Podcast – Entrevista na UVV


Beeshas! Vocês não vão acreditar! Fui entrevistado hoje na UVV (Universidade de Vila Velha)!

com licença

Com licença, o programa da Roxanne

Adivinha o tema? Homofobia, lógico!

A entrevista foi comigo e com a delicinha da Débora Sabará (nossa ativista preferida) e, pasmem, foi transmitida ao vivo para toda a faculdade.

Pensem no tamanho da boca de se foder que eu fiz pras encubadas da Engenharia e pra galera do “não precisa ser afeminada pra ser gay”. Preciso sim, garáleo!

Infelizmente, a entrevista foi super rápida e só me deram dois minutinhos, então foi complicado sintetizar tudo que queria dizer nesse tempo. Mas acho que deu pra mandar a real e dar MUITA pinta.

Vamos ouvir?

deicia

Hahahaha mulher! Agora imaginem isso sendo transmitido com 120 decibéis de altura? Afrontei todas as fogosas!

Se você estuda lá e perdeu, fique de olho que no intervalo dos três turnos de amanhã essa entrevista será repetida.

ASSUNTO DA SEMANA: Entrevista da Xuxa no Fantástico


Maria da Graça Meneghel, a Xuxa, deu ontem uma entrevista ao Fantástico que caiu como uma bomba sobre a opinião pública brasileira, quiçá internacional. Só se fala nisso na imprensa e nas redes sociais. Veja logo pra ficar in, beesha. É bastante reveladora, sincera, surpreendente e emocionante:

Como eu fiquei ao final da entrevista:

xorando_monange.gif

Que babado, né?

Babado TV #4 – Como vai seu corpo?


Uhul! Mais um Babado TV saindo. Este foi gravado faz um tempinho, direto da Move Music, no dia do show da Lorena Simpsom (Quem vai gritar “old!” primeiro? VALENDO!) – lembram? – com participação especialíssima de Royce Luckessy. Dá play e se joga, bunita!

O áudio ficou ruim, eu sei, mas sabe como é o trânsito na BR, néam? Compensei colocando legenda, para de reclamar. MUAH!

Luisa Marilac no ‘Provocações’


Provocações sempre foi meu programa de entrevistas preferido, porque além de ter uma estética diferente (soturna), o Antônio Abujamra sempre se permite fazer umas perguntas existencialistas aos entrevistados. Vejam como foi o encontro destes dois ícones tão dispares:

Continuação: bloco 2 e bloco 3.

O texto sobre sexo no final do programa é muito bonito! “Tudo está contido no sexo, como parte dele ou como sua razão de ser!”

Via Grupo Cores.

Por falar em Luisa, já viram ela no Playcenter quase fazendo a Aretuza?

“Ai, quero assumir, como faço?”


"Mãe, tenho uma coisa pra te contar."

Muito interessante a entrevista que a especialsta Edith Modesto concedeu a revista Junior. Nela ela dá dicas pra aqueles que querem sair do armário e querem fazer da forma mais tranquila possível. Em especial, coisas que a mãe deve saber para aceitar melhor a situação, cata:

a) Garanta a ela, em primeiro lugar, que ser homossexual (LGBT) não é uma escolha, é uma condição natural do ser humano, como ser heterossexual.
b) Como as mães adoram se sentir amadas, diga que a ama e jamais escolheria causar-lhe qualquer desgosto.
c) Como as mães gostam de se sentirem necessárias, diga que precisa muito do apoio dela, o que não é mentira.
d) Você também pode garantir que ela não teve culpa de nada, já que é uma condição natural e espontânea.

Legal, né? Lembrando sempre que não há receita de bolo e cada caso é um caso. De qualquer forma, o que ela diz pode ajudar a cada um a pensar em sua própria situação, não é mesmo?

Leia a entrevista completa bem aqui que tem muitas outras dicas importantes.

Entrevista com Chica Chiclete


Algumas pessoas viram na última Muah! o Max dando entrevista, né? Então, aquilo é o Mapeamento Cultural LGBT do grupo Somos que está percorrendo o país registrando as pessoas ligadas a algum aspecto da cultura das minoroias sexuais.

