Babado TV está de volta!


logo-bc-tv

Isso mesmo! Vocês pediram, imploraram, espernearam, e finalmente os cosmos se alinharam para nos conseguir um laboratório disponível na Ufes.

Mas… qual será o tema desse episódio?

Como é uma edição de retorno eu acho legal que vocês escolham o tema da próxima Babado TV, que tal?

Pois bem, fiz uma pesquisa via Facebook, recebi várias dicas e vou colocá-las aqui em forma de enquete para vocês votarem:

Valendooooo!

Não sabe que caralho é esse de Babado TV? clique AQUI

Metalinguagem – Dia dos Namorados


Uma das maiores reclamações que recebo é quanto à minha cabeça-dura. As beeshas discutem comigo nos comentários e ficam putas porque eu nunca admito que estou errado, lógico, eu nunca estou errado mesmo!

Exceto nesse post: clique AQUI para ler.

criticaSe teve uma coisa que eu aprendi depois que conheci o feminismo foi a não cagar regra sobre o corpo e a vida dos outros.

Esse post é especialmente cheio disso e, revolucionariamente (adoro advérbios de modo!), resolvi criticar a mim mesmo esse ano, em vez de aos outros. Que tal?

Então as partes acinzentadas são as frases do post, e o resto sou eu mesmo falando hoje, estamos entendidas?

Todas as gays solteiras da minha timeline estavam reclamando incessantemente sobre sua solteirice, mesmas gays que durante o resto do ano vangloriam-se da quantidade bofes que pegaram numa noite, ou do fim de semana promíscuo que tiveram.

Regras em todo lugar

Regras em todo lugar

Meu deus, que vergonha! Não ouçam nada disso que essa recalcada falou, gente!

Se você foi promíscuo a vida inteira e um dia resolveu ser monogâmico ninguém tem nada com isso. E se alguém não te quiser usando seu passado como argumento, mande-o chupar um canavial de rola, antes só que mal-acompanhado.

E aí eu pergunto, será que essa carência toda no dia 12 é de verdade ou a maioria dos gays são tão medíocres ao ponto de considerar status social ter alguém para passar o dia dos namorados, mesmo que seja só um pau amigo da agenda do celular?

fecha isso!

Além de tudo era homofóbica, que escrota. Na moral, como é que vocês conseguiam me ler nessa época?

Todo mundo, não só os gays, quer ter alguém para passar junto no dia dos namorados, é a sensação que o capitalismo entranhado nessa data passa pra nós.

O mesmo vale para ateus que comemoram o Natal: não comemoram porque é o aniversário de G-zuis, mas pelo que a data oferece de companhia, de festas, presentes, confraternização… ateus também são bonzinhos, tsá?

É, parece simplista, mas se você realmente está carente, quer um namorado, por que não faz por onde alguém lhe dar algum valor? E nem adianta falarem de mim, sou vadia meishmo, solteiro inveterado e não troco minha liberdade por nada, pelo menos por enquanto.

Entretanto, o dia que eu quiser deixar de sê-lo, com certeza o meu comportamento terá que mudar, não acham? Você só recebe confiança quando inspira confiança.

O quê?!

O quê?!

Essa é a pior parte! Alerta masculista pra essa frase! Merece o novíssimo Selo Clodovil de Homofobia Internalizada

14003286

Ops, caguei uma regrinha nas calças!

Nada de valor, nada de mudar! Quem tem valor é mercadoria!

Engraçado que quando essa versão babaca da Max fala de valor é sempre “fazer menos sexo”, né? Nunca que valor é fazer um mestrado, um curso de pompoarismo. Nada, é não foder, apenas.

Tá, todo mundo tem um passado, e ele pesa na hora de conseguir um namorado. Mas, minha gente, se a DÉ que tem o passado mais negro que a tinta da Wella que eu pinto meu cabelo, conseguiu um namorado, qualquer um também pode!

A bola representa o argumento

A bola representa o argumento

E mesmo a Dé não precisou se moldar ao seu padrão de comportamento machista pra conseguir isso, bêu abôr.

Você acha mesmo que choramingar o dia inteiro no Twitter/Facebook vai fazer aparecer magicamente um rapaz para te namorar? Diboua, posso ser sincerãm? Com esse comportamento você mais AFASTA que conquista.

hummmmA única parte que faz sentido nesse lixo de texto inteiro. Realmente, galerinha, isso eu preciso reiterar sempre: Consiga uma pessoa pela admiração que ela tem por você, pela sua força de vontade, pelo tamanho da sua neca, mas nunca por pena. Nunca sirva de estepe pra ninguém…

…exceto se for em comum acordo, aí você pode ser capacho de quem achar melhor. Eu não consigo imaginar alguém feliz assim, mas em terra de 50 tons de cinza, quem tem bofe é vassalo.

E se não conseguir um namorado até o dia 12, paciência, pense pelo lado bom, pelo menos você não vai gastar dinheiro comprando presente. É só virar hétero e beber uma loira do bar… DROGA, fui machista de novo!

Deixa pro ano que vem agora…

HÉTERO: 6 coisas que você não deve dizer aos LGBT’s


Não me matem! Fiquei de cama o fim de semana todo… testando a camisinha Origami… MENTIRA! Fiquei de ressaca mesmo.

ofensaTodos temos amigos héteros, né? Mesmo que não tenha, sempre estamos cercados deles no nossos âmbito social, uma vez que eles são maioria (sim, Silas Malafaia, eles são maioria, o mundo não é gay).

E se você convive com eles, deve observar o desconforto de alguns quanto a como tratar os gays. Tentam usar uma gíria ou outra pra se incluir (em vão, porque sempre soa falso), tentam chamar a gente de beesha pra mostrar que é do grupo (fica mais ofensivo que revolucionário) e muitas vezes acabam escorregando nos 6 tópicos abaixo.

Vamos enumerar comigo?

  •  “Nossa, eu nunca teria imaginado que você é gay, lésbica, trans, bi, fada do dente, entre outros)!”
Pareço agora?

Pareço agora?

Apesar de parecer um elogio, esse tipo de comentário dá uma impressão negativa ao estereótipo do gay que parece ser gay. Quando você usa essa expressão tentando elogiar alguém por não parecer gay, você diz indiretamente que parecer gay é algo ruim, ou que não parecer gay é melhor.

A melhor maneira de fazer esse elogio é usar comentários como: “Nem todos os gays gostam de Madonna” ou “Nem toda lésbica gosta de futebol”. Assim você não ofende quem gosta e critica o senso comum em vez da identidade do outro.

  • “Qual de vocês é o marido e a esposa da relação?”
Ninguém diz, mas eu que como.

Ninguém diz, mas eu que como.

Por mais que a intenção aqui seja a de saber quem é o passivo e o ativo (que eu acho que não interessa a ninguém que não seja amigo íntimo, afinal ninguém pergunta pra um casal hétero se a mulher dá o edi ou a racha pro marido), esse tipo de comentário dá margem para entender que a única instituição familiar válida é a tradicional.

E não é, PERIOD!

  • Para um transex: “Qual o seu nome verdadeiro? Como você se parecia antes dos hormônios?”
Você tá vendo algum Marcelo aqui?

Você tá vendo algum Marcelo aqui?

Extremamente ofensivo! Mas as pessoas insistem em perguntar a critério de curiosidade. O nome verdadeiro do transexual é o nome social que ele usa, é o nome com o qual ele se identifica.

A vida anterior dessa pessoa não corresponde com a identidade dela e é a fonte de todos os problemas de aceitação atuais, portanto, não deveria nem ser colocada em discussão.

Isso também vale pro “Você já tirou seu pênis/seios?”. PELO AMOR DE DADÁ, não façam essa pergunta ridícula!

  • “Porra, que pena que você é gay”
Um gif fora de contexto pra acabá cas beeshas

Um gif fora de contexto pra acabá cas beeshas

Pena pra você, bêu abôr!

Essa com certeza é na maioria das vezes acompanhada da primeira pergunta. É tipo um combo da ofensa. Isso dá a impressão de que existe algo ruim em ser gay, por que você lamentaria se não fosse?

Afinal, não vejo gay nenhum lamentando que você seja hétero… opa, vejo sim, só pra galã de cinema eu já devo ter falado essa frase umas 90 vezes.

  • “Eu tenho um amigo gay (lésbica, bi, trans) que você deveria conhecer”

bee

Isso quem mais fala são nossas mães e tias, num é verdade?

E toda vez que a gente pergunta “mas por que eu deveria conhecê-lo?”, elas respondem “Ah, porque ele é gay assim, que nem você!”. Não, héteros, ser gay não é uma característica de personalidade.

Nós não somos um grupo simbionte que divide os mesmos interesses e gostos pessoais, exceto o de gostar de piroca, mas eu não fico te apresentando outras mulheres só porque vocês duas também gostam disso.

affE vocês? Conhecem mais algumas frases típicas que ouvimos o tempo todo e incomodam pra cacete?

Tirando a parte de que ser gay é antinatural, que a Bíblia diz que vamos pro inferno, ou que queremos instaurar uma ditadura gay no Brasil.

Isso daí nem precisa comentar, dá logo um cartãozinho do Instituto Manassés que gente assim precisa é de tratamento.

Etiqueta gay no Facebook


Me desculpem as “kkkkkkk”, mas curtir é fundamental

Glorinha Kalil já falou horrores sobre etiqueta no Facebook. Mas ela, apesar de uma eterna diva fashion brasileira, não tem 90% de amigos gays no Face e não sabe da missa um terço.

Entendo que cada um faz do seu Facebook o que quiser, mas temos que compreender que o Facebook é uma rede na qual tudo que você posta fica visível para os seus contatos.

Você pode escrever o que quiser, claro que pode, mas depois não venha dizer que está “fazendo faxina” porque as pessoas não comentam o que você posta. A culpa é toda sua.

Por isso, vamos fazer uma listinha de gafes que mais causam raiva nas bee’s?

1. Cutucar – Eu sei que cutucar é uma delícia, mas é preciso discernimento. Se você não é bonita não adianta tentar conquistar aquele boy magia só cutucando e esperar que ele te cutuque de volta.

Quando ele vê sua fotinha de perfil, se sente assim:

Bebê de Rosemary cutucou você

Ele é boy magia, sabe disso, e já recebe dezenas de cutucadas por dia, tente uma abordagem diferente, chame-o via inbox and WORK, bitch!

2. Anunciar depressão – Você está triste, solteira e forever alone, ok, isso é chatíssimo. Mas gata, ninguém dá a mínima para as suas reclamações sobre promiscuidade e o quão superficiais são as pessoas.

Todo mundo já tem a vida amorosa fodida o suficiente pra não se preocupar com o que você sofre.

3. Narração de programas de tv – Futebol, Carminha, Nina, Salve Jorge, ou seja lá o que você assista na Globo. A maioria absoluta dos brasileiros têm televisão em casa, e se estiverem interessados em saber de cada segundo do programa vão ligar a tv e assistir.

Se estão no Facebook é porque não estão nem aí pro gol que seu time fez ou pra quem matou o Max (Que aliás já estava me dando nos nervos ser marcado em tudo quanto era atualização sobre esse personagem).

Nem ela aguenta mais

4. Fotos “sensuais” – Precisa de explicação? A internet já está lotada de site pornô, a gente não quer abrir o Facebook em casa e correr o risco da nossa mãe passar atrás do computador e ver uma foto da senhora de cueca segurando a neca.

5. Memes – A regra é clara, se um meme já apareceu na sua timeline mais de 5 vezes, NÃO compartilhe! Vitorinha é um ovo e todos os viados têm amigos em comum, vai chegar uma hora que a timeline inteira estará tomada pelo seu meme e pelas beeshas reclamando dele. É uma praga, e faz mitose!

Quer uma prova? Quantas vezes você viu essa foto no seu Facebook no mês passado?

O suficiente pra sentir ódio da Luiza sem nem conhecê-la, num é?

6. Foto de comida – Por favor, parem de postar foto até do chiclete Big Big que você comprou na banca de jornal. Mas principalmente, ninguém aguenta mais foto de bolo arco-íris!

7. As Meteorologistas – “Calor do caralho”, “frio do caralho”… o tempo nunca está bom o suficiente pra essas malditas meteorologistas calarem a boca. (Que agressiva!)

8. Atualizações que só você entende – Existe comportamento que dê mais raiva que o daquelas bee’s que postam frases aleatórias, as quais só ela e a amiga entendem?

Pra isso existe o mural, a timeline serve para você compartilhar informações generalizadas, o seu lixinho pessoal ocupa o espaço de uma outra atualização que poderia ser interessante, e só dá mais trabalho pra quem tem que girar o scroll do mouse pra ignorar o que você escreveu.

9. Memes elogiando Rebeldes ou outros famosos coadjuvantes – Ninguém gosta dessa porcaria que você ouve, e compartilhar meme com 50 erros de português falando sobre as qualidades da sua “diva” não vai mudar isso.

10. Reclamar de block – O Facebook não vai te bloquear se você somente adicionar amigos em comum. Se você manda convite pra qualquer barriga de tanquinho que vê, interprete o block como uma dica de comportamento.

BÔNUS:  “Bom dia Faces”, “Boa Noite Faces” ou “Partiu boatera/praiana” – Nunca é demais dizer o quão insuportável isso é. Falando sério, meninas, as pessoas te julgam por causa disso!

Se vocês fazem uma ou duas coisinhas da lista, fiquem tranquilas, não tem problema.

Agora, se você comete mais de 5, pode saber que já tem gente te gongando pelas costas nas mensagens inbox. Vale lembrar que, no caso do “Bônus”, não importa se você não comete a lista inteira, “bom dia Faces” já te categoriza como UÓ automaticamente.

E vocês, leitoras mal-amadas (como eu nesse post), o que causa mais raiva na timeline das suas amigays?

Kooriosidades – Na Cama com Max [Tema: Higiene Íntima]


Então, passadas as eleições, voltemos ao trabalho.

Antes de comer, beber, lamber, pegar na mamadeira ♪

Eu A-DO-RO falar de higiene, adoro tudo que envolve sabões, perfumes, hidratantes, Dermacyd e Protex Própolis. E a bee desse e-mail tocou num ponto interessantíssimo, que vai me permitir falar de tudo relacionado à limpeza ligada ao sexo.

Principalmente quando o assunto é sexo com a participação de partes do corpo que acumulam “alimentos”, seja o alface da chuca mal-feita, ou o queijo da neca.

Eu sei que eu já falei de higiene num Kooriosidades, mas aquele era só sobre necas, esse é mais amplo, e, bee’s, a situação da beesha é perturbadora, vale muito a pena ler, hahahaha.

Vamos lá?

Max, eu estou precisada de umas dicas, pois eu estou fazendo um tratamento, sou misofóbico – tenho problemas com germes e etc -, ou seja, eu praticamente nunca tive contato físico na vida (tirando os de antes do meu problema, ou seja, na infância).

Tudo bem que eu sou pêssega e ainda tenho muitos aninhos – um só, pois eu não sou mutante infelizmente, pois imagina mais de uma, né? – para serem vividos.

Aí está o ponto, estou afim de um cara que sabe sobre o meu problema, e ele já veio pedir para ficar comigo e eu o rejeitei por causa de motivos óbvios, não quero ter que escovar a minha boca durante 1 hora depois de beijá-lo, ou vomitar nele, que eu acho que seria pior que a primeira, com certeza.

E alem disso, eu dar um péssimo beijo no boy. Como eu disse para você, eu estou fazendo um tratamento e estou progredindo, mais até o grande dia eu quero me sentir segura, e queria que você me desse uma dicas de tudo que uma guei precisa saber desde os primeiros aos últimos passos.

É, gente, e eu achava que eu era enjoada porque não consigo beber água do copo de outra pessoa. A beesha tá apreensiva porque tem medo de VOMITAR no boy!

Confesso que já peguei uns que, me lembrando aqui enquanto escrevo, me sinto este gif:


Anyway, bee, sexo não é limpo e não é cheiroso. Há troca de fluidos, há esfoliação de pele morta com o atrito dos dois (ou mais) corpos e há a possibilidades de N situações nada agradáveis.

E por N vocês entendam cheques, flatulências, xixi que sai sem querer, hálito pouco agradável, entre outros que, mesmo com uma higiene excepcional, sempre podem te surpreender.

Ainda mais se sua vida sexual se resume a levar o boy pra casa depois dele ter batido coxa a noite toda na balada. NÃO espere um pau/koo cheirando a rosas, prepare o pão de forma que a virilha pode ter até manteiga, dependendo da esfregação.

Mas vamos aos passos para um bom sexo sem sujeira e sem polenguinho?

Primeiro, uma boa escovação:

Uma boa escovação dos dentes, com o uso do fio dental e do enxaguante bucal faz bem em qualquer situação. Entretanto, nada de destruir a mucosa da sua boca escovando os dentes por uma hora, como a bee do e-mail.

Uma escovação violenta pode criar microlesões na mucosa e tornar sua boca uma porta de entrada para inúmeras infecções, e até mesmo DST’s. O ideal é escovar os dentes de meia a uma hora antes de por a boca na botija.

Segundo, a chuca:

Quanto a chuca, existe uma grande discussão sobre os perigos de se fazer, mas não existe bee que se sinta 100% segura sem fazê-la.

Pros ativos que não compreendem o desespero, pensem no quão desconfortável é estar apresentando um trabalho com seu pau fora do lugar na cueca. Você não pode consertar, e se mexer lá a situação pode piorar, e todo mundo vai se focar na cagada que você fez em vez de no seu trabalho.

Vale lembrar que, quando vocês insistem em fazer sem estarmos preparados, nos sentimos assim:

Devido ao fato do intestino abrigar uma extensa microbiota de organismos que protegem o nosso corpo de agentes infecciosos e ainda produzem vitamina D, o excesso de chuca pode causar tanto a morte dessa galerinha quanto a destruição da camada lubrificante da mucosa interna do seu intestino. Sem contar o vício que ele pode adquirir, como o de só conseguir evacuar com o uso da água.

Sim, temos lubrificação também, claro que não babamos que nem rachas, que mais parecem aquelas raças de cachorro bochechudas, mas vocês acham que a nena desce no seco? Nada disso! E por isso também precisamos manter essa lubrificação e ritmo intestinal.

Uma beesha bonita é uma beesha saudável e com o intestino intacto, portanto, nada de chuca cada vez que você for pegar um Transcol pra ir trabalhar, deixe pra ocasiões especiais (ou necas acima de 20 cm).

Se você namora ou faz sexo frequentemente, prefira focar numa alimentação rica em fibras (frutas, verduras e legumes, EXCETO COUVE, EM NOME DE G-ZUIS. Couve e cabeça de neca são como imãs!).

E se seu namorado tem nojinho, mande-o se foder, sua saúde está em primeiro lugar e se ele não consegue lidar com isso, que trepe com uma vagina caseira.

Terceiro, a neca:

Uma neca limpa é uma neca atraente. Pode ser torta pra cima pra baixo ou em caracol, desde que você lave com sabonete bactericida pelo menos duas vezes ao dia, não existe beesha nesse mundo que reclame.

Aliás, não há nada pior, e as bolagateiras vão me entender, que abrir a calça do boy e subir aquele cheiro de galinha caipira. A da fazenda, viva, não a da panela, ensopada.

E, por fim, orelhas, axilas e pés:

Cheirinho de mato na virilha

Não precisa encher o corpo de hidratante, Kaiak Aventura e outras 9 fragrâncias em cada prega do edi, basta lavar com mais atenção, e o uso da bucha vegetal ESTÁ permitido!

Principalmente atrás da orelha, gente, pelo amor que vocês têm a Cher, lavem sempre atrás da orelha, mesmo que pra isso você molhe sua chapinha e tenha que refazer o pico naquela área.

Ninguém curte dar uma lambidinha lá e sair com parafina o suficiente pra construir uma vela de sete dias.

Seguindo essas dicas, podem ter certeza que todas terão uma noite de sexo segura, limpíssima e só com aquele cheiro delicioso de quarto de nerd punheteiro que fica depois do cruzo. 😉

Me filma e me edita… sobre doação de sangue


Essa semana eu fui entrevistado pelo pessoal do Jornal No Entanto, da Ufes, pra falar sobre meu parecer de bióloga e de vinhádo sobre a proibição dos gays doarem sangue.

E acabou que fizemos um vídeo paralelo à entrevista com o jornal, se bem que o vídeo acabou nem usando as perguntas do entrevistador, assistam:

Koortchyram?