Que isso, gordinho, que isso?!


Crossfilia: Fetiche em transar com motos e outros objetos motores.

Ou isso:

ines parece uma pornô

Mas a culpa é da moto que sai por aí toda insinuante. #ironia

Cada um com seus fetiches, néam?!

——————————————-

UPDATE: No grupo do Babado Certo no Facebook (já entrou lá, viado?!), alguém muito sagaz catou a inspiração do rapaz:

♪ “Bound to fall in love… ahan, honey” ♫

Guest Post – Plantão Neca


link-building-guest-post

Chegou a segunda-feira, feriado aqui em Vitorinha, você bebeu todas no domingo e está de ressaca, não é verdade?

Pois eu também, por esse motivo vou empurrar pela goela de vocês um Guest Post bem pornográfico. Porque eu acho que o Babado Certo está politizado demais nos últimos dias. Eu só falo de machismo nesse garáleo, cadê as putarias que dão argumento pras nossas inimigas nos chamarem de fúteis?

Quero o blog de merda de volta!

Segue o texto do F.:

andrew mc carthyEstive internado no Apart Hospital, pois tive alguns problemas de saúde, fiquei uns três dias na enfermaria aguardando uma vaga no quarto, pois o hospital estava lotado. Assim que surgiu a vaga eu já estava bem melhor e prestes a ter alta. Chegando ao meu quarto, o enfermeiro veio me cumprimentar e conversar comigo e com o meu pai que estava me acompanhando.

Logo deitei na cama e o enfermeiro chefe que era um homem muito bonito, veio me examinar e perguntou o quê sentia. Em um momento ele pediu que eu abaixasse a bermuda, ele colocou o lenço na frente, pois o meu pai estava do outro lado da cama e começou a mexer perto do meu pau.

fantasia+erotica+masculina+de+medico+realize+seu+fetiche+americana+sp+brasil__8253A_1A princípio achei normal, pois devia ser um procedimento, mas logo em seguida ele segurou na minha mão para medir meus batimentos cardíacos, e nisso ele encostou minha mão no pau dele. Pensei na hora: Pqp.

Ele acabou de fazer o que tinha que fazer e meu pai disse que ia comer algo, pois já estava muito tarde. Ele saiu junto com o meu pai. Como estava em um apartamento privativo fiquei sozinho no quarto, mas isso foi por pouco tempo, porque não demorou muito e o enfermeiro voltou.

Ele pediu para me examinar de novo e eu deixei, ele disse para abaixar a bermuda e a cueca e logo em seguida ele começou a mexer no meu pau, começou a me masturbar.

Bling_Bling_Fetish_EyemaskTive que me controlar bastante para não ficar de pau duro, mas logo ele pegou minha mão e colocou no pau dele. Não resisti, meu pau ficou super duro. Ele começou a bater um para mim e tirou o pau dele para fora (nossa que pau enorme).

Comecei a chupar ele e nisso ouvimos um barulho, ele saiu, mas logo voltou e começou tudo de novo, ele me virou de lado e começou a passar o pau na minha bunda e tive que resistir muito para na dar para, pois estávamos sem camisinha.

E voltei a chupar ele até ele gozar na minha boca. Me limpei e ficamos nos beijando, até que ele saiu.

Antes de ele sair dei meu número para ele e ele falou para eu esperar ele no próximo plantão, mas no outro dia acabai tendo alta e não vi ele e nem ele me ligou, então pensei que ele deve fazer com todo cara novinho que chega lá.

Quando estiverem passando mal já sabem aonde ir, né?

Comentário da Max:

tumblr_mgz7flWLne1rxhcsko1_500

Gente, mas o que é beesha, né? O outro mesmo doente não perdeu a oportunidade de chupar! Fico em choque com a coragem delas.

Enquanto eu pego um resfriado e nem banho tomo direito, de tão destruído que fico. Se bem que tenho uma história de hospital quinze vezes mais cabeluda que essa, mas jamais vou contar aqui, senão vocês todas perderiam o respeito por mim.

Mas dizem as más línguas que esse conto foi todo planejado e que ela está nos enganando. A imagem abaixo prova o rumor:

tumblr_mkk8wsybl41riuhgmo1_500

Agora tudo faz sentido…

Está sozinho? A culpa pode não ser sua


Hold on, bitch! Se você é uma escrota, passional e ciumenta, esse artigo não justifica a sua solidão.

Vamos repensar o nosso comportamento antes de esbravejar com os outros.

Na década de 90 só dava ela!

Mas se você é uma fofa, educada e tranquilíssima beesha, a culpa da sua solidão pode residir no novo estereótipo dos gays.

Novo estereótipo, Max? Sim, novo! Observaram que aos poucos a bicha pintosa deixou de ser o exemplo de gay e agora os valores são outros? Vamos pensar um pouco…

Aqui no Brasil, no final do século passado, as beeshas se resumiam nas caricatas, leathers e Homens-que-comem-homens-mas-só-quando-falta-buceta. Observem que os exemplos de gays sexualmente atraentes eram Cazuza, Ney Matogrosso e os boyzinhos dessas bandinhas pop que estouraram na mesma época.

Onde estavam as Barbies? Não estavam, ainda! As Barbies e a geração saúde surgem nessa transição dos anos 90 pros 2000, e é disso que quero falar.