Se fomos entrevistados, é lógico que a maior expoente da cultura LGBT do nosso estado também teria que ser: Chica Chiclete. O sempre fofíssimo colaborador Diego Herzog (queria casar com ele só pra ter esse sobrenome rico) registrou também esta entrevista e colocou-a no YouTube. Nela, além de falar sobre sua carreira, Chica comenta sua relação com o carnaval, política, parada gay e outras coisas. Vamos assistir?

DIVA!

Podcast #5: Bate-Papo entre @Cleycianne e @BabadoCerto


Tá bom, tá bom. Eu sei que não ficou muito bom o áudio da gravação do meu celular e que a Max falando o tempo todo não ajuda muito na compreensão, mas muita coisa legal dá pra catar se você tiver atenção e amor ao ouvir a conversa travada no camarim do Ilhacústico no dia da última Cabaret. Thiago Pereira, o homem por trás da Cleycianne fala do sucesso repentino, da relação com evangélicos, ameaças, concepção da personagem e muito “mas”. E depois de 02:30 dá uma melhoradinha.

Espero que tenham gostado e em breve vamos ver se transcrevemos tudo. Muah!

Um pouco mais que “exatamente”


Gif do "Exata-mente"

Como sabe-se na TV tempo é dinheiro. Apesar da excelente matéria feita pelo Em Movimento, fazendo um apanhado geral de vários blogs, além de ter explicado o que é e como estão no ES atualmente  em pouco mais de cinco minutos (postamos aqui), nossa participação ao todo não dura ao todo nem 30 segundos apesar de termos falado por 15 minutos. O que é normal e esperado. Dizemos muitas coisas que  gostaríamos de reafirmar aqui, ainda mais sendo amanhã o aniversário do nosso amado bluóg.

O que me deixou mais uó por não ter entrado foi ter dito que o blog é escrito, além de mim e Max, pela trava Tchynna e a sapa Iza também. Nossa fala inicial, que abre a matéria, foi resposta a uma questão relacionada a temática. Eu disse que é sobre cultura gay capixaba e o Max, para expor a diversidade de assuntos, falou que vai desde a programação da semana até o ‘último casamento da Gretchen’. O que não entrou foi que completamos que tratamos também de notícias, de aspectos políticos dos direitos LGBT e de visibilidade do movimento gay. Não falei lá, mas completo aqui, que a única coerência dos temas tratados é a ótica gay dada a tudo.

Falamos que o que faz o blog ser um sucesso é o fato de trazer atualizações diárias e opinião associada a isso, além de abrir para a colaboração e a participação do leitor. Comparei o blog a uma grande mesa de bar gay, cuja nossa única função é  simplesmente puxar o assunto da conversa. Max destacou a necessidade do senso de humor e da dedicação para criar boas e divertidas tiradas, ou seja, a preocupação com a qualidade texto.

Falei também sobre a escrita própria da blogosfera gay que está baseada na oralidade onde a preocupação é menos com a ortografia e maior com a  expressividade. Neste momento, o Cesinha, repórter da matéria, pediu um exemplo “que poderia ser dito às 1h45”. Max respondeu: “Travestchy, por exemplo, em que o ‘ti’ é escrito com t, c, h e y“.

Falamos também sobre nossa audiência de 100.000 acessos únicos mês. Max falou que é bom ser reconhecido na rua e receber ‘um carinho gostoso do público’. Ahan, Cláudia, sei bem o carinho goshtoso que ela goshta (aloka!).

Podcast #3: Entrevista com Elaine Rowena


Em seu apartamento no centro de Vitória, Rowena me recebeu. Eu com meu MP3, entre os vários gatos (felinos, bee!) da cantora, conversei sobre o show de hoje a noite, sobre preconceito, cena gay capixaba, sobre nova boate gay, Lady Gaga e otras cositas. Ouça:


Admito que sou péssimo entrevistador, mas foi bem legal a experiência. Depois da entrevista Rowena me mostrou o look que loosho que ela vai usar na última música do show: um micro-vestido de paetê vermelho e uma cabeça de carnaval toda trabalhada em plumas da mesma cor. Arrasô!

