Contra as Joelmas e (in)Felicianos


Algumas vozes continuam se levantando contra os discursos homofóbicos preferidos por aí e publicizados pela mídia. Uma manchete que li hoje me deixou o saci…

sabatela feliciano

Já cliquei na matéria já com esta cara:

Mas aí eu li melhor…

Glamurama acaba de cruzar com Letícia Sabatella no Projac e, sabendo da veia politizada da atriz, puxou papo sobre o pastor Marco Feliciano, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. “O Feliciano é uma benção de Deus. Ele é tão nazista, arcaico e egoísta que enfim estamos acordando para a homofobia e o preconceito. É um mal que vem pra bem. É tão absurdo e forte, como se quem não pensa como ele estivesse associado ao demônio, possuído. Aconteceram coisas que doeram na minha alma. E, para ser contra essa aberração, quem antes não queria chocar a bisavó está se assumindo. Graças a isso, a homofobia daqui a pouco vai acabar, como acabou a escravidão.” (fonte)

Letícia Sabatella arrasô, né? Gente esclarecida e com consciência de direitos humanos é outra coisa.

Outra que saiu em nossa defesa foi a prestativa Rose, a doméstica das bicha:

Temos mesmo é que lutar nas redes e principalmente fora delas contra o discurso do “não sou obrigado a gostar”, pois ele não condiz com uma lógica democrática, uma vez que o casamento entre pessoas do mesmo sexo e leis anti-homofobia não ferem a liberdade de ninguém, muito pelo contrário.

Recomendo lerem um ótimo texto com essa opinião, de Clara Averbuck. É só clicar aqui ó.