“Kajra Reeeee” ou “Tô munitam, tô gostosa, tô Maya… NOT”


danca indiana

"Ué, pensei que estava abafando!" "Abafa!"

Um dia, vendo essa cena da dança da Maya para o Raj tive a brilhante idéia de apimentar meu namoro com uma erótica dança ao estilo indiano. Saí do banho todo perfumado e usando apenas uma toalha. Meu namoradão estava sentado na cama atento ao que passava na TV. Chamei-o. Ele, sem tirar os olhos do aparelho, respondeu: “O que, amor?“. Fui mais explícito: “Olha para mim, por favor!“. Ele olhou e repetiu “O que foi, amor?”. Daí comecei a fazer uma dança que eu julgava ultra-mega-master-blaster lasciva e sensual: tirei a toalha devagar, girei-a por sobre a cabeça, mexendo os ombros. Girei o corpo todo e depois pendurei a toalha no pirú duro. Dancei mexendo os bracinhos fazendo um semi-circulo e movimentos de vai-e-vem com os braços (tipo Raj) e depois  atirei a toalha no rosto dele. Dei um tapa na própria bunda e fui girando, rebolando… Enfim, ele foi do choque ao riso compulsivo. Foi uó. E para piorar ele contou pros nossos amigos que ficam insistindo para eu fazer a dancinha, o que me irrita e, é claro, nunca faço. Uma amiga minha ainda disse: “O bom humor também tem seus atrativos, tem seu erotismo.” Aé, eu disse a ela, então porque depois de rir muito ele virou e disse: “Ai, amor, voce não tem jeito. Pega um copo de água lá pra mim“. Ódio, muito ódio.

Barraco na blogosfera capixaba


A-MO, a-mo um barraco. Gosto mais no “vamo ver” daqueles que terminam com gente rolando no chão e chumaços (?) de cabelos voando. Infelizmente, não é esse o caso. Dois blogs com influência gay (pelo menos na linguagem) do estado, o Moquecada e o Tamarafreire, começaram um barraco virtual ba-ba-do!!! O assunto é a Dilma e blablabla.

Meu lado nessa confusão é o da Tâmara, inclusive no caso Dilma (quando eu li pensei o mesmo que ela). E não há como não perceber, convenhamos, que o Moquecada copia sim o TDUD (com menos charme e criatividade, é claro!) e não admite. Gente, custa admitir? Ah, vai Moquecada admite e pronto. Acaba com isso! Tá, para facilitar fala que vocês fazem o que o pessoal do TDUD faz a nivel local. Olha que maneiro, vocês podem sair com dignidade!

Vamos lá, queremos ver sangue!

Nada contra…


Da coluna Maurício Prates, do jornal A Tribuna de hoje:

Digitalizar0008Gente, o que está acontecendo com os colunistas desse estado? Colunismo Social sempre foi algo tão gay e agora estão dando para persegui-los? Tá certo que o ES é provinciano e essas colunas se dirigem a high society que é a tradição do preconceito e segregação social, mas já tá pegando mal, néam? A forma como a pessoa que escreve fala, marginaliza as travestis, aponta-as como seres não femininos e que as adolescentes, tão puras, virgens, serão subetidas a conviverem com elas. Coisa de gente burra (e que não venham se sentir ofendidos, pois, do lado desse texto postado aqui, a coluna diz que porteiros beiram ao ‘retardamento mental’)!

Quer reconhecer alguém que é uó (nã gosto do termo paunocu, porque para mim é algo positivo e não negativo) é a pessoa começar o texto com “nada contra”. Nada contrasua coluna, Maurício…

Mais ceninha, Mensagem de auto-ajuda e ‘I have a dream’


É, nada é para sempre mesmo, Dé.

É, nada é para sempre mesmo, Dé.

