Tirando leite de pedra


Não costumo assistir TV aberta, mas mesmo longe dela é impossível não ficar sabendo do que acontece dentro dela.

É um vídeo engraçado, uma cena de novela, algum quadro novo de humor, todos enchem a nossa timeline, e no final das contas ligar a televisão ou não dá no mesmo.

Agora assistam ao vídeo abaixo:

educa

ai que merda

A bee fala bem, sabe se comportar, está apenas narrando a sua situação de dependência química e auto-flagelação, e a única coisa que o jornal sabe fazer é colocar esses vídeos e sons idiotas pra gongar o rapaz, só por ele ser viado.

Enfim, tirem suas conclusões, eu achei forçado, amador e preconceituoso. Confesso que o começo é legalzinho, quando ela fala os nomes, mas só isso.

Eu até imagino os estagiários desse lixo quando deram de cara com a beesha, pensaram:

Nossa, uma gay usuária! Foda-se que ela não fala nada de engraçado, é uma beesha! É só fazer comparações com mulher que o Brasil inteiro vai compartilhar!

me retiro

Porque quando uma bee quer arrasar na televisão, ela não precisa de recursos audiovisuais, bêu abôr:

alicia