Vai passá mal!


Vô fazê três bucetas na sua cara cá minha navalha lá quando você for coisá… é… for… coméquifala? Ser julgada!

Tá dado o recado!

Não entendeu? Visite: http://xenofobianao.tumblr.com/

Dica do Caio

E o medo venceu a esperança!


Acredito que essa inversão do slogan da vitória do Lula em 2002 retrate bem alguns resultados das eleições deste ano. Tiririca e Magno Malto eleitos?! Como uma racha bem disse no Twitter, ambos os resultados mostram que o brasileiro gosta de uma boa piada pronta, só que no segundo caso o humor é negro.

Mas agora falando sério. Acredito que o resultado mostra quanto o brasileiro anda desacreditado na política, mostra como está entranhado na cultura popular máximas como “são todos iguais, ladrões”, “nada vai mudar mesmo”. Assomado a isso vem o fato de a grande maioria de nossa nação ser analfabeta política. Falta educação, inclusive educação política mesmo. Como bem diz aquele texto de Brecht que postamos aqui, as pessoas não tem a real dimensão de como as suas decisões resultarão em suas vidas, em seus cotidianos, que só elas podem interromper um ciclo de horror de gerações. Dai avacalham tudo! Votam muitas vezes em candidatos que são referências em sua igrejas (Lauriete, sério?), em sua celebridade favorita (Romário, Tiririca) ou no fulaninho que é amigo de alguém ou que em algum momento ajudou-o pessoalmente, o que é uma pena!

Acreditamos, por algum momento, que com o advento da internet no qual se informar (sobre os candidato e política de maneira geral) ficou mais fácil e acessível mudaria alguma coisa.

Fora isso tem o medo, o pânico mesmo. As pessoas estão com medo e é aquele maior do ser humano, medo de morrer. Medo da violência. E da violência contra seus filhos. Daí vem um espertinho e diz que vai acabar com a pedofilia e usa isso como palanque político. Agora diz que vai colocar crianças e adolescentes marginais na cadeia. E ninguém quer saber de nada! Se não quer saber do vizinho, menos ainda do menor carente. Nosso deputado mais votado foi Rodnei Miranda que baseou toda sua campanha na segurança. E a educação?! Ninguém pensa a longo prazo neste país?

Enfim, fica meu mini-ensaio-desabafo.

Eleições 2010!


Até a Dé se candidatou! rs

Gatinhas, eu deixei um post agendado aqui sobre uma dica de votação, mas nem foi, entón, vou aproveitar que vocês se acabaram no fim de semana e só vão votar depois do meio-dia.

A gente já sabe sobre a lista de políticos a favor da causa gay que o Dé postou aqui. Entón, dentre os nomes dos candidatos do nosso estado estão Iriny Lopes (Deputada Federal), Cláudio Vereza (Deputado Estadual) e João Batista (Deputado Estadual).

Bem, eu não sei vocês, mas eu estava perdidênha sobre quem votar para esses cargos de menor influência e depois de olhar a tal lista já decidi meus votos.

Não importa em qual dos três vocês vão votar, mas se vocês são engajadas politicamente, fica a dica.

Pras bee’s que vão falar: “Ah, Max, política? Melkoo, eu voto no primeiro santinho que voa na minha cara no caminho das eleições”, isso só funciona nos filmes de romance e no desenho do pica-pau quando ele vai procurar emprego.

Reflitam:

Comigo não, garáleom:

A incongruência dos discursos de Magno Malta


"Tô com MM e não abro!"

Só eu que percebo que as campanhas “Todos contra Pedofilia” e “Redução da Maioridade Penal” são incoerentes? Gente,  ao prender um monte de criança e adolescente com adultos ociosos com personalidade desviante elas SERÃO ABUSADAS SEXUALMENTE! Alguém tem dúvida disso?

Fazemos parte da campanha #foraMagnoMalta que está rolando via internet. Infelizmente, ela começou muito tarde, acho que não será eficaz. Mas ao mesmo tempo tem sido linda a mobilização, especialmente ver as gueis e as católicas juntas de mãos dadas em marcha contra a hipocrisia populista deste candidato sanguessuga que mais uma vez vai queimar a imagem do nosso estado. Mas enfim, vamos acreditar, né?

Tiro pela culatra


Um evangélico criou uma lista com o intuito de mostrar todos os candidatos que apoiam a causa gay e que, segundo ele, não deveriam receber votos. Porém, se deu mal, pois além de ser super gongado nos comentários, as pessoas estão dizendo que usarão a lista para escolher seus candidatos. Fiquei super feliz porque minha candidata está nesta lista “maldita”. Olha lá os comentários, que é a parte interessante do post, e faz coro com a galera clicando aqui.