Os gays hoje, numa tentativa de fugir do estereótipo da beesha que só sabia ser cabeleireira e estilista, criaram um padrão no qual você deve atender a vários requisitos para ser considerado o gay ideal, o gay que mais foge do paradigma daquele gay que morreu de Aids quando esta estourou no país (o gay de porta de discoteca: degenerado, afetado e promíscuo).

Esse gay é rico, bonito, inteligente, bom de cama, bilíngue, másculo e musculoso. Sendo esse másculo e musculoso as principais características visuais que destoam do gay magro e feminino que era visto logo de cara como “aidético” nas décadas de 80 e 90.

Aliás, já observaram que basta uma bee ser muito magra que as pessoas logo fazem piada sobre ela estar beijada pela tia?

Pois é, esse novo padrão é inalcançável para a maioria absoluta das pessoas e, por mais que você tente fugir desse estereótipo, as possibilidades de encontrar um parceiro para esse gay que atende à maioria das características é bem maior em relação ao resto.

Não vamos ser hipócritas e julgar todos que atendam a esse padrão, estética privilegiada e riqueza também podem vir de berço.

E quando não vêm? Dentre os héteros também existem padrões de parceiro ideal, mas eles tendem a abdicar de uns em detrimento de outros: É a mulher Raimunda, é o pobretão gostoso ou o careca rico. Quem consegue o pacote completo é considerado sortudo, mas quem não é o pacote completo também não fica sozinho.

E por que você, beesha bonita e pobre só consegue foda de uma noite e você beesha rica e feia só arruma boy toy que te liga quando seu salário bate na conta?

Simples, como nossa cultura é ainda muito jovem e estamos nos adaptando aos novos padrões, todo mundo quer o ‘melhor’, e se não consegue prefere ficar sozinho SE transformando nesse melhor para atrair outros melhores como você: É a teoria do Clone Gay.

Observem uma boate no século passado:

E uma boate atualmente:

A homogeneidade chega a assustar, não é verdade? E cada boy musculoso ali sem camisa só está musculoso e sem camisa porque batalhou para se tornar aquele ‘melhor’ que citei lá em cima. Por isso ele anda sem a camisa, pra vender o produto assim como a racha malhadora usa vestido curto pra mostrar os pernões.

Isso gera um círculo vicioso, porque os gays que se tornaram esse melhor não querem perder o seu tempo com gays que não atendam a esse padrão, forçando os outros gays a também buscarem se encaixar no padrão para conseguir os clones que desejam.

Afinal, não é porque você não faz parte do padrão que você não vai ser seduzido por ele. Principalmente com a mídia reforçando sempre, com flyers de boate e propagandas de turismo GLS, que o gay que todo mundo quer é esse:

Defeito

Padrões de beleza são assim chamados exatamente pelo fato de serem um ideal de beleza de um grupo, mas isso não significa que todo esse grupo esteja encaixado nele, principalmente num utópico como esse.

Nosso grupo sempre foi conhecido pela diversidade, por aceitar a todos… mas é só conhecido mesmo, porque a realidade não é muito diferente da feminina quanto à manutenção do seu corpo para servir o desejo estabelecido pela maioria (vá pra porta da São Firmino e veja se não estou certa).

Pintosa quebrando louça com pintosa, urso com urso, discreta com discreta, drag com drag, bombada com bombada? Já passou da hora de misturar.

E aí? Qual a opinião de vocês sobre esse novo esterótipo de gays que domina o meio LGBT? Em que ponto ele deixa de ser saudável e se torna uma obsessão?

OOOOOWWWWWNNNNN! ♥


Do Extra:

Um fuzileiro naval causou polêmica nos Estados Unidos ao tascar um beijo daqueles no namorado, Dalan Wells. O casal estava se reencontrando no Havaí, após o fim da missão do sargento da marinha Brandon Morgan no Afeganistão.

Ao avistar o namorado, Brandon se jogou nos braços dele para o tradicional primeiro beijo após a volta para casa. Esse momento é tradição entre os oficiais que voltam para casa e sempre é registrado. Mas a foto de Brandon com o namorado se espalhou rapidamente pela internet, depois de ser publicada na página Fuzileiros Gays, no Facebook. Foram mais de 4 mil comentários.

Eles seguiram o exemplo de um casal militar de lésbicas que já havia feito o mesmo.

Não sei vocês, mas eu achei muito fofo – vocês sabem como sou sentimental – e fiquei meio assim ó:

E ao mesmo tempo assim ó:

Porque, né, militar… sacumé.

[+18] Animação fofa pornô gay!


Às vezes damos (ui!) aqui no blog dicas de filmes e vídeos pornôs mais exóticos. Dessa vez é uma animação bastante fofa de um adolescente gay em descoberta do mundo mágico dos boys magia. Sacumé, muito hormônio agindo e qualquer coisa que lembre uma bunda ou piru e a gente já fica excitado. Ainda mais no caso do personagem que durante a educação física tem que ver os cafuçús todos pelados no vestiário. Mas imagina srealizar suas fantasias com aquele professor de Educação Física que sempre foi seu maior fetiche…

Clique na imagem pra ver:

Hmmmmm, delícia!

Fardados


Qual o fetiche de nove entre dez bees? Um cara alto, forte e fardado (uniformizado)! Digo, nove por que sei, que algumas preferem ele pelado logo de inicio!
Só que nem sempre andar em um carro com dois desses é algo que começou, e irá acabar em diversão!

Militar

Quando voltar do choque do meu assalto, volto a falar. Um homem fanho, e uma piranha mal vestida ainda perseguem meus pensamentos.