SERVIÇO:

O que: Show “Dance”

Quando: Hoje (28/01)

Onde: Praia de Camburi – Tenda Musical (perto do BB)

Sua aleijada hipócrita!


leona

"Vamos fazer um vídeo?!"

Depois de ter conquistado, juntamento com Leona Vingativa, o país com seus vídeos hilários no YouTube, Paulo Colluci – também conhecido como ajeijada hipócrita – deu entrevista ao blog Lazymid. Selecionamos alguns trechos, curtam:

Cadu: De onde surgiu a idéia de fazer os videos?
Paulo: Foi tudo muito de repente, nós já tínhamos feito uma filmagem antes, uma que tá rolando no youtube também, sobre umas garotas de programa (link) , ai depois disso, a Leandro Olin (LEONA) ficou fascinado por filmagens.
.. um belo dia ele me acorda de manhã, me bate (atrevido como sempre) e diz: VAMOS FAZER UM VIDEO !
aí começamos, sem ensaios, cenário, sem nada, e os nomes e as ideias, personagens, foram surgindo ali, NA HORA !
nenhuma das nossas filmagens tem cortes, são todas feitas uma única vez !
Super Original !

Cadu: Quantos anos vocês tem?
Paulo: Eu tenho 18

Cadu: E a Leona?
Paulo: 11 e já tá causando.

Cadu: Por que no primeiro vídeo você aparece pelado?
Paulo: Como te falei, a Leona me acordou. E eu só durmo pelado.
Cadu: De onde vocês são? As pessoas na tua cidade sabem do sucesso de vocês? Já receberam críticas?
Paulo: Somos de Belém do Pará (orgulho), o pessoal aqui tá sabendo SIM, muitos nos pedem até autógrafos, pedem pra tirar fotos, adoro… CRITICAS, MUITAS, mas a gente é inteligente o suficiente pra aceitar elogios e críticas. E quando percebemos que as críticas são por motivos pessoais nos calamos, pois a pior coisa pra uma pessoa invejosa é receber o desprezo da pessoa invejada!

Cadu: E o que tua família acha disso? Eles já viram os vídeos?
Paulo: Só meus pais que não viram ainda, mas o resto da família achou TUDÃO!

Cadu: Você pretende seguir carreira? Já pensou na possibilidade?
Paulo: Já pensei sim, meu sonho sempre foi ser ator, mas meu tempo é curto!

Nós também achamos tudão, Paulo! Atoramos o perigon de vocês!

Entrevista completa aqui. Dica do Diego P. via e-mail.

Pêlos e mais pêlos


pêlosSou da época em que pêlo se escrevia com “^”  e por isso manterei!

Já falei aqui da minha preferencia por peludos (não muito, assim ó) e já dei dicas sobre higiene com pêlos. Hoje falarei de um fetiche muito especifico que é o de homens peludos que raspam e da fase em que o pêlo começa a crescer. Ai, gente, quer me deixar louco é colocar um homem com pêlos em estágio de crescimento na minha frente. Aaaai!

O que me motivou a escrever esse post foi que durante essa semana meu namorado precisou fazer aquele exame que colam umas ventosas em seu peito para monitorar o funcionamento dos orgãos e paraisso eles precisam  fazer um bizarro corte nos p~elos do peitos num foramto meio redondinho. Meu namorado, que sempre foi bem resistente a raspar o peito, teve que fazer esse exame e daí preferiu tirar tudo logo. Ficou delicioso! Dias depois ele ficou mais delicia ainda quando os pêlos começaram a apontar. Daí que a gente aprende que nem tudo são flores, meu povo. Ele me deu um abraço e eu: “Ai!”. Estava parecem um cacto de tanto que espetava. Certas partes do meu corpo eram extremamentesensiveis ao contato com a pele. Ele sempre muito safadeenho: “Vira de costas para você ver como que é gostoso por trás!”. Era de fato.