Opinião de alguns candidatos sobre a “PLC122″


Achei de muito bom-gosto a opinião do Plínio, candidato do PSOL, que apesar de ser assumidamente cristão manifestou-se favorável à criminalização da Homofobia. Inclusive, ele foi o único até agora que assinou  a campanhaVoto Contra a Homofobia, Defendo a Cidadania”, da ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais).

E o Serra, sem comentários… a mais pura e discreta ironia em pessoa. hahahahaha

Debate com candidata


O Comitê Suprapartidário LGBT realiza amanhã (05) debate com a candidata ao Governo do Estado do Espírito Santo pelo PSOL, Brice Bragato, no Auditório da  Assembléia Legislativa, às 18h30, como mostra a imagem ao lado .

Gosto muito de saber que as bee andam se organizando politicamente e se interessando pelo assunto. Apesar do horário ingrato, é bom fazer um esforcinho e passar lá, fará bem ao seu lado crítico, gata.

Pink money, trabalho e aceitação social: a hipocrisia capitalista


Pink Money!

Aprendi cedo uma lição não muito cidadã, mas que infelizmente se reafirma dia-a-dia. Logo que comecei a ensaiar a saída do armário, mas especificamente a primeira vez que fui a uma boate gay (a move), conheci um homem bastante interessante em vários aspectos. Ele era de certo modo até a figura caricata do “bom”: alto, loiro, olhos azuis, empresário, 40 anos, rico. Era também ativo e a neca era boa, foi o primeiro cara que fiz aquele caminho boate-cama, e chegamos até a começar um relacionamento mais sério, entretanto me apaixonei por outro cara que definitivamente não valeu a pena, mas isso tudo não vem ao caso. Conversando com esse sujetio ele me disse (fazia muito a linha conselheiro, talvez pela idade) que se eu trabalhasse e adquirisse uma renda, eu poderia me assumir e seria bem aceito. Citava  a própria história, trabalhava muito, tinha grana e posses e apesar de ser gay assumido numa pequena cidade do interior do estado ninguém o recriminava, ao contrário de outros gays da mesma cidade.

Enfim, o que quero discutr é que o capitalismo iguala a todos nós, enquanto potenciais consumidores. Ele cria essa linha de fuga para as minorias, de tal maneira que até se cria os chamados mercados de nichos e alguns deles nos tem como público alvo, mas a anistia a homofobia generalizada é restrita aos que são capitalizados. Apenas! Que realidade é essa que vivemos que privilegia e aceita apenas quem tem dinheiro e atira a obscuridade e a margem todo o resto que não seja macho-adulto-branco-saudável? Sentimos confortáveis em viver num mundo assim? Eu não.

Hoje foi aberta oficialmente as campanhas eleitorais. Este mês tem parada gay em Vitória. E nós o que estamos (estaremos) fazendo? Assistindo a tudo numa poltrona com a boca aberta escancarada esperando a morte chegar?

O que pensam nossos pré-candidatos?


O jornal A Gazeta perguntou aos três pré-candidatos a governador do estado do Espírito Santo como cada um se posiciona sobre algumas questões polêmicas, uma delas foi sobre a união civil de homossexuais (sim, nós!). Como bem diz a reportagem não que eles poderão legislar sobre essas questões, mas é importante sabermos a opinião dos candidatos, para conhecer melhor como eles nos vêem. Os entrevistados foram: o senador Renato Casagrande (PSB), o deputado federal Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB) e a ex-deputada estadual Brice Bragato (PSOL), sendo que os dos primeiros são contra e a última é a favor. Vamos ler as justificativas dos candidatos?

Casagrande (PSB)

“No Brasil, este assunto encontra visões bem distintas em muitos segmentos da sociedade. Meus princípios cristãos orientam-me. Tenho absoluta convicção de que o Congresso Nacional terá responsabilidade na condução desse debate, levará em conta o desejo da maioria dos brasileiros e impedirá qualquer tipo de discriminação”.

Luiz Paulo (PSDB)

“Trata-se de uma questão privada que compete aos indivíduos. Não cabe ao Estado proibir ou incentivar a institucionalização das relações de casais homossexuais. Combater a homofobia e violência contra os homossexuais, e respeitar a opção sexual das pessoas é, sim, tarefa do Estado”.

Brice (PSOL)

“O homossexualismo é uma realidade, queiramos ou não. Temos que romper nossos preconceitos e aprender a viver com a diversidade sexual. Parceiros (as) homossexuais são cada vez mais comuns, e não atrapalham a sociedade em nada. Nossa cabeça é que está atrasada para respeitá-los (as). Eles (as) estão dispostos (as) a viver relações afetivas, adotar e educar crianças que muitas vezes precisam dessa proteção. Isso tudo gera relações jurídicas, ou seja direitos civis e familiares que precisam ser reconhecidos e respeitados”.

Matéria completa aqui. Não deixem de comentar.

Dica da Latoya via comentários.