Movimento Mundial pela igualdade de direitos


A semana recomeçou, tô atolada de livros pra estudar, trabalhos pra fazer e uns projetos pra organizar. Mas a vida continua, mesmo sendo clichê, e a internet não para:

O projeto All Out, da Fundação Purpose,  mobilizou diversas pessoas ao redor do mundo, para pedir a igualdade de direitos civis aos LGBT’s. No vídeo da campanha, são exibidas frases que mostram a realidade LGBT e pedem, não só a igualdade, mas também respeito. Pras não alfabetizadas in English, segue o texto do vídeo:

“Porque minha irmã e minha nora, podem ser mães maravilhosas. Porque a injustiça em qualquero lugar, é uma ameaça a justiça em todo lugar. Por que meu filho, pode ser gay e ele mereçe uma vida maravilhosa. Estou fazendo de tudo porquê ser gay custa, meu trabalho, minha casa, minha família.

Porque 76 países, fazem do amor e do sexo um crime. Porque uma pessoa trans é morta todo dia. Porque milhões de nós, vivem em um dos 10 países, onde ser gay custa ser você, sua vida. Estou fazendo de tudo porque os homofóbicos gostam quando não fazemos nada.  Porque estou cansado de ser um espectador. Porque eu tenho 5 minutos, pra defender o que é certo. Estou fazendo de tudo porque amo minha namorada. Então, tenho plena igualdade em 5 anos, não 25. Porque eu quero a liberdade de ser gay, lésbica, transgênero, bi ou hétero. Feliz, sexy, ser eu mesmo, livre. Estou fazendo de tudo porque juntos, nossos tweets,  vozes e textos os farão prestar atenção. Porque sou difícil de ignorar, quando estou acompanhado dos meus amigos.”

E abaixo, o vídeo (in English):

Garoto de 7 anos envia doação a instituições LGBT.


Malcom e sua carta

Em um esforço para ensinar a Malcolm, um menino de 7 anos, sobre a importância de melhorar o mundo ao seu redor, ele recebeu 140 dólares para doar para a caridade que quisesse. Depois de ouvir uma história no rádio sobre os maus tratos a gays e lésbicas, ele selecionou duas instituições de caridade – o Centro de Gays e Lésbicas de Los Angeles e a Human Rights Campaign Foundation.

Em uma carta para as instituições, Malcolm escreveu: “Meu nome é Malcom. Eu tenho 7 anos. Eu estou lhe mandando esse dinheiro, porque eu acho que não é justo que os gays não são tratados de forma igual.”

A mãe do garoto, disse q ele perguntou se sua ação seria notada. As instituições contempladas, pretendem agora levantar US $ 27.000 em nome do Malcom e de seu gesto, e enviar a confirmação de que o objetivo foi alcançado, juntamente com uma “grande nota de agradecimento.”

L. Lorri Jean, o diretor executivo do Centro, falou em um e-mail sobre a doação de Malcolm: “Ajude-nos a mostrar Malcolm que quando uma pessoa (mesmo com 7 anos de idade!) assume uma posição de apoio à justiça, pode inspirar outros a fazerem o mesmo e que sua generosidade fará diferença para as crianças incontáveis que foram vítimas de discriminação e que Malcolm vê tão claramente como errado. Em poucos dias, vamos enviar Malcolm um grande cartão de agradecimento para que ele saiba o quanto ele inspira os outros. “

Moral da história: Criança também pensa e as vezes até melhor que muito adulto por aí…