Que tal um teatrinho hoje?


Hoje tem uma excelente peça com temática gay DE GRAÇA. Vamos aproveitar, sabe como é Vitorinha, quando tem algo tem que aproveitar porque sabe se lá quando, e se, vai ter de novo…

A obra apresentada é Luis Antônio Gabriela.

Imagem

A história? É essa:

O diretor Nelson Baskerville coloca em cena sua própria história, no qual o irmão mais velho, homossexual, Luis Antonio, desafia as regras de uma família conservadora dos anos 1960 e parte para a Espanha sob o nome de Gabriela.
A história tem inicio em 1953, com o nascimento de Luis Antonio, filho mais velho de seis irmãos, que passou infância, adolescência e parte da juventude em Santos até ir embora para Espanha aos 30 anos. O espetáculo foi construído a partir de documentos e dos depoimentos do ator e diretor Nelson Baskerville, de sua irmã Maria Cristina, de Doracy, sua madrasta e de Serginho, e narra sua história até o ano de 2006, data de sua morte em Bilbao onde vivera até então como Gabriela.

Veja o teaser da peça:

Serviço:
Luis Antônio Gabriela
Onde? Teatro Carmélia
Quando? Hoje, 02/07, terça-feira.
Que horas? 20 horas.

Somos todos transexuais!


“Sou trans e você?”

Li que o superstar pornô gay François Sagat, no documentário sobre sua vida, abre seu coração e de certo modo desglamuraliza a idealização do universo das mega-indústrias de produção de materiais adultos. Entre várias coisas, ele diz, por exemplo, que é incapaz de amar. Mas o que me chamou a atenção foi isto aqui:

Ao mesmo tempo, ao descontruir o ator pornô como ícone do sexo, François também nos mostra como este ideal é construção. Ele era uma criança afeminada, sofria bullying na escola. Contra isto, ele construiu uma imagem supermasculinizada, horas de academia e a aplicação de testosterona. Ele diz algo intrigante ao assumir que se considera um transexual, pois procurou a imagem que o satisfazia e achava adequada para o seu corpo.

Gente, daí eu comecei a refletir e pensei como isso acontece com todos nós, especialmente com nós gays. Partindo da lógica de que transexuais são aquelas pessoas que acreditam que sua identidade sexual não é compatível com seu corpo biológico e que por isso na maioria das vezes fazem intervenções sobre ele para adequá-lo àquela condição, podemos dizer que todos nós temos um devir trans.

Dou-me como exemplo. De certo modo me enxerguei no que disse Sagat, dadas as devidas proporções. Eu gosto de estar barbudo e usar um estilo mais boyzinho certinho, digamos assim. Isso é totalmente compatível com o que busco no sexo e no parceiro, pois curto aquela pegada cheia de testosterona, pelos, pegada bruta vindas de ambos os lados.

Assim também é o Max, por exemplo, em que a natureza privilegiou com uma androgenia natural, mas que ele exagera com recursos artificiais (corte de cabelo, roupa, maquiagem). Ele poderia aplicar testosterona e virar menininho, poderia aplicar estrogênio e virar menininha, mas ele optou – aí sim é uma opção, diferente da sexualidade – por uma questão de identidade e de realização pessoal. Assim como ele, eu e você.

“A gente faz de um tudo”

Aquele rapaz da academia que malha como doido, aquele que nem liga e come pra ficar gordinho, aquele que faz o corte modernete, aquele que tatua um dragão nas costas, aquele que usa óculos de aro grosso, aquele que raspa o peito, aquela sapa que parece um sapo… Todos estão passando uma mensagem ao mundo e alguns signos tratam de questões ligadas a preferência sexual, basta lê-los. No fundo, tentamos parecer aquilo que queremos que as pessoas creiam que sejamos. Claro, que tudo ditado pelas relações que compartilhamos com nossos convivas e pela cultura de nossa época.

Aliás, o poder de artificialidade está bem representado no trabalho do fotógrafo francês Leland Bobbé intitulado “Metade-Drag”. Nele, drags foram fotografadas com apenas metade do rosto maquiado. Chupa (tape metade do rosto nas imagens e veja a diferença):

Veja mais fotos clicando aqui.

Plantão Parada Gay


Nós já temos a maioria das datas das Paradas Gay do Espírito Santo, néam? Mas o que vocês não têm são informações exclusivas sobre as atrações das paradas.

E foi pra isso que eu criei o Plantão Parada Gay, pra contar pra vocês toda vez que eu tiver alguma informação nova e bafônica sobre a organização dos manifestos de 2012, okay?

Então, solta a vinheta:

A primeira notícia é sobre a Parada Gay de Vila Velha, que vai acontecer no dia 30 de Setembro, ali em Coqueiral de Itaparica.

A Organização é do Renan Rilton. Já a Ana da Band comandará um segundo trio elétrico independente. Tô vendo que vai ser sucesso, a Parada Gay de Vila Velha do ano passado foi a mais elogiada aqui no Babado Certo e nas redes sociais.

Parada Gay 2011: Renan e a Iansã futurista de Ana

Só que hoje recebi um telefonema com todas as informações sobre o que vão trazer de novidade esse ano. Segundo Ana, ela e o seu co-produtor Arthur Meneguelli vão produzir uma homenagem à Comunidade Indígena Brasileira e ao Centenário de Jorge Amado (sim, o que escreveu Gabriela, cravo e canela e Dona Flor e seus Dois Maridos).

Yin Yang

Eu já achei delícia aí, porque sempre amei os livros de Jorge, mas Ana me falou que não vai ser só uma homenagem com decoração e frases fofas sobre o escritor. Ela vai colocar UMA CAMA em cima do trio e vão encenar uma das cenas de Gabriela!

E não pára por aí, além dessa homenagem que tem tudo pra ser babado, ainda estão planejando trazer músicos da Orquestra Filarmônica de Vitorinha ou da Bateria da MUG.

Confesso que ambos são o máximo e vocês sabem o quanto eu gosto de um samba… é bater o tamborim que a minha negritude se manifesta. Sim, queridas, posso ser branca como a neve, mas tenho sangue negro! Vocês acham que esse bocão da Royal veio de onde? Da Itália?

Entretanto, na verdade mesmo eu tenho o sonho dourado de presenciar a união da música clássica com a eletrônica, que nem aconteceu em São Paulo:

Imagine, gente! “Invenções” de Bach com “Eu tô Bonita“, de Silvetty Montilla?!

“Tam tam nam nam EU QUERO É ROLAAA tam nam tam nam” hahahaha MÁGICO!