Bem, para desvendar mais e mais desse campo tão interessante que é a depilação masculina, entrevistei um dos nossos leitores que faz disso um hábito. Confira:

Dé: O que você pensa sobre depilação masculina?

Leitor: Acho que fica mais bonito… E nada pior que uma selva amazônica cobrindo a anaconda e sua cria… (risos) Bem e gosto que a pessoa seja depilada na bundinha também. Bunda peluda é uó. Nada de brincadeiras com a língua no meio de uma floresta.

Dé: Mas e quanto ao peito, axila…

Leitor: Para mim tanto faz. Sério! Ter ou não ter. É bacana um peito lisinho, mas nada mais masculino que um peito peludo. Deitar sobre uma almofadinha de pêlos depois de um sexo. (risos) Ou numa noite chuvosa e um filme na TV. Só que é ruim também dormir de conchinha se o cara atrás estiver com os peitos do peito crescendo… Vai ter q colocar a camisa. O chato é pedir isso! Tem gente que não tem simancol e fica todo ofendidinho.

Dé: Discordo de você quanto a ser ruim, mas tudo bem. Por que você depila?

Leitor: Tenho muitos pêlos, quando não passo máquina, é claro, e é uó. Mas tem gente que adora. Já tive um namorado que me proibia de raspar. Outro já queria que eu raspasse sempre. Mas é um saco, as vezes dá vontade de passar, outros não. Hoje mesmo eu raspei, quer ver pela cam?

Dé: (cof, cof!) Não, não, obrigado, eu acredito.

Leitor: Fazia um mês que eu nem chegava perto da máquina.

Dé: Você passa a máquina a 4?

Leitor: Passo 1 no peito.

Dé: E mais embaixo?

Leitor: Nas partes íntimas passo zero. E nas axilas também.

Dé: Hmmmmm. Coça?

Leitor: Eu passo um gel que evita que coce e empole. No peito, Eryacnem.Muito boa. Lá embaixo nunca tive problema com isso. Agora não me pergunte sobre a bunda porque não tenho costume de raspá-la ou depilar. (risos) Já usei gilete, mas acaba coçando.

Dé: Bem, pessoalmente não me interessa saber sobre, é, sua bunda. Mas aos leitores sim. Posso publicar isso?

Leitor: Sim, mas sem meu nome.

Dé: Claro!

Leitor: Um amigo meu me disse que o melhor é depilar com cera quente. E cuidado com o Veet, que as mulheres usam… Não é o mais indicado. Se for usar é só um minuto.

Dé: No edí?

Leitor: Ahan.

Dé: Não é não. Você tem que ler mais o Babado Certo. É só você passar apenas nos pêlos e não nas mucosas, se é que você me entende.

Leitor: Haja engenharia pra isso. (risos). Tem de ser bem direitinho, pois é uma região sensível de pêlos mais fracos. De um a três minutos é suficiente.

Dé: Eu preciso dos 10 minutos!

Leitor: Que isso! E não te machuca não?

Dé: Não.

Leitor: Mas eu gosto de como a máquina deixa. Já passei veet no peito e  achei muito feio em mim. Gosto quando fica um pouquinho, bem pequenininho… (risos) Não gosto de me sentir muito liso.

Dé: Eu não tenho escolha. Sou sempre liso.

Entrevista com Silvetty Montilla


Apesar de termos já combinado, foi de assalto  que o promoter da boate heaven nos puxou pelo braço e nos levou de cãmera em punho até o camarim de Silvetty Montilla. Com um sorriso no lábio, muita elegância e fineza ela nos recebeu. Diferente de como é no palco, Silvetty fala manso e baixo e entre outras coisas falou sobre sua participação no programa ‘Toma lá dá cá’, sobre as inspirações de seu personagem e sobre o público capixaba, é com orgulho que a gente apresenta a primeira produção audiovisual do Babado (o som não está muito bom porque lá era muito barulhento, já aviso):