Gente, vou começar o post logo assim: Meoo Koo! O blog é meu e falo o que quiser nele! Vou falar da Heaven e essa será a última que faço (se de fato ela virou boate hétero). Beeshas do meu Espírito Santo, parem de tratar uma boate como um patrimônio das bee! Opções tem, público tem, parem de tratar isso como o fim do mundo! Boate é uma empresa: quer e precisa de grana! Por mais que coisas afetivas ocorram lá dentro e encontros e desencontros se dêem não é o fim do mundo, sabe? Outras virão, outras fecharão e assim constatamos que de fato NADA é para sempre (acreditem, nem o Babado Certo!).

Amiga, esconde o cafuçu!

"Amiga, corre. Esconde o cafuçu!"

Saibam, eu tenho um sonho! Muitas de nós tem reclamado da invasão hetero na Move, não é? Sabe qual é minha vontade? Um dia combinarmos de muitas beeshas irmos (em massa) numa boate hetero tipo “The Uó Club” ou “São Firmino” e lá se jogar dar pinta horrores e pegar geral! Dar o susto nas pessoas. Tô até vendo aquelas patricinhas vestidas e penteadas todas iguais com quilos de blush na buchecha desesperadas escondendo os bophes dela!!!! Ia ser Babado e confusão.

Msn e ex-namorado


Já deixei claro aqui no blog como gosto do blogueiro Didi. Lendo o blog dele vi um post ótimo falando sobre os três passos de etiqueta com ex-namorado no msn. Transcrevo:

  • Avatar: Avatar é sua foto no Messenger. Assim que você ganha um ex ela deve ser mudada urgentemente para alguma foto de ocasião festiva que é pra imprimir desapego. E por ocasião festiva eu não me refiro a festas de família ou de formatura, tem que ser em um lugar que não corresponda a cidade onde você vive e sempre na presença de alguém do mesmo sexo (no meu caso e… ah no de vocês também!).
  • “O que eu estou ouvindo”: Essa idéia do “olha o que eu tô ouvindo agora” funciona bastante se você quer mandar um recado velado pro ex. Uma vez eu coloquei Lulu Santos – Assim Caminha a Humanidade e fiz dos versos de Lulu os meus (“Não te quero maiiiiiiiiiisssssss, não maissssssssssss, yeaaaaaaaaaaaaaah”). Se bem que eu não sei se fui muito feliz na minha escolha de música, porque sempre há o risco de transparecer um certo mau gosto, já que as melhores músicas pra esse tipo de coisa são as mais cafonas (vide I Will Survive e Por Causa de Você da Kelly Key, aliás, taí um musicão!).
  • Online/Offline: Se você precisa retomar algum assunto pendente com o seu ex e não quer ser aquele que vai puxar a conversa, é importante deixar bem claro que você acaba de entrar online. E se ele não perceber a sua entrada você aciona a ferramenta ficar invisível, conta até 15 e volta visível de novo. Você pode fazer isso umas 3 vezes, mais do que isso já parece um pouco de desespero de atenção. Se ele perguntar o porquê de tanto chove-não-molha você diz, “Ih, loucura minha conexão, tá caindo direto, mas aliás e ________ (insira aqui seu assunto pendente com o ex).

tedio-msn-computadorAi, gente eu faço isso mesmo, admito. Mas como diz o Didi no próprio post só naquela fase inicial quando a gente tá meio sem amor próprio, sabe? Tem outra coisa que faço é, caso o ex puxe assunto, ficar um tempo sem responder. Por mais que dê vontade de responder “O que foi, te amo ainda!”, eu dou uma saída, como algo, vou ao banheiro, ouço duas ou três vezes Faroeste Caboclo (cantando junto a letra toda, tá, meu bem!), daí respondo, “ó, você tinha falado comigo?! Nem havia reparado tem tanta gente falando comigo aqui, tanta janela piscando, foi mal. O que você queria falar mesmo?”. Quando ele responde coisas como “queria saber como você está”. Em vez de responder “sinto sua falta, meu lindo!”, faço tudo de novo duas vezes e depois “bem e vc?” e daí por diante.