dúvida para max_babadocerto@hotmail.com, e a Max consultará os universitários para tentar resolver o seu